Prome Aqui!

Compartilhe
avatar
♛ GiihHime ♛
Admin
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 403
Reputação : 259
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 22
Localização : Sodoma/Gomorra

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♛ GiihHime ♛ em 28.08.17 17:37

Segunda-feira a tarde, quarto do hotel.


O céu estava alaranjando do lado de fora da janela do quarto do hotel, enquanto Narkissa estava sentada no sofá segurando o celular com a maquiagem toda escorrida pelo seu rosto, fazia horas que a Russa estava naquela mesma posição encarando o vazio a sua frente. Até a porta do quarto se abrir e Violetty entrar toda sorridente e saltitante e ver a irmã ali, estática,  ela fechou a porta e correu para perto da irmã que ao sentir as mãos da bruxa a tocar olhou para a irmã, a loira estava chorando a horas ali sozinha.

Violetty: - Naki! O que foi? O que aconteceu?! Meus Deuses, se te machucaram eu vou matar o desgraçado!

Violetty parecia muito preocupada com a irmã a loira quando ouviu a voz da irmã começou a chorar novamente.

Narkissa: - Ele foi embora....

Violetty: - Quem Naki, quem foi embora?

Narkissa: - Havoc.....Ele foi embora.....De novo.....

A loira mostrava a mensagem no celular e voltava a chorar, estava tão triste com a ida dele. A bruxa pegou o celular e viu a mensagem de texto do moreno, ao terminar de ler ela abraçou a irmã bem apertado.

Violetty: - Calma, você tem a mim. Eu não vou te deixar nunca Naki.

Narkissa: - Vi.....Ele foi embora e me deixou sozinha de novo.....Eu só queria ficar com ele.....Porque os Deuses tiram quem eu gosto de perto de mim.....Vi.

A Russa abraçou a irmã apertado enquanto chorava, Violetty não sabia muito bem o que dizer ou fazer, mas não deixaria a irmã sozinha ali as vozes falavam em sua cabeça porém, não eram a resposta que a Bruxa queria saber.

Violetty: - Naki os Deuses fazem o que é melhor pra gente, talvez o Havoc não seja o melhor para você veja tudo o que aconteceu entre vocês as coisas desandaram, Eles o afastaram para o melhor, e veja eles trouxeram o Sudz de volta, tem o Val também, e agora você viu quem chegou também? Aquele Bárbaro bonitão.

Narkissa apertava a irmã no abraço enquanto a morena tentava a consolar, as vozes na cabeça da Bruxa falavam cada vez mais alto a deixando irritada.

Violetty: - Calem a boca! Vocês não ajudam em nada.

A Bruxa diz irritada enquanto fazia um carinho no cabelo da irmã

Narkissa: - Eu....Eu queria o Havy.....E ele foi embora por causa daquele bárbaro imbecil! Ele me deixou de novo e eu compreendi de novo, eu não consegui ir com ele, não pude deixar você sozinha....

Violetty: - Eu sei, calma vai ficar tudo bem, você supera essa de novo. E você sabe que ele pode voltar um dia, agora não era um bom momento para ele, Naki não fique triste...Eu não gosto de te ver assim.

Narkissa: - Tem razão.....Se ele foi é porque os Deuses queriam assim, eles queriam que ele fosse embora antes de algo pior acontecer.

A loira soltou a irmã e se endireitou do sofá limpando o rosto e respirando fundo, mas ainda sim ela estava com o rosto serio e o olhar triste, a morena sabia quem estava ali, a Bruxa brincava com uma mecha do cabelo da loira enquanto ela se recompunha.

Violetty: - Se sente melhor?

Narkissa: - Eu não sinto nada, só um grande vazio. Ele deixou esse vazio quando foi embora e irei conviver com isso.

Violetty: - Não se você deixar alguém preencher esse vazio, eu não quero te ver infeliz.

Narkissa: - Eu não serei infeliz com você ao meu lado, quem sabe um dia alguém preencha essa vazio enquanto isso não acontece, só vou sentir a perda como qualquer mulher faria.

Ela dizia olhando para a irmã com um suave sorriso nos lábios, a loira levou a mão até o rosto da irmã e fez um carinho a morena por sua vez encostou o rosto da mão da irmã a olhando.

Violetty: - Não é só por causa dele que você está aqui não é?

Narkissa: - Não. Você viu para onde vamos?

Violetty: - Pra casa.

Narkissa: - Isso mesmo, vamos para casa e eu quero te falar uma coisa.

Violetty: - Se for o que Elas me dizem eu não quero saber!

Violetty se levantou irritada olhando para a irmã que mantinha seria a olhando do sofá.

Narkissa: - Você vai ficar sem mim nesse tempo que estivermos em Moscou, eu não quero nossa família vindo atrás de mim no hotel e encontrando você ou qualquer um que conhecemos.

Violetty: - Mas....Mas...Você nunca me deixou sozinha!

Narkissa: - Você vai ter o Valugi, Megan, Draven e até o pokemon se quiser, eu não quero que eles te encontrem Violetty, eles vão te prender novamente se te virem solta, eles já devem saber a essa altura. Eu já recebi varias mensagens deles querendo falar comigo, como toda família feliz.

Violetty: - Você não pode estar falando serio.....

Narkissa mostrou para a irmã as mensagens que fez uma cara brava e depois triste.

Narkissa: - Eu irei vir ver você mas, não posso ficar no hotel com você. Tem coisas que preciso enfrentar.

Violetty: - Vai ficar aonde então?

Narkissa: - Na minha casa.

Violetty fez uma cara de espanto, por essa a Bruxa não esperava. A Russa se levantou e se aproximou da irmã a segurando pelos ombros de forma carinhosa.

Violetty: - Se você ficar lá.....

Narkissa: - Nada vai acontecer é minha casa, eu tenho que ficar lá Vi. Eu sinto saudades deles as vezes e eu não quero que ninguém te machuque ou te fale mentiras ou besteiras, que te culpem por coisas que não fez, você entende isso?

Violetty: - Acho que sim....

Narkissa: - Eu vou para casa na frente, eles vão mandar um carro me pegar na saída do aeroporto e irei direto para casa cuidar dos assuntos da família.

Violetty: - E eu?! Vou viajar sozinha?

Narkissa: - Vai com o Valugi ou a Megan se preferir, eu tenho que ir na frente e não posso te pedir para vir comigo.

Violetty: - Você falou com ele? Com o Val?

Narkissa: - Não, eu não devo satisfação para ele, só para você.

Violetty: - Ele ainda vai brigar com você por causa desse seu jeito, você sabe que não precisa tratar ele assim Naki.

Narkissa: - É....Eu sei....Eles podem ser de confiança, mas eu ainda prefiro me manter fora.

Violetty: - Você vai vir me ver?

Narkissa: - Sempre, eu nunca ia te deixar. Podemos ir naquela sorveteria que você adorava, ou talvez no parque aonde aprendemos a andar de bicicleta.

A Bruxa parecia bem animada mas ainda sim tinha um semblante triste, não queria ter que deixar a irmã sozinha com aquela família dela, só as duas sabiam como eles podiam ser chatos e exigentes.

Violetty: -  Vai ser muito divertido.

Narkissa: - Vai ser divertido porque desde que cheguei na federação fazemos tudo juntas, vai ser bom a gente ficar um pouco separada nem que seja por alguns dias.

Violetty: - Tem razão! Vou tentar me divertir enquanto você faz as coisas chatas.

Narkissa: -  Ora sua....

As duas começaram a rir e depois se abraçaram, Violetty sabia que seria bom para a loira cuidar dessas coisas de família o quanto antes, a Narkissa pensava o mesmo, seria muito bom resolver esses assuntos de uma vez por todas e poder seguir sua vida sem se importar com o ocorrido no passado. E por um lado as duas estavam felizes de voltarem para casa.

Narkissa: - Vem, vamos curtir minha depressão se enchendo de porcaria e vendo filmes de amor que nunca vamos ter porque não existe esse amor dos filmes.

Violetty deu risada e as duas foram para a cozinha pegar um monte de porcarias para assistir os filmes juntas, depois de pegar um monte de doces e outras coisas gordurosas as duas se sentaram no sofá e alugaram um filme para assistir, até porque a Russa não estava no clima para ir para a balada com a irmã ao menos naquele momento, quem sabe mais tarde eles poderiam sair.



♰ Our love is violent, it is obscure, it is obsessive, it is chaotic, we suffer because of it, but ... We like that sweet pain. ♰
avatar
☠ BlackSpider ☠
Admin
Admin

Mensagens : 46
Pontos : 144
Reputação : 98
Data de inscrição : 02/04/2017
Idade : 21
Localização : Ilha da Polly

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ☠ BlackSpider ☠ em 29.08.17 7:45

Tarde de terça-feira

O bárbaro estava esperando a mulher na frente dele falar com a recepcionista a mulher era loira e tinha cabelos longos além do perfume doce que fazia o homem se inclinar um pouco pra frente ao fazer isso a loira se virou bruscamente e o lutador sorriu cínico arqueando uma das sobrancelhas

Talorgan: - Fala ai seu perfume me lembra uma amiga...cheira anja

Ele claramente fez uma piada com a mulher que cruzou os braços

Marjorie: - É normal você fazer isso? Sair cheirando as mulheres?

Talorgan: - Depende se ela for bonita

O homem deu de ombros e a loira riu revirando os olhos ela pegava o cartão do quarto e via que o homem fez o mesmo ele entrava no elevador com ela e ficava encostado no espelho olhando o celular

Marjorie: - Você é o lutador novo?

A loira tentava ser simpática e puxar algum assunto com o homem ele guardou o celular e olhou pra ela

Talorgan: - Isso mesmo anja eu sou Talorgan Roark e se não me engano seu nome é Marjorie

Marjorie: - É sou eu mesma pelo visto alguém aqui andou vendo o roster não é Talorgan?

Talorgan: - Pode me chamar de Roark e sim eu dei uma olhada rápida afinal tenho que saber quem são meus futuros inimigos mesmo nenhum me surpreendido

Marjorie: - Isso foi uma ofensa?

Talorgan: - Eu não ofenderia uma possível paquera

Marjorie: - Ah claro...eu já estou com uma pessoa por assim dizer

Talorgan: - Ele sabe de nós?

A anja começou a rir ao ouvir o homem falar daquele jeito ela ficou pensativa

Marjorie: - Não está cedo demais para contar vou esperar ter certeza que está sério

Ela acabou entrando na brincadeira dele o lutador acabou rindo e olhava os andares subindo

Talorgan: - Não me diga que estamos no mesmo andar

Marjorie: - Eu acho que sim o que não ajuda a disfarçar as coisas

Talorgan: - Essa recepção de merda que não entende que certas coisas tem que ser escondidas

A mulher bateu o dedo no cartão e se olhou no espelho se arrumando o cabelo  

Marjorie: - Ei Talorgan

Talorgan: - Roark...e que foi?

Marjorie: - Está ansioso para seu primeiro combate?

Talorgan: - Depende de com quem for espero que seja alguém que valha a pena

Marjorie: - No meu primeiro combate eu estava bem nervosa imaginar como iria ser e ainda mais que era com o campeão na minha divisão na época

Talorgan: - Ahhh verdade você foi a mina que surrou o mano lá e levou o título cursed

Marjorie: - Pressão maior ainda além do grande apoio que eu tive eu não queria decepcionar ninguém

Talorgan: - Ah foda-se as pessoas você levou é o que importa...e sobre o combate não é a primeira vez que eu brigo? Não sei ao certo dizer mas não é algo tão novo pra mim apenas muda o cenário

Marjorie: - Você lutava em empresas menores?

Ele mexia o corpo para os lados como mais ou menos

Talorgan: - Não é bem isso mas já lutei em empresas pequenas apenas por diversão mesmo

Marjorie: - Ah sim entendo brigava em lugares aleatórios

Talorgan: - É gata quase isso bem isso ai

O elevador parava e os dois desciam o homem riu porque estarem no mesmo andar quando a loira ia saindo ele chamou ela

Talorgan: - Ei lora

Marjorie: - Sim?

Ela se virou na direção e sorriu de uma forma gentil

Talorgan: - Quer sair pra beber algo? Eu não vou fazer nada o resto do dia além de malhar então se tiver afim

Marjorie: - Hmm…tudo bem a gente se encontra na porta do Hotel?

O homem fez um positivo e saiu para o quarto dele e a loira foi para o dela não demorou muito para ambos se arrumarem e descerem quando o lutador chegou a loira já estava ali

Talorgan: - Eu não acredito que demorei mais que você

Marjorie: - Eu até poderia falar algo mais vou ser legal e não vou falar nada só sorrir

A mulher abriu um grande sorriso debochando do homem ele revirou os olhos e saiu andando na frente

Talorgan: - Não enche vai

Marjorie: - Eu não falei nada como prometi

Ele olhou de canto pra ela e a empurrou de leve com o ombro a loira riu e os dois caminharam para dentro de uma lanchonete o homem se jogou na cadeira e a loira se sentava de frente pra ele os dois olharam para a grande vidraça olhando as pessoas passando

Talorgan: - O que levaria uma modelo a virar lutadora? E ainda querer espalhar o bem por ai?

Ele mudou a direção do olhar para a loira que soltava o cardápio e fazia uma expressão pensativa

Marjorie: - Eu queria fazer algo que eu gostasse algo que eu queria entende? Então acabei vindo pra cá por sempre gostar e sobre o bem as pessoas precisam acreditar em algo elas perderam a fé no bem

Talorgan: - E não acha que elas fizeram isso por que todos que juraram o bem acabaram fazendo merda?

Marjorie: - Eu gostaria de poder negar mas sim muitos acabaram saindo do caminho e preferindo ignorar o mal crescente mas alguém tem que fazer a diferença né? Lutar pelo o que acredita você mesmo em vídeo disse acreditar em si então...

Talorgan: - Hahahaha boa é eu acredito em mim mas não prometi fazer diferença nenhuma por aqui apenas buscar o que eu quero

Os dois pediram refrigerantes e um misto quente enquanto o homem se arrumava na cadeira parecia um pouco inquieto

Marjorie: - Quer tentar qual título?

Talorgan: - O quer vier o primeiro campeão que aparecer na minha frente vai ser atacado eu não estou ligando quando ou onde eu pretendo fazer minhas próprias oportunidades se eu surrar algum dos campeões ganho minha chance

Marjorie: - Um plano bem violento deveria pensar um pouco melhor...eu tentei o Intercontinental mas não deu muito certo

A mulher suspirou decepcionada quando os pedidos chegaram ambos começaram a comer calmamente

Talorgan: - Ué vai de novo se quer esse título as vezes ou quase sempre a violência é a resposta devia pensar nisso

Ele ficava se apoiando na cadeira a fazendo ir para trás um pouco e depois voltava

Marjorie: - Eu estou pensando nisso ainda não quero tomar uma decisão errada ou acabar fazendo algo que machuque as pessoas

Talorgan: - Quem for burro o bastante para ficar na frente de uma briga vai levar porrada é assim que funciona

Marjorie: - Eu não quero isso eu não quero machucar ninguém eu apenas desejo que todos acreditem no bem que existe alguém capaz de ao menos tentar lutar

O homem terminava de comer e apoiava os cotovelos na mesa e encrava a loira por alguns segundos

Talorgan: - Então tá fazendo o que pensando? Luta caralho ficar ai vai ser igual esses bichas bundões não queria ser um lixo feito eles seja lá no que você acredita

Ele deu de ombros a loira ficou pensativa até terminar de comer cada um pagou sua parte e eles saíram caminhando um pouco o tempo até que passou rápido com a conversa deles

Marjorie: - Como pretende enfrentar todos sozinho?

Talorgan: - Vou chegar lá e socar a cara de cada um

Marjorie: - Vai acabar se machucando

Talorgan: - Faz parte

Ele parecia bem tranquilo sobre isso a loira bateu de leve a mão no próprio rosto e balançou a cabeça em negativo os dois resolveram continuar caminhando e conversando ao invés de voltarem para o Hotel tão cedo



Look, an idiot.
avatar
♛ GiihHime ♛
Admin
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 403
Reputação : 259
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 22
Localização : Sodoma/Gomorra

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♛ GiihHime ♛ em 29.08.17 18:27

 Terça-feira em algum lugar de Moscou



Um grande carro preto se aproximava de uma grande mansão, a neve caia sobre o lugar deixando o ambiente um pouco mais triste e sombrio que o planejado, logo o carro para em um enorme portão prateado com uma inicial nele, os portões se abrem e o carro entra no lugar, um enorme jardim coberto por uma fina camada de neve é visto, um enorme chafariz congelado, uma casa de alguém com muito dinheiro, o carro dá a volta no chafariz parando em frente a uma grande escada que tinham vários empregados, dois grandes leões em forma de estátuas enfeitavam o final da escada. O motorista abre a porta do carro e Narkissa sai de dentro dele olhando em volta com um olhar sério e triste até o mordomo se aproximar da mulher.


Mordomo: - Bem vinda de volta, senhorita.

A Russa sorri para o homem e o abraça de forma rápida, aquele lugar, aquelas memórias desagradáveis, Narkissa já viveu muitos bons momentos dentro daquela mesma casa porém só conseguia se lembrar dos ruins, ao passar pela porta ela para e olha em volta, tinha um grande quadro da loira com seus pais que a fez apertar as mãos com força, seu coração disparar e uma imensa vontade de gritar tomar conta do corpo dela, retratos dela com seus pais espalhados pelas estantes e a grande escadaria que levava aos quartos, aquele lugar dava enjoo na loira.

Mordomo: - Deseja algo? Já estamos tirando suas malas do carro.

Narkissa: - Quero ver meus pais.

Ela fala com certo nó na garganta, estava sentindo tanta tristeza em seu coração um grande vazio que parecia crescer ainda mais desde que ela resolveu deixar essa casa para ficar com sua irmã. O mordomo a olhou sorrindo e concordou com a cabeça, ela saiu andando sozinha pela grande mansão com um sentimento de luto ou apenas desprezo por aquele lugar todo, todas as memórias vinham a sua cabeça de uma vez, umas lhe rasgavam o coração enquanto outros tentavam o curar, eram seus pais, sua vida. Ela se viu a frente de um grande labirinto, e sem hesitar a loira entrou naquele lugar e como se nem fosse um labirinto ela chegou em poucos minutos a um grande mausoléu feito de mármore negro, ela subiu umas escadas e abriu uma porta dupla dourada a mulher segurou nas portas mas, não conseguia as abrir não tinha forças para o fazer, suas mãos tremem, sua respiração pesada junto de seu mente, ela pega coragem e em um impulso ela abre as portas e entra no lugar  logo se depara com os túmulos de seus pais, ela se aproximou do lugar onde estava a ossada deles com suas fotos e colocou a mão sobre ela.

Narkissa: - A boa filha a casa torna, é assim que vocês falariam não é? Eu sei que faz tempo, me desculpem eu não queria vir aqui antes essa é a verdade.

Ela estava triste olhando aquelas fotos e aqueles nomes ali, que com certeza não era Gardea, e sim um outro nome. A loira tirou umas rosas murchas que estavam ali e as jogou fora, em seguida pegando um buquê novo de rosas vermelhas cintilantes e as colocando no vaso ali perto.

Narkissa: - Senti saudades de vocês, mas sei que não sentiram a minha. Devem me odiar a essa altura por causa de todas as coisas que fiz, ou deixei de fazer.

Ela falava enquanto arrumava as rosas e acendia algumas velas para eles, seu coração pesado por causa de todas as coisas que queriam ter dito a eles, ou porque sabia que eles desaprovariam tudo o que ela fez desde a morte deles.

Narkissa: - Mas eu ainda amo vocês, gostaria tanto que se orgulhassem de mim ou da mulher que virei, mas isso seria pedir demais de vocês dois, eu sei disso.

Ela se ajoelhou no chão ali para rezar por eles, por suas almas ou apenas para fingir acreditar que eles estariam em um bom lugar, estarem em qualquer lugar que não seja ruim ou que sofressem, ela tinha tanta raiva guardada deles e do que fizeram, da ignorância, da falta de visão, da simplicidade de como pensavam, de terem machucado sua filha tirando dela a única pessoa a qual ela realmente gostou que era Violetty, por ter se deixado levar por eles quando Havoc foi embora e não foi atrás dele, tantas escolhas erradas que fez por causa deles. Ao terminar a reza a loira deu um soco no chão com força, tal soco acabou machucando sua mão quando bateu no mármore do chão ela abaixou a cabeça deixando lagrimas escorrem por seu rosto.

Narkissa: -  Eu nunca irei os perdoar.....Nunca.....Nunca.....Nunca.....Nunca......Por causa de vocês eu sou o que sou hoje, virei tudo o que vocês odiavam não é verdade? Tudo o que repudiavam, eu entendo. É irônico não é? Eu os odiar ao mesmo tempo que amo, tinha tantas coisas para dizer mas não quero, pois sei que isso só renderia uma discussão e seus olhares de reprovação, mesmo mortos ainda me lembro.

Ela riu enquanto chorava e depois limpou o rosto para ninguém ver ou perceber as lágrimas da loira, tais lembranças vinham com grande raiva e tristeza, e Elas estavam quietas em sua cabeça, não tinha nenhuma voz ou alguma presença com ela, apenas Narkissa ali ajoelhada perante uma lápide conversando sozinha até ouvir uma voz atrás dela.

Mordomo: - Tenho certeza que eles se orgulhariam de você.

Narkissa: - Não se orgulhariam não.

Mordomo: - Porque acha isso? Eles te amavam.

Narkissa: - Não acho, tenho certeza disso. É eles me amavam bastante, e eu a eles, mas o que aconteceu para vir até aqui?

Ela se levantou limpou os joelhos e olhou para o homem parado na porta.

Mordomo: - Já levamos suas coisas para seu quarto e arrumamos, gostaria de vê-las?

Narkissa: - Sim, será ótimo.

Os dois saíram daquele lugar para voltarem para a mansão, ao chegar lá ela subiu as escadas devagar vendo cada detalhe da casa, olhando as fotos e vendo que não tinham as deles com Violetty o que a deixavam mais irritada ainda com aquele lugar, ela viu o corredor que dava ao quarto de seus pais, o cheiro do perfume da sua mãe e das rosas que ela tanto amava, a biblioteca que seu pai passava a maior parte do tempo e as vezes contava histórias para a loira, aquilo a fez sorrir mas logo seu sorriso sumiu. Ela abriu a porta de seu quarto vendo tudo ali, no mesmo lugar em que ela deixou desde que saiu de casa.

Narkissa: - Tudo está igual.....

Mordomo: - Pensamos que a senhorita gostaria de tudo igual.

Narkissa: - É.....Ótimo.

Mordomo: - Outra coisa, acho que deveria visitar sua avó, ela sente bastante a sua falta Narkissa.

Narkissa: - Com certeza eu irei vê-la, obrigada.

O homem assentiu com a cabeça e deixou a loira lá, com seus pensamentos. Ela entrou no quarto e fechou a porta atrás de si, mas não ficou ali por muito tempo tomada pela impulsividade de ir até o quarto de seus pais, quando tomou conta de si novamente ela estava na frente do quarto deles girando a maçaneta, não queria abrir a porta mas foi mais forte que ela, mas apenas viu tudo vazio, sem nada que lembrasse de seus pais, apenas uma cama grande de casal uma penteadeira, guarda-roupas vazio, mas mesmo assim ela via como se tivesse tudo ali ainda, as roupas de sua mãe jogada pelo chão, ela se sentou na penteadeira e se olhou no espelho.

Tantas memórias, ali sua mãe penteava seu cabelo enquanto ela brincava com suas maquiagens, quantas vezes sua mãe arrumou ela e Violetty naquela penteadeira para festas ou para sair, o cheiro das rosas tão agradável ela foi até a janela e por causa do tempo as amadas rosas de sua mãe estavam secas e mortas e se despedaçaram quando ela as tocou.

Narkissa: - É tudo morre.

A loira saiu da janela e foi andando para a porta deixando aquelas memórias para trás, saindo do quarto ela se viu sozinha mas, era reconfortante estar sozinha, sempre foi assim. Ela desceu as escadas e foi para a biblioteca o seu lugar favorito da casa tirando a casa da árvore que seu pai mandou fazer para ela e Violetty, ela sabia porque eles jogaram tudo o que lembrava sua irmã fora, eles a culpavam por tudo o que tinha acontecido, e isso era um absurdo total. Ela entrou na biblioteca vendo todos aqueles livros que ela já tinha lido e relido tantas vezes em sua juventude, que a faziam rir baixinho, o cheiro do charuto do seu pai ainda estava presente nos livros, no lugar todo aliás, o uísque que ele bebia ainda nos vidros e o copo com uma rachadura que a loira tinha feito quando o derrubou no chão quando era menor.

Mas não levou bronca, na poltrona ela viu sua boneca favorita. Costumavam ser duas, uma loira que era Narkissa e uma com cabelos negros que era Violetty, mas a de Violetty foi jogada fora quando eles a prenderam no manicômio, a russa pegou suas boneca e a apertou das mãos com raiva de suas atitudes passadas a boneca de porcelana da loira estava com seu rosto trincado.

Narkissa: - Nada mais que uma boneca quebrada e solitária não é pequena?

Narkissa falou com a boneca a olhando de cima a baixo, passando a mão pelo trincado de seu rosto, ela lembra que trincou o rosto dessa boneca quando ela e Violetty estavam brigando, foi bem engraçado, aquele lugar todo tinha um peso muito grande na Russa, um fardo que ela estava carregando sozinha pois achava que deveria ser assim, sozinha. Ela colocou a boneca na poltrona novamente e foi a estante pegar um livro, um dos muitos livros de história que seu pai ou sua mãe lhe contava, sobre uma linda menina chamada Vassilissa, e uma bruxa feia, ela riu lembrando da história e da descrição da bruxa, como elas eram feias e assustadoras. A Russa pegou o livro e saiu da mansão indo para a casa na árvore ler, uma grande casa na árvore. Ao subir as escadas e ver o lugar ela lembrou dela e Violetty pequenas, tudo delas estava ali, brinquedos, desenhos, joguinhos, e claro os desenho de Violetty sempre envolviam algo ruim, os Deuses das duas.

Narkissa gostava daquele lugar, ali era o único lugar que ela não tinha lembranças ruins, pois ali era reservado para as duas irmãs. Narkissa se acomodou em um monte de almofadas que estava ali espalhadas e abriu o livro para ler, mesmo já lendo essa história diversas vezes ainda gostava da leitura, e ali também tinham outros livros então isso a manteria ocupada por um tempo, relembrando as partes boas de sua vida com sua irmã antes de todo o desastre acontecer.



♰ Our love is violent, it is obscure, it is obsessive, it is chaotic, we suffer because of it, but ... We like that sweet pain. ♰
avatar
★ Bé ★

Mensagens : 338
Pontos : 915
Reputação : 520
Data de inscrição : 08/07/2014
Idade : 22
Localização : Portugal

6

Mensagem por ★ Bé ★ em 29.08.17 18:32










 

 


Adam


Está Adam em uns balnearios da Nwr, ele esteve se vestindo e colocando sua mascara. Ele faz isso lentamente enquanto ficava apertando a roupa do corpo e puxando ajeitando ela. Ele dá pequenas palmadas em seu próprio rosto e sai do balneário.


Mais tarde está Adam batendo na porta do escritorio, ele abre e vê as GMs. Ele se mostra um pouco em duvida, ele entra e está Anabell atrás da secretaria sentada em uma cadeira mexendo no pc, enquanto a irmã dela, Katrina ficava encostada na secretaria com os braços cruzados, ele olha um pouco em volta e entra, encostando a porta.


                   


Elas prestam atenção no homem que não fala nada, eles ficam todos parados, quando Anabell se afastou um pouco da secretaria, e se levantou também, indo para o lado da irmã, ela fala.


Anabell: Que surpresa agradável, que te trás por aqui? Não estavas de férias?


Adam: Adam não tira férias.


Ele se dirige um pouco mais para perto delas enquanto encosta a porta.


Katrina: Não é o que o site de vídeos da Nwr fala.


Adam: Tenho outras preocupações em mente.


Katrina: Tipo o que?


Adam: Arrumar um jeito de vencer a Legião. Com ou sem pokemon.


Katrina: Ah, isso é perfeito. Mas de momento, não parece que seus jeitos estejam sendo muito efectivos.


Anabell: A gente já te falou, precisas de ajuda com isso.


Adam: Eu preciso de força, e vontade.


Katrina: Sim, a gente viu no que isso deu lá no PPV.


Anabell: Diz homem, que vies-te aqui fazer?


Adam: Procuro Carter.


Katrina: Veja se está aqui no meu bolso.


Anabell: Ele está de férias Adam, e parece que as dele estão meio permanentes. A gente está a tomar conta das coisas.


Adam: Tudo bem, estou de saída.


Katrina: Espera, a gente está aqui para resolver seus problemas. Ele não vai voltar tão cedo por aqui.


Anabell: Aconteceu algo?


Adam: Era apenas uma conversa corrente.


Katrina: Tem a ver com algum tipo de planos maléficos? Planeia combinar com ele quem será seu proximo oponente? Quer um aumento?


Anabell: Pode falar isso connosco.


Adam: Não é relacionado sequer com a fed. Carter é apenas meu amigo, não o trato como patrão.


Elas ficam um pouco em silencio, enquanto Adam vira um pouco as costas, porem elas voltam a falar.


Anabell: Tens poucos amigos por aqui não é?


Katrina: Para ser amigo do James... Isso deve realmente estar feio para o teu lado... Porque não te sentas um pouco e falas sobre ti? Nós podemos ser tuas amigas.


Adam: Eu não preciso de amigas.


Ele abre a porta e quase sai, até que Katrina fala algo.


Katrina: Por isso você nunca vai vencer da Legião.


Adam volta a encostar a porta, e ele lentamente se vira para ela.


Adam: Eu não preciso que ninguém lute as minhas lutas.


Katrina: Tá tá. A gente já ouviu essa merda antes... Mas vocês... Homens... Ou são covardes demais ou burros demais.


Anabell: Como intenciona vencer de umas 5 ou 6 pessoas completamente sozinho? A gente admira tua coragem, e realmente és um bom talento no qual James investiu bem... Mas é impossivel sequer travares uma guerra contra eles.


Katrina: Mas tu deve saber isso, teve no ringue com as Gardeas e o Valugi, ao mesmo tempo, e deu no que?


Adam fica olhando para o chão ele parece um pouco incomodado com as palavras dela.


Adam: Ninguém me pode ajudar.


Anabell: Mas a Heroína da federação falou que te iria ajudar, e tu quase ignorou ela.


Adam: Não tenho intenções de conduzir Lady para derrotas ou para algo que pode ser a sua destruição.


Katrina: Precisa de preocupação não, ela já perde com ou sem Adam.


Anabell: Então, tu está preocupado com o bem estar dos outros lutadores do roster? Por isso intenciona lutar sozinho? Sabe que todos os que te seguirem vão sofrer?


Adam: Isso é lógico.


Katrina: Então como intenciona impedir ataques então? Como intenciona conter a Legião?


Adam passa pela mão na roupa onde diz "Suicide".


Anabell: Então... Realmente esteve esse tempo todo só para... Sei lá, entreter eles?


Adam: A intenção nem era eu permanecer durante muito tempo. Eu mal consigo trabalhar em equipe. Seria mais como um exemplo para todo o roster se revoltar. Porem apenas a vossa pequena mascarada têm alguma coragem de seguir contra eles. E agora...


Katrina: E agora ela precisa de ti? E tu sozinho consegues fazer nada, mas acompanhado também não te sentes bem?


Anabell: Bem, é uma situação estranha.


Katrina: Eu compreendo.


Anabell: Sério?


Adam: Sério?


Katrina: Claro que sim.


Katrina se aproxima dele e da porta, ela empurra a porta a fechando, enquanto Adam solta ela que a tinha agarrada com a mão. Ele fica ainda com a mão levantada, e Kat o puxa por ela, e o aproxima do bando.


Katrina: Senta ai, vamos falar. Nós somos as tuas novas patroas.


Ela empurra ao de leve Adam, que não o afecta muito, mas chega para ele se sentar. Elas se voltam a reunir na secretaria enquanto falam com ele.


Anabell: Então, quais são seus problemas?


Adam: Psicológicos.


Anabell: Não era bem a isso que eu me referia...


Katrina: Então, James parece que mal renovou contigo pós PPV. Você renovou seu contrato? Você vai ficar nos ajudando?


Adam: Contrato?


Katrina: Sim, contrato. Dinheiro, trabalho. Tu é pago para isso, sem legalização tu não luta.


Adam: James me deixava lutar sem esse tipo de obrigação.


Anabell: Pera, tu é Part timer né?


Katrina: Por isso a gente não te podia demitir.


Adam: Onde querem chegar com isso tudo?


Katrina: Vou perguntar novamente, vai ficar aqui nos ajudando? E combatendo a Legião? Vai seguir o que a gente fala?


Anabell: É uma decisão que pode ser difícil, pode levar os dias que quiser para decidir, a gente não vai a lado nenhum.


Adam: Eu vou ficar.


Katrina: Então a gente realmente quer confiar em ti e te compreender melhor. Mas para isso precisamos que confie em nós também.


Adam: Eu não confio sequer em minha sombra.


Katrina: Então está na hora de mudar? Está na hora de desenvolver? Melhorar? Se formos as únicas pessoas no fundo a confiar em ti, então deve retribuir o favor.


Adam: Tudo bem. Podem contar comigo.


Anabell: Sim, mas como temos a certeza que és realmente de confiança?


Adam: Porque me fazem perguntas a mim? Sei de nada por aqui. Só vim chutar cabeças de gente maléfica.


Anabell: Sua mascara, esconde algo?


Adam: Minha cara.


Anabell: Porque não nos dá ela como sinal de confiança?


Adam: Mas eu só tenho essa.


Anabell: Também não era isso que eu queria dizer...


Katrina: Para de jogar joguinhos connosco Adam, a gente só quer te ajudar, queriamos apenas um pequeno voto de confiança, por mais pequeno que seja. Queremos saber quem és tu e de onde vies-te, quais as tuas intenções. Queremos que colabores conosco, porque infelizmente James não vai aparecer muito por aqui para que te possa ajudar.


Adam se levanta da cadeira, ele caminha um pouco até a elas, ele tira sua mascara e segura nela com suas mãos Katrina e Anabell olham o rosto dele e depois ficam olhando uma para a outra, e depois para ele assim que começa a falar.


Adam: Meu nome é Adam Rodrigues. Sou apenas um pequeno cidadão treinado nos estados unidos. Fui um rapaz com sonhos e aspirações, eu perdi muita coisa. Minha familia, minha casa, meu emprego, minha vida. Sou apenas um homem sem rumo, o espectro que apenas vagueia tentando manter ordem no caos.


Ambas ficam um pouco caladas enquanto o homem passa com a mão pelos cabelos.


Adam: Competidor apenas com experiencia nas Indys e na escola de wrestling. Porem com grande força de vontade, esperando um golpe de graças para que termine minha miserável e insignificante vida. E quando isso acontecer, eu só espero que seja pelo bem de alguém. E pelo bem estar de gente inocente.


Adam entrega sua mascara para Katrina.


Adam: Apenas um vigilante eterno, que finalmente foi preciso ser convocado. Um homem distorcido, o suficiente para achar que ser sacrificado por uma bruxa seria uma dádiva. Apenas mais um boneco, sem moral para ser um herói, mas com a vontade de ser um.


Adam: Porem o esforço será feito. Eu vou procurar a vossa heroína. Talvez ela me ajude a ser algo que eu não consigo. Um herói de verdade. Eu gosto dessa ideia. E eu vou deitar essa vossa Legião abaixo. Com ou sem ajuda do roster batata.


Adam volta a abrir a porta para sair, porem Katrina rapidamente coloca a mascara dele saltando em suas costas.


Katrina: Tá, tá. Não esqueça da sua mascara.


Anabell: E passe por aqui mais tarde, precisamos falar sobre seu futuro aqui na federação.


Assim que Kat coloca a mascara no homem se afasta, e Adam se dirige a saída. Promo se encerra.



 


 



★ Have faith in yourself. ★
avatar
♣ Kaoryy ♠

Mensagens : 111
Pontos : 119
Reputação : 10
Data de inscrição : 02/01/2017
Idade : 26
Localização : Berlim

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♣ Kaoryy ♠ em 30.08.17 15:43

– Quarta - feira. –

O vídeo se inicia mostrando algumas fotos da modelo em Zurique em passeio na semana do PPV logo depois mostram os melhores momentos da modelo dentro do ringue encerrando com a sua ultima vitoria em cima de Daniela. A imagem cortava para a sala do quarto de hotel onde a modelo estava hospedada mostrando o sofá preto com almofadas brancas, alguns quadros na parede no fundo podia se ouvir uma musica bem baixa das Littles Mix.  A modelo aparece sentando no sofá cruzando as pernas com um sorriso bem grande.

– Olá anjinhos. –

Ela falava em um tom animado e carinhoso mexia em seus cabelos enquanto sorria mostrava  total alegria.

– Sentiram falta de mim? Eu senti falta de vocês... Precisava de um tempo para cuidar do braço e tudo mais! –

A loira falava animada parecia que não estava incomodada ou irritada de não ter conseguido o titulo. Muito pelo contrario ela mostrava total certeza do que acontecia.

– Infelizmente eu não consegui ter o titulo isso me deixou com um pouco de raiva, mas depois eu me acalmei. Não vale a pena perder o controle e falar um monte de besteiras. É jogar palavras ao vento! –

A mulher falava com muita calma e com muita naturalidade.

– Narkissa querida não importa por qual motivo você luta, seja para quebrar os seus adversários ou para apenas manter a sua reputação de uma pessoa extremamente forte e poderosa. Não espero que aceite, falhei na minha tentativa de obter o titulo. Mas isso respondeu a muitas perguntas. E não espere que eu faça algo devido a travesseiros. Não pelo contrario minha cara Narkissa luta de travesseiros não faz de ninguém ser algo relevante nesta empresa faz? –

A mulher fazia uma expressão de dúvidas, e logo voltava a ficar seria e mesmo estando seria ela sorria gentilmente.

– Não se engane Narkissa, eu não preciso de grupos para me manter em pé! Ao contrario de você que precisa se unir a algo antigo para se sentir mais poderosa, já parou para pensar que pode ser usada? Ou você está fazendo a mesma coisa que fez com o King? Entenda de uma vez Narkissa. Ao contrario de você e de seus deuses inexistentes a força verdadeira se esconde naqueles que perseveram diante das dificuldades. – #FF1493] – Você não sabe o que é um som angelical, você não sabe o que é a verdadeira vitória... O verdadeiro poder... Você não entende o que é ser realmente poderoso! E eu sou sim um exemplo de força, esperança e luta! –

A modelo falava com confiança, e ao mesmo tempo estava feliz.

– Eu não sou uma heroína, não sou uma vilã. Eu não uma Deusa e muito menos um demônio, eu sou apenas um anjo que luta pelo que acredita que nunca desiste de seus objetivos. E o meu objetivo é o seu titulo! –

A mulher pegava uma garrafa de água e tomava um gole do liquido incolor enquanto ficava alguns minutos em silencio.

– Eu não sou modelo, não sou atriz! Sou uma garota rica que encontrou na luta livre a felicidade de ter algo por qual lutar, onde encontrou algum sentido por qual viver. Eu sou uma Wrestler eu luto pelo que eu acredito e não é você quem vai mudar isso! A Narkissa você usa argumentos falhos não me ferem, não chegam nem a coçar, agora vai se esconder atrás de Valugi como um cão com o rabo entre as cordas? –

– Achei que fosse uma Gardea, que resolvia as coisas sozinhas, agora virou uma verdadeira covarde ao entrar em um grupo? Acho que você não precisa de um homem velho para destruir uma simples anja precisa? –

– Tudo que você quer e que eu me torne uma covarde e aceite ser mandada por uma qualquer feito você? A punição vinda pelo meu Deus é mais que merecida sobre aqueles que se rebela contra ele. Da mesma forma como ele ama incondicionalmente, sua irá não tem limites. Mas não vamos falar de seus únicos argumentos Narkissa, novamente eu vou lhe dizer Narkissa, eu cheguei aqui sem nenhum amigo, eu fiz amigos aqui sim, porém não dependo deles para crescer ao contrário de você que precisou se unir a um grupo para se sentir querida! –

– Você só fala de dor, mas vamos pelos fatos Narkissa! Você se diz ser deusa do Súcubos, devoradora de homens por que precisa da atenção deles para se sentir desejada, impregnou na cabeça de um rei cujo o Ego e a arrogância é maior que a própria força que carrega. Agora esta a fazer a mesma coisa com Valugi dormindo com o Ceifador esperando a hora certa de dar o bote. –

– E muito pelo contrário Narkissa, eu não vou estar no mesmo lugar deles, por que quem se acovarda nunca sairá da lama, pelo contrário eu estou acima de você! Enquanto pensa que dá medo nas pessoas que vai impregnar na minha mente, Eu estarei sempre a um passo a frente. –

– Um verdadeiro campeão deve ver através de sua decepção! E você nunca vai entender isso por que está ocupada demais planejando me destruir e dormindo com Valugi! –

A modelo respirava fundo e logo depois sorria.

– Eu estou dizendo que Não importa o quão poderosa você é, o quão forte você é, eu sempre vou lutar não serei seu sacrifício e nenhum anjo vai me destruir, por que se você for mulher mesmo! Não vai deixar que o seu namorado termine o seu serviço... Você mesma poderá fazer isso! Porém eu não vou desistir. Ao contrário dos demais desistir não é uma opção, desistir significa aceitar o status que lhe foi dado e isso eu não vai acontecer comigo! Entendeu? –

A loira mandava um beijo para a câmera com um sinal de tchau!

– Até a próxima meus  anjinhos. Logo venho com mais novidades... –

A loira levantava colocando a mão na câmera e assim encerrava o vídeo!



Os dias vão passando devagar e as coisas encontrando seu lugar tudo muda, menos o que eu sinto por você

avatar
♣ Kaoryy ♠

Mensagens : 111
Pontos : 119
Reputação : 10
Data de inscrição : 02/01/2017
Idade : 26
Localização : Berlim

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♣ Kaoryy ♠ em 30.08.17 16:20

– Tarde de uma quarta-feira –

O vídeo inicia mostrando um quarto praticamente bagunçado as luzes estavam fracas a janela do quarto estava aberta indicando que ainda era de dia, o homem estava sentado na ponta da cama como de costume deste o seu primeiro vídeo, a face do homem estava mostrando confiança e ameaça. O homem olhava para a câmera fixamente seu olhar ameaçador seu sorriso de canto parecia que ele estava feliz.

– Alguém não andou prestando atenção! Eu entendo crianças como você Megan tem problemas para prestar atenção! De fato todos de Veneza ainda se lembram do garoto que matou uma professora, do homem que matou a esposa do pai por vingança! Eles trem medo e este era o pesadelo deles viverem tudo isso, mas eu nunca disse que traria o pesadelo disse? Ao contrario deste ser patético querer ser o pesadelo, eu sou a realidade, Eu não sou psicopata minha criança eu sou um demônio! –

O homem ria enquanto falava para ele era tudo tão divertido.

– Quer provas de que matei pesquise e irá descobrir que não copiei ninguém. Eu trarei o inferno até aqui, onde todas as crianças em fim poderão brincar livremente, eu sou o demônio que se vinga que se mata por motivos reais, não por diversão como este ser patético que aqui estava fazia! –

O homem volta a rir.

– Uma copia barata? Preste atenção garota eu estava preso dentro de uma mascara, eu estava preso dentro de uma vontade inútil e fraca. E ainda diz que sou uma copia barata? Entenda psicopatas matam por prazer e diversão sem motivos, eu mato por motivos eu sou a realidade e não preciso ser pesadelo de ninguém para provar isso rata imunda! E ao contrario rata eu não duvido desses deuses, mas tem algo que você insiste em querer saber. Eu desafiei a Violetty acho que ela pode muito bem lutar sozinha sem precisar se esconder atrás de uma rata feito você e do grupinho da destruição! Então antes de dizer que eu desafiei a Legião procure ver os fatos. –

O homem cruzava os braços e sorria para a câmera.

– Querida ratinha personalidades antes de entrar aqui eu pouco me importava para quem estava aqui, e acha mesmo que eu imploraria pela minha vida? Como alguém sem vida vai implorar por algo que não tem? Antes de me acusar vá pesquisar no Google ou em outro lugar a minha história e no fim veremos quem esta na razão quando eu atolar sua cara na lona! –

– Agora vamos para os fatos, alguém que nunca conta sua historia se prende no mundo onde somente ele conhece com medo de ser o que realmente é não é nada? Simplesmente nada? Querida estude psicologia por que alguém assim sempre esconde alguma coisa ou está se controlando. Sua amiguinha bruxinha não teve problemas em perceber isso agora você... –

– Agora criança diga, e responda como matar alguém que já esta morta? E novamente lhe digo eu desafiei Violetty não Legião. Não se meta nas brincadeiras alheias sem permissão seus pais não lhe ensinaram isso? Quando estiver com seu lindo rosto atolado no chão me diga o que irá fazer! Dores, e mais dores. Isso não me importa se, no entanto é você quem vai ser destruída. –

– Crianças como você tem imaginações férteis, e, no entanto cuidado por que se você quer mesmo devorar um demônio saiba que sangue de demônio tem veneno! Mas não se preocupe no final é o demônio que irá te destruir... E sobre minha vida ratinha pobre ilusão... Continue a me comparar com fracassos de outros palermas que são realmente psicopatas enquanto você brinca com isso. Eu preparo a sua destruição!  -

O homem se levanta e sai de cena deixando o lugar vazio enquanto a imagem escurece terminando o vídeo.



Os dias vão passando devagar e as coisas encontrando seu lugar tudo muda, menos o que eu sinto por você

avatar
♛ GiihHime ♛
Admin
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 403
Reputação : 259
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 22
Localização : Sodoma/Gomorra

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♛ GiihHime ♛ em 30.08.17 17:56

Quarta-feira em uma casa de repouso em Moscou.

Narkissa está dentro de um carro indo para uma casa de repouso ver sua avó, ela sentia tantas falta da mulher que mal podia se conter mesmo tendo medo do que a idosa podia lhe falar, ela não queria de verdade brigar com sua avó ela apenas queria ficar com ela e conversar sem brigas ou discussões bestas sobre Violetty, a Russa abandonou sua família então a avó estaria no direito de querer a cabeça da loira em uma bandeja de prata. Depois de algumas horas a loira sai do carro e olha o lugar a sua volta, era muito bonito, claro que era Narkissa pagava o melhor lugar do mundo para sua avó afinal ela merecia a loira até a recepção e falou com uma das enfermeiras que a levou para o quarto aonde estava sua avó, ao chegar lá a enfermeira deixou a loira sozinha que engoliu em seco antes de bater na porta.

Vovó Gardea: - Entra.

Narkissa abriu a porta devagar até ver a senhora ali, que ao ver a loira abriu um grande e emocionado sorriso.

Vovó Gardea: - Minha bonequinha russa.

A senhora abriu os braços e a loira correu abraçar sua avó com muito carinho.

Narkissa: - Olá vovó, senti sua falta.

Vovó Gardea: - Se tivesse sentido mesmo teria vindo me ver!

A senhora bateu com a bengala na cabeça da russa que reclamou da dor.

Narkissa: - Eu tentei só que agora eu não tenho tido tempo por causa do novo trabalho que tenho.

Vovó Gardea: - Eu vejo pela TV, você luta agora não é? Viaja pelo mundo a fora e tem até titulo.

Narkissa: - É eu tenho, e sim eu luto, eu sei que não era isso que vocês queriam para mim mas eu...

Ela foi interrompida quando levou outra porrada com a bengala

Vovó Gardea: -  Pare com isso Narkissa, você tem que fazer o que quiser fazer, eu só quero saber quando você vai me dar bisnetos.

Narkissa: - O que? Eu pensei que...Hein?

A loira pergunta confusa e rindo um pouco da reação da avó.

Vovó Gardea: - Você está surda querida? Eu quero saber dos meus bisnetos, pelo o que eu vejo você vive cercada por aqueles lutadores bonitos, impossível nenhum deles querer você.

Narkissa: - Vovó! Que coisa, é trabalho eu não...AI!

Enquanto ela tentava arrumar uma desculpa a idosa bateu novamente com a bengala na cabeça da loira e reclamou da porrada novamente.

Vovó Gardea: - Chega de desculpas! Eu estou velha querida você é minha unica neta e eu quero ver meus bisnetos antes de morrer.

Narkissa: - É complicado vovó.....

Vovó Gardea: - É complicado dormir com um rapaz bonito e engravidar? Me poupe né querida.

Narkissa olhava chocada para a reação da sua avó, ela parecia tão....para frente em seu tempo para dizer aquelas coisas para a loira que a faziam rir.

Narkissa: - Bom já que é assim não é por falta de tentativas.

Vovó Gardea: - Você não vai engravidar de nenhum daqueles palermas estrangeiros, eles tem genes fracos, não vão fecundar uma russa como as mulheres da nossa família.

Narkissa: - Vovó.....

Vovó Gardea: - É a verdade! Só um verdadeiro homem russo vai fazer um filho em você Narkissa! Nenhum estrangeiro vai conseguir, mas um macho russo de verdade vai conseguir, pode ver! Se você encontrar um ele vai me dar um bisneto ou bisneta antes que você se de conta.

Narkissa: -  Eu não apostaria nisso.

Vovó Gardea: - Pare de ser negativa, a família foi assim por anos, você é a sexta geração da nossa família minha bonequinha russa, vai encontrar um russo que me bisnetinhos antes da sua vozinha morrer.

Narkissa: - Eu não sei se sou uma boa mãe, e não quero apostar nisso.

Vovó Gardea: - Você está ficando velha princesa, tem que pensar em um namorado ao menos, falando em namorados....Quando vai me apresentar o Sr.Perfeito? Aquele que conquistou seu coração?

Narkissa: - Esse homem não existe ao menos para mim.

A loira se virou de costas para sua avó que fez uma expressão triste vendo a resposta vindo de sua neta, ela respirou fundo antes de falar algo.

Vovó Gardea: - Boneca russa, não faça isso consigo mesma não afaste as pessoas de você, decepções acontecem o tempo todo e com elas aprendemos, não seja como sua mãe e se torne o que se ela se tornou, seja diferente, você é linda, deixe as pessoas verem isso bonequinha, eu posso ver a tristeza em seus olhos Narkissa, você é importante pra mim e eu não te quero ver afastada novamente, perdida na solidão, não seja assim Narkissa!

A loira olhou para sua avó enquanto ela falava de forma dura com a loira, Narkissa trincou os dentes enquanto ouvia a bronca em silêncio até a senhora terminar.

Narkissa: - Sou uma boneca quebrada, ninguém quer algo quebrado.

Vovó Gardea: - Então deixem te consertarem.

Narkissa: - Hã?

Vovó Gardea: - Quando as bonecas quebram, você as leva consertar, deixem que te conserte se estiver quebrada meu anjinho. Você não está quebrada, está se culpando por coisas que não foram sua culpa, pare com isso nesse exato momento. Tudo o que aconteceu no passado não teve nada a ver com você, ou com a sua irmã....As coisas são assim mesmo, pare com isso de quebrada ou sem valor pois são mentiras! Você é uma boneca bailarina entendeu?

Narkissa: - É....Eu entendi....Mas mesmo assim eu me acho quebrada.

Vovó Gardea: - Eu que vou te quebrar se continuar com essas besteiras depressivas!

Narkissa riu do comentário da sua avó e se aproximou dela se sentando na cama.

Narkissa: - Eu vou parar de afastar os outros, pela senhora ok?

Vovó Gardea: - Faça isso mesmo, aproveite e da próxima vez que vier me ver que seja com um namorado ou um filho.

Narkissa: - Ah claro, farei isso pode deixar.

Certo silêncio pairou sobre as duas mulheres ali, até a avó decidir quebrar-lo.

Vovó Gardea: - Querida, posso te pedir uma coisa?

Narkissa: - O que quiser vovó.

Vovó Gardea: - Eu quero ver a Violetty.

A Russa olhou chocada para sua avó, ela não esperava por aquilo ninguém da família gostava da Bruxa.

Narkissa: - Pensei que não gostasse dela.

Vovó Gardea: - Eu a amo, ela é minha neta assim como você, eu fui cega por muitos anos a culpando pela morte da sua mãe, mas, quando eu vi vocês juntas naquela lutinha, quando eu vi que eu perdi minhas únicas netas das quais criei eu vi que ela não tem culpa de nada, ela era só uma criança e eu senti falta dela também.

Narkissa ficou tão feliz com a resposta da sua avó, que teve que segurar as lágrimas.

Vovó Gardea: - Ela ainda é tão linda minha pequena pocahontas, naquela noite quando levaram a Violetty eu perdi não só minha neta, eu perdi você também, perdi a Violetty, e perdi sua mãe, depois daquilo minha filha entrou em um depressão profunda e você se tornou um monstro solitário que abomina as pessoas, e a Violetty se tornou aquilo que essa maldita família a chama, eu pedi e implorei para o seu pai tantas vezes para trazê-la de volta, e ele sempre rígido e sério dizia que não, mas via como ele sofria em silêncio, estava em seu olhar.

Narkissa: - Vovó.....Isso é passado....

Vovó Gardea: - Seus pais a amavam Narkissa, eles também amavam a Violetty, vocês eram as jóias da família, mesmo depois de tudo eles ainda queriam sua irmã de volta, eles iam a vê-la quando ela estava sedada no hospital, sua mãe morreu porque perdeu as duas filhas preciosas dela, seu pai fez o que fez para proteger você e Violetty, e no processo perdeu tudo, não os culpe, não guarde todo esse rancor em seu coração, não se lembre daquela noite como uma coisa ruim, você e ela sempre foram muito unidas, eu adorava pentear aquele longo cabelo preto da sua irmã, ela é tão importante pra mim como você.

Narkissa: - Eu trarei ela para a senhora ver. Eu não sabia de nada disso, pra mim os meus pais odiavam a Violetty e tiraram tudo o que lembrava ela de mim, e da nossa vida.

Vovó Gardea: - Obrigada minha querida, seus pais sofriam por ter que a deixar lá, eles não queriam lembrar, assim como você não quer, eu só quero te ver sorrindo e feliz com alguém assim com você estava com aquele encrenqueiro de cabelo colorido, eu vi que vocês lutaram e ele te machucou pra valer, até um rapaz bonito vir te salvar.

Narkissa: - Entendo, não vou deixar esse vazio me consumir vovó, obrigada por ter me dito isso eu realmente precisava ouvir essas coisas porque não os perdoava por serem tão maus e frios em relação a Vio. Eu sei, tivemos uma discussão e o rapaz faz parte do grupo que eu e a minha irmã está.

Vovó Gardea: - Então quer dizer que vocês não estão juntos? Você e o Havoc?

Narkissa: - Não, com certeza não estamos, bem que eu gostaria mas, as coisas mudam.

Vovó Gardea: - E qual o nome do rapaz que você está paquerando agora? O que veio te salvar.

Narkissa: - Eu não estou paquerando ele, apenas estamos no mesmo grupo, e o nome dele é Valugi.

Vovó Gardea: - Aham sei, e um cara vem correndo te ajudar daquele jeito porque vocês apenas fazem parte do mesmo grupo? Engraçado quando eu caio nenhum velhinho bonito vem correndo me ajudar. Valugi, ele é italiano?

Narkissa: - Ahh Vovó pelos Deuses! Pare com isso, não ele é inglês.

Vovó Gardea: - Dizem que os ingleses são homens frios, cuidado minha boneca linda, eu quero conhecer esse rapaz, traga ele para me ver.

Narkissa: - Ficou louca?? Nem ferrando farei isso, ele não é meu namorado para conhecer minha família ainda mais você.

A Russa acabou levando outra bengalada da sua avó desta vez na barriga a fazendo arquear para frente com a dor.

Vovó Gardea: - Para de afastar as pessoas Narkissa, por Cristo você sempre foi assim! Afastando seus namorados com medo de ter uma relação forte com alguém, se você não me trazer para conhecê-lo eu mesma irei atrás dele. Pode decidir.

Narkissa: - Minha barriga.....

Vovó Gardea: - Para de chilique menina.

Narkissa: - Eu vou ver se ele vai querer vir te ver......

Vovó Gardea: - Lógico que ele vai querer, ele não é nenhum idiota, apesar de eu ainda querer você com um homem russo não posso reclamar.

Narkissa: - Eu tenho um paquera russo vovó, o nome dele é Sudz.

Vovó Gardea: - Sudz? Isso é nome?

Narkissa: - Vladmir, o nome dele é Vladmir Koslov, ele é legal eu gosto dele.

Vovó Gardea: - Agora sim um Russo de verdade! Obrigada senhor por iluminar minha neta.

Narkissa: - Para com isso.

Vovó Gardea: - Com esse sim vou conseguir ter bisnetos, um homem russo de verdade vai conseguir fecundar esse ovário ai para me dar lindos bisnetinhos russos antes de eu morrer.

A idosa pegou e passou a mão na barriga da loira que balançava a cabeça em total negação com as palavras vindas de sua avó.

Narkissa: - Ele não vai fazer nada disso, eu não quero ter filhos com ele ou com ninguém ao menos não por um bom tempo, e ele não gosta muito do meu jeito ou das minhas atitudes então....

Vovó Gardea: - Parece sua mãe falando, tudo bem, porém ainda quero conhecer esse tal de Valugi que fica tão preocupado com você sem vocês terem nada.

Narkissa: - Ele gosta da Violetty também viu.

Vovó Gardea: - Mais um motivo para gostar dele, agora sim quero falar com ele de verdade.

Narkissa: - Maldita boca grande.....

Narkissa colocou a mão sobre o rosto enquanto sua avó dava risada, e o pior era que a loira sabia que a mulher cobraria ela para ter a visita do ceifador, o que seria um problema. Narkissa ficou com sua avó por mais algumas horas conversando sobre as coisas até dar a hora dela voltar para casa, e dessa vez quando ela entrou no carro seu coração não estava mais pesado, ela não sentia mais raiva ou rancor de seus pais ou dos ocorridos, apenas uma tristeza grande em seu peito, o que a fazia se sentir melhor consigo mesma e feliz por poder trazer sua amada irmãzinha para ver a avó delas.



♰ Our love is violent, it is obscure, it is obsessive, it is chaotic, we suffer because of it, but ... We like that sweet pain. ♰
avatar
valugi

Mensagens : 84
Pontos : 156
Reputação : 78
Data de inscrição : 19/01/2017
Idade : 28

Re: Prome Aqui!

Mensagem por valugi em 30.08.17 22:38

Essa promo aconteceu antes da viagem da Narkissa

As Gardeas estavam no parque juntamente com Megan, Violetty trazia um suco para todas, ela dava um beijo na testa de Megan, fazendo Narkissa olhar feio para ela

- Narkissa eu já lhe incomodei alguma vez?

- Não

- E porque você sempre me evita?

Violetty ficava olhando para as duas meio sem saber o que fazer, a Russa tomava um gole do suco, quando ia falar Valugi chegou

- Pelo jeito Violetty você convidou a Legião toda

- E melhor assim Naki

- Violetty você pode deixar eu a Naki a sós

- Claro, vamos Meg Meg

A Bruxa pulou nas costas de Megan que levava ela para o parque

- Ainda está com raiva de mim Valugi

- Não, mas o suco está bom?

Quando ele falou isso Narkissa começou a se sentir tonta e desmaiou nos braços de Valugi

algumas horas depois

A Russa acordava presa a uma cama, com Valugi olhando para ela

- O que você vai aprontar agora Valugi, você sabe que minha irmã vai sentir minha falta

- Eu não acho isso

O lutador Inglês ativa um audio com a voz de Violetty

- Curta com minha irmãzinha antes dela viajar.

Narkissa fazia uma cara como se não ligasse

- O que você vai aprontar então Valugi?

O Ceifador se aproximou de Narkissa pegou uma injeção e jogou longe

- Nada

- Como assim?

Narkissa ficava assustada enquanto Valugi desamarrava ela

- Violetty me falou que você vai reencontrar sua família na Russia e que estava um pouco tensa

- Essa minha irmã não sabe ficar calada

- Ela fez isso pelo seu bem

- Mas o que você quer Valugi?

- Quero que você confie em mim

A Russa olhava estranho para ele

- Não é fácil você não sabe tudo que eu passei

- E você sabe tudo que eu passei? E sim, confio em você com minha vida, fazendo parte desse grupo que é minha vida

Ela olhava desconfiada, Valugi puxava uma faca

- Você sabe que eu confio tanto em você e como em sua irmã, sempre que precisarem podem contar comigo

Narkissa ficou meio sem jeito

- Vamos dizer que confio um pouco em vocês, já que estou deixando minha irmã para vocês cuidarem

- Será um prazer cuidar da Bruxa, mas ainda assim quero sua confiança

O Inglês se aproxima da russa e beijou na testa dela, que ficava um pouco vermelha.

- Boa viagem Narkissa, quem sabe na próxima vez façamos algo mais do que um beijo na testa

- E a faca?

- Trate como um presente.

O inglês saia do quarto e Narkissa percebia que estava no próprio quarto com as malas prontas.



avatar
✡ MadameZombie ✡
Admin
Admin

Mensagens : 189
Pontos : 549
Reputação : 332
Data de inscrição : 31/12/2016
Idade : 21
Localização : Salém

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ✡ MadameZombie ✡ em 31.08.17 5:47

Tarde de quinta-feira em Moscou

A morena se levantava no hotel e passava a mão do lado da cama ela estava sonolenta ainda a mulher ia apalpando como se procurasse alguém ela abriu um dos olhos e passou a mão nos cabelos os colocando para trás

Violetty: - Naki? Onde você está?

A morena sentou na cama mas ai ela viu que estava sozinha no quarto do hotel a irmã estava na casa da família estava tão acostumada com a irmã ali que achava estranho acordar sem ela a morena se levantava e ia tomar um banho ela se trocava e olhava pela janela do hotel estava com a cabeça pesada Eles estavam falando demais aquele lugar a deixava triste ela bateu de leve a cabeça na vidro e fechou os olhos suspirando pesadamente até ouvir o celular com uma mensagem da irmã ela sorriu animada Narkissa falava que estava indo até o hotel a bruxa saiu correndo pelos corredores apertando o botão do elevador de forma rápida e violenta até enfim chegar no hall a loira já estava ali a bruxa foi correndo e pulou no colo da irmã que a segurava

Narkissa: - Olaaa minha irmãzinha estava com saudades de você

Violetty: - Não mais que eu não quero mais ficar sozinha senti tanto sua falta

Narkissa: - Você sabe que poderia ter ficado com a Valugi ou até mesmo a Megan mas isso não importa eu e você estamos juntas e eu quero te levar até um lugar

Violetty: - Onde? Eu quero saber diz diz diz

A bruxa pulava no chão novamente e olhava par a irmã e caminhava para a saída de mãos dadas com a morena

Narkissa: - Te conto no caminho vai ser divertido tenho certeza

Violetty: - Certo vou chamar um táxi pra gente

A loira segurou a bruxa pelo braço ela olhava par a irmã um tanto surpresa pela atitude

Narkissa: - Você tirou a carta de moto porque não alugamos uma e vamos? Acho que vai ser uma boa experiência para nós duas  

Violetty: - Vai ser foda demais você é a melhor Naki

Narkissa: - Eu sei

A loira jogou o cabelo no rosto da irmã brincando com ela as duas riram e foram alugar uma moto obviamente a bruxa escolheu uma preta sua cor favorita Narkissa agarrou com todas as forças que tinha na irmã

Violetty: - Eu preciso respirar sabia?

Narkissa: - Não você precisa dos seus olhos e ninguém aqui respira pelos olhos

Violetty: - Se a gente morrer espero que a Megan cuide bem da minha coleção de botas  

Narkissa: - Merda....minha coleção não vai ser nada útil para o Valugi

Violetty: - Dá pra Katrina ou pra Anabell

Narkissa: - Elas tem cara de quem precisa mesmo

Violetty: - Menos a mexicana piranha ela gosta de pokémon´s

Narkissa: - Bem o tipinho dela papa anjo talarica

As duas irmãs começaram a rir até a bruxa ligar a moto Narkissa agarrou ela mais forte e a bruxa deu uma risada maldosa e arrancou com aquilo a morena estava correndo demais ela parecia perdida no que fazia as duas gritaram juntas até a bruxa tentar pegar o jeito

Violetty: - A GENTE VAI MORRER!

Narkissa: - EU SEMEPRE QUIS MORRER FAZENDO SEXO! E NÃO NUMA MOTO!....só se eu tivesse fazendo sexo numa moto ai sim

Violetty: - Eu já fiz isso mas não tem como morrer só ficar equilibrada

Narkissa: - Foi com o Ken né safada? Eu lembro que me contou

Violetty: - Hahahaha saudades daquela moto

A loira deu um tapa na cabeça da irmã enquanto ria a morena acabou pegando o jeito depois de um tempinho estava mais tranquila Narkissa ia falando o caminho e a mulher ia seguindo até parar numa casa de repouso a bruxa encarou a irmã cerrando os olhos

Narkissa: - Tá eu sei o que pode parecer mas ela me falou que queria te ver e eu sei o quanto sente falta dela você ficava muito com ela

Violetty: - Mas mas eles me odeiam

A bruxa falava em um tom choroso e ficava olhando para baixo até a loira segurar o queixo da irmã e a fazer olhar para si

Narkissa: - Confia em mim você sabe que eu jamais te levaria em algum lugar que te fariam mal eu te protejo com a minha vida e nunca ninguém jamais vai te machucar de novo enquanto eu respirar

A bruxa sorriu e deixou a irmã descer da moto descendo em seguida a bruxa passou a mão na roupa e parecia mais quieta que o normal enquanto a loira ia abraçada na bruxa ambas entraram no lugar a morena ficava olhando tudo em volta parecia um pouco ansiosa e preocupada a respiração dela aumentou o ritmo estava quase tendo um ataque de pânico  

Narkissa: - Calma é a nossa avó eu vou ficar aqui para vocês conversarem melhor e tudo vai ficar bem eu vou estar bem aqui pertinho de você

As duas se abraçaram e a bruxa abriu a porta entrando ela via avó sentada a morena não falou nada apenas ficava ali parada em choque a senhora olhou para a bruxa que apenas mexia os dedos olhando timidamente

Vovó Gardea: - Quando fazia essa cara conseguia tudo o que queria do seu pai era infalível

A senhora abriu os braços e a morena com os olhos cheios de lágrimas foi correndo e abraçou com força a avó que retribuía o abraço passando a mão nos cabelos da bruxa

Vovó Gardea: - Ohh querida também senti sua falta e desses cabelos sua mãe sempre me falava o quanto gostava e queria ter o cabelo lisinho assim

A bruxa riu limpando as lágrimas enquanto a avô segurava uma madeixa do cabelo da morena

Violetty: - Eu lembro dela tentando fazer igual mesmo o cabelo dela sendo tão lindo e macio  

Vovó Gardea: - Era mesmo mas fazer o que? Ela puxou meu cabelo que são lindos mesmo eu faço muita inveja nessas múmias que andavam pelos corredores

Violetty: - A senhora com certeza deve ser a mais bonita daqui essas velhotas não são nada perto da senhora

Vovó Gardea: - Não são mesmo mas sabe como é falam que as mulheres ficam velhas mais rápido é porque não viram aqui ver esse bando de homens caídos se é que me entende

A bruxa começou a dar risada não acreditava no que estava ouvindo da própria avó mas avó pegou a bengala e bateu na cabeça da bruxa com força a morena reclamou colocando a mão no local

Vovó Gardea: - Isso é por vir sozinha

Violetty: - Sozinha? Mas como? Não entendi

Vovó Gardea: - Cadê seu homem? Aquele loiro alto...o casado nada boba minha netinha os casados são os melhores dê uma chave de perna russa nele nenhum homem resiste

Ela dava com a bengala de leve na bruxa a cutucando a morena bateu com a mão na testa

Violetty: - Desde aquele problema que tive ele foi embora eu não vejo mais ele não ficamos juntos

Vovó Gardea: - E o outro? Que parece um  bichinho..cabra?...hmmm...ovelha?

A bruxa ficava olhando para a avó que falava até ela começar a rir balançando a cabeça

Violetty: - Meu bodinho?

Vovó Gardea: - Esse mesmo...porque chama ele assim? Isso é horrível

Violetty: - Ele também foi embora…

Vovó Gardea: - Não me admira com esse nome até eu iria querer me esconder

Violetty: - O nome dele é Filipe Bé

Vovó Gardea: - Meu Cristo cabrinha é melhor

Violetty: - Bodinho vovó é bodinho

Vovó Gardea: - Tanto faz continua animal....e o outro rapaz que te vi esses dias? Você ajudou ele contra um homem todo tampado

Violetty: - Jiggy? Eu e ele...é complicado

Vovó Gardea: - Ele é gay?

Violetty: - Não! Claro que não

Vovó Gardea: - Então não tem nada complicado vai lá e engravide

A bruxa ficou boquiaberta olhando a avó que parecia mesmo estar falando sério até ouviram a risada de Narkissa lá fora  

Vovó Gardea: - Você não existe pra mim até trazer o inglês aqui

Narkissa: - Merda....

Dava para ouvir a loira lá fora resmungando

Vovó Gardea: - Olha a boca e não resmungue parece uma velha não me surpreende que está sozinha ranzinza desse jeito

A morena começou a rir até receber uma bengala nas pernas

Vovó Gardea: - E você? Eu quero bisnetos trate de engravidar e logo está cheio de homens lá pegue um

Violetty: - Não é tão fácil assim vovó eles são chatos

Vovó Gardea: - Como falei estrangeiros são prestam tem que ser um russo peguem um macho russo e viril e engravidem dele minha bonequinha vai engravidar do Shucrutz algo assim

Violetty: - Sudz? Ela vai engravidar do Sudz?

A bruxa olhou para a porta e ela quase via Narkissa tentando se matar com o soro de alguém até ela olhar para a avó de novo

Vovó Gardea: - Vai  ou do inglês mas com certeza quem vai conseguir vai ser o russo e você siga o exemplo da sua irmã

Violetty: - Mas só tem o Sudz lá e a gente não se dá muito bem

Vovó Gardea: - Então engravide do homem cabra

Violetty: - Bode...e eu não sei ele voltou e não fala comigo

A bruxa levava uma bengalada na barriga

Vovó Gardea: - ENGRAVIDE!

Violetty: - Depois dessa vai ser difícil

A bruxa colocava a mão na barriga enquanto se encolhia um pouco

Vovó Gardea: - Pare de reclamar mulheres russas tem ventre forte use esse dom e me dê bisnetos seja com o ovelhinha ou o Ji...Ji...qual é mesmo o nome?

Violetty: - Jigglypuff mas o nome dele é Júnior só que não gosto de chamar ele assim ou não tenho costume

Vovó Gardea: - Chame ele de marido e engravide

Violetty: - Não sei se ele quer ser pai eu nem quero ser mãe eu e ele nem temos nada confirmado

A avó levantou a bengala e a bruxa se escondeu

Vovó Gardea: - Fure a camisinha distraia ele funcionou com seu avô dê seu jeito e não me venha com essa desculpa de não querer ser mãe eu preciso de bisnetos antes de morrer e filhos confirmam qualquer coisa isso serve para as duas

Violetty: - E tem a Megan

Vovó Gardea: - Megan não é nome de homem

A bruxa bateu a cabeça de leve na própria mão ela tinha deixado escapar

Violetty: - Não é um homem….

Vovó Gardea: - Ela é russa?

Violetty: - Não ela é inglesa

Vovó Gardea: - Adote russos então

A morena estava em choque vendo como a avó estava ela pensava muito além de sue tempo a bruxa nem conseguia pensar direito com tantas coisas sobre filhos e marido

Vovó Gardea: - Deixando de lado a incapacidade de vocês de terem maridos e filhos fico muito feliz que tenha vindo me ver você se tornou uma linda mulher como eu sabia que seria e me enche de orgulho ver você e sua irmã lutando juntas e ate mesmo separadas não esqueçam de me visitar

A morena sorriu e se sentou ao lado da avô que pegou um pente na cabeceira da cama e começou a passar pelo cabelo da bruxa

Violetty: - Eu vou vir sempre que puder estava com saudades da senhora

Vovó Gardea: - Ajude a sua irmã a se abrir mais não deixa ela virar aquela mulher rancorosa enquanto a você continue essa menina especial  você é diferente mas isso nunca foi defeito eu que fui cega demais para ver o quão especial minha neta é continue assim

Violetty: - É muito importante pra mim ouvir isso

Vovó Gardea: - E tragam pra mim conhecer esse Valugi OUVIU NARKISSA?

Narkissa: - Eu ouvi já sei já sei

A mulher falava do outro lado da porta com uma voz um pouco desanimada

Vovó Gardea: - E você vai me trazer essa Megan ou o rapaz de nome estranho

A bruxa apertou a boca colocando a mão no rosto em negação até ter o cabelo puxado

Violetty: - Tá bom tá bom eu trago ele aqui e a Megan vem com o Valugi

A avó delas sorriu e mandou Narkissa as três passaram horas e horas conversando até que ficou muito tarde e a avó delas precisou ir dormir as duas foram embora Narkissa preferiu chamar um táxi para ir pra casa enquanto a bruxa pegou a moto e foi para e voltou para o hotel



♦️ You're lookin' crazy and you're lookin' wrong
We look like we belong ♦️

avatar
♣ Kaoryy ♠

Mensagens : 111
Pontos : 119
Reputação : 10
Data de inscrição : 02/01/2017
Idade : 26
Localização : Berlim

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♣ Kaoryy ♠ em 31.08.17 21:10

– Quinta-feira a noite (promo Off) –

Era uma noite de quinta feira quando Leigh chega todo suado da academia, ele olha para sua mãe que decidiu acompanhá-lo a mulher se aproxima do filho com uma expressão preocupada e zelosa, ela estava com alguns salgados que havia comprado, e olha para o filho com ternura!

– Por que me olha desta maneira? –

Exclamou o homem indo em direção ao seu quarto, sua mãe por sua vez foi atrás do italiano e ficava em pé o vendo tirar seus calçados.

Mãe – Perché? (Por que) Perché voltar a ser agressivo? –

O homem olhava para a mãe preocupada chegava perto dela e lha acariciava o rosto!

Leigh – Madre! Eu estava implorando para sair da toca! Eu precisava sair da toca me libertar. Achas que estava feliz sendo daquela maneira tão fútil? Eu estava sozinho preso dentro de mim mesmo! –

Mãe – Eu tenho medo de que perdas o controle e mate alguém novamente. –

Leigh – Eu não preciso ter limites. Eu só preciso que você fique feliz e intacta. Pois se alguém a machucar eu mato como fiz com aquela vagabunda que se casou com meu pai! –

Mãe – Nem tudo se resolve na morte Leigh. O que fará com eles se te irritarem mais do que já está? Irá matá-los? Eu sei que você não quer ser assim então não seja! –

Leigh – Eles podem falar o que quiser de mim, por que minha alma já esta sendo consumida no inferno! A cada respiração eu sinto que estou sendo engolido pelo caos. Eu aceitei o que eu sou. Um monstro que não sabe resolver as coisas em uma conversa como você e meu pai faz! –

Leigh – E se for preciso eu irei matá-los. Mas no momento não farei isso! Minha vida está indo bem e não preciso ser quem você quer que eu seja! –

Mãe – Você não precisa ser este monstro, não precisa humilhar as pessoas e muito menos ameaçar elas. O que essa menina fez para você? Ajudou a amiga dela e por isso ta com raiva? Ninguém vai gostar de você desta maneira Leigh! –

Leigh – Não preciso? Tenho que ser o filho exemplar que viu sua mãe chorar por tantos anos por que um filho da puta largou sua verdadeira família para cria outra família de bastardos com uma baba imunda? Eu não aceitei aquilo, como não aceito que aquela rata imunda se meta nos meus assuntos. Ela se intrometeu com aquele nariz ingerido e atrapalhou os meus planos e a signora (senhora) quer que eu aceite isso? Não! Eu matarei a rata se for preciso na frente de todos! –

Mãe – Seu pai me largou para ser feliz, pois não era feliz comigo não mais. Mas nunca lhe abandonou! Ele queria mais filhos e eu não podia ter mais nele foi ficando infeliz eu entendo. Mas não o culpe por se apaixonar por outra pessoa! Seus irmãos não são bastardos são órfãos, são seus irmãos mostre pelo menos respeito por eles! Eu exijo Leigh! Você não vai fazer nenhuma mal aquela garota que me parece tão adorável! –

O italiano parecia estar nervoso e explosivo andava de um lado para o outro inquieto. Pegou o abajur do quarto do hotel onde estavam hospedados e o largou no chão quebrando-o na esperança de se acalmar.

Leigh – Ele não tinha o direito de abandoná-la de largá-la como se fosse um lixo, ONDE ESTAVA O RESPEITO DELE POR VOCÊ QUANDO NOS LARGOU? –

O homem desta vez gritava com a própria mãe o homem estava enfurecido queria quebrar alguma coisa pegava qualquer coisa e tacava no chão, ele socava as paredes.

Leigh – ELE ME ABANDONOU QUANDO DECIDIU FICAR COM AQUELA DESGRAÇADA E FIZER FILHOS COM ELA! EU ESPERO QUE ELA ESTEJA QUEIMANDO NO INFERNO, POIS QUANDO EU CHEGAR LÁ EU IREI ADORA VÊ-LA SOFRENDO! EU NÃO RESPEITO VERMES ELES NÃO SÃO MEUS IRMÃOS! EU RESOLVI O SEU PROBLEMA EU TE VINGUEI E DEVERIA TER MATADO AQUELES VERMES TUDO ALÉM DESSE INFELIZ QUE EU CHAMO DE PAI! –

Leigh – E é assim que me agradece? Ham? Agradece-me dizendo para aceitar filhos de um traidor? Dizer que são meus irmãos? Eu renego essa semelhança maldita de familiaridade e essa paternidade imunda! Acha-se ela tão adorável experimente ficar perto dela, para você vê SE NÃO A MATO NA SUA FRENTE. –

Mãe – Você não grita comigo, ta pensando que eu tenho medo de você rapaz? Você fez errado em agir daquela forma, você é a única razão da qual eu permaneço viva até hoje. Pare pense nas conseqüências dos seus atos de suas palavras. Pense em mim! –

Leigh – Eu fiz o que é certo! Eu fiz por ti e faria novamente. Ninguém te machuca e sai impune. É assim que as coisas funcionam comigo. Chega de sermões inúteis! –

O homem ia para o banheiro tomar banho enquanto sua mão sentava na cama e ficava a pensar no que havia feito de errado, no por que toda vez que se irritava ou ficava abalado agia desta forma, após de um tempo o homem sai do banheiro com a toalha cobrindo as partes baixas, enquanto a mulher o olhava com olhar triste.

Leigh – Não fique assim. Eu fiz o que tinha que ser feito, madre você é importante para mim! Não vou permitir que lhe machuquem. Eu não tenho mais concertos eu sou o que sou e devo aceitar o meu destino. Eu sou um assassino e esconder isso é mentir para mim mesmo. Quer que eu seja forte? Então me deixe ser eu mesmo... –

A mulher se levantava enquanto o homem a abraçava, e neste momento a mulher chorava, o italiano logo em seguida enxugava suas lagrimas e sorria docemente para a mãe. Tentando confortá-la! Logo a mulher deixava o homem sozinho para se trocar e enquanto estava na por ta do quarto o olhava e sorria timidamente.

Mãe – Espero que você pelo menos encontre o equilíbrio do que é bom e ruim! –

Ela saia do quarto deixando o homem se trocar, ele terminava de se trocar ficando apenas de bermuda e deitava na cama pensando, enquanto  caia no sono aos poucos.



Os dias vão passando devagar e as coisas encontrando seu lugar tudo muda, menos o que eu sinto por você

avatar
♛ GiihHime ♛
Admin
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 403
Reputação : 259
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 22
Localização : Sodoma/Gomorra

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♛ GiihHime ♛ em 31.08.17 22:25

Noite de quinta-feira em Moscou.


Narkissa estava em sua casa até receber uma mensagem no celular, ela abriu e viu que era do Ceifador ele estava querendo a encontrar para conversar, a mulher respondeu a mensagem e respirou fundo deixando o celular em cima da cama, ela já tinha ido ver sua avó junto de Violetty além de ir ver alguns parentes contra a sua vontade e quase matar um deles com o salto da sua bota, ela colocou um vestido preto, pois estava um pouco frio lá fora afinal...Era a Russia, estava sempre frio. Ela não quis ir com seu carro e preferiu pegar um taxi que a levou até o hotel aonde ele estava esperando. Narkissa desceu do carro e entrou no saguão do hotel e mandou uma mensagem pra ele do celular, mas o viu em pé perto da recepção a mulher foi até ele.

Narkissa: - O que foi dessa vez?

Valugi: - Oi para você também.

Narkissa: - Fala o que foi? Aconteceu algo com a Violetty?

Valugi: - Não, eu só queria falar com você, não precisa ser tão grossa.

Pela cara da mulher o inglês viu que pelas roupas e pelo jeito como estava falando não era a maneater ali, estava seria demais para ser ela.

Valugi: - Boneca....Que bom falar com você, eu acho.

Narkissa: - Guarde suas cantadas para a devoradora, o que queria falar comigo? Vá direto ao ponto.

Valugi: - Bom eu queria ir jantar, mas, eu não entendo nada do que está escrito nos lugares, pensei que poderia me ajudar.

Narkissa: - Violetty também sabe falar russo.

Valugi: - Eu sei, mas ela não está no quarto e não responde as mensagens, se não quiser eu entendo.

A mulher olhou para cima pensativa e depois para o inglês, não custava nada sair com ele, mesmo que seu humor para isso esteja lá em baixo. A mulher concordou com a cabeça para ele.

Narkissa: - Tudo bem, vamos eu conheço um lugar.

O inglês sorriu para a mulher que deu as costas e foi caminhando para fora do hotel, estava frio, ainda tinha neve no chão e ela usava vestido, mesmo que ele fosse quente, ela não parecia estar com frio.

Valugi: -  Você....Não está com frio Narkissa?

Narkissa: - Ah, eu nasci e fui criada aqui nesse clima então estou acostumada, precisa bem mais que isso para eu colocar roupas mais quentes.

A russa chamou um táxi e quando foi entrar o ceifador abriu a porta, com isso conseguiu tirar a seriedade do rosto da loira que sorriu antes de entrar no carro, ele entrou também e mostrou para o motorista um endereço no celular.

Narkissa: - Пожалуйста, примите нас к этому адресу.

O motorista sorriu e concordou com a cabeça, ela se arrumou no banco do taxi olhando o carro andar.

Valugi: - Aonde vamos?

Narkissa: - Um restaurante que eu conheço, ele é muito bom e não é tão caro a ponto de você precisar fazer uma reserva de 5 anos antes.

O ceifador riu e logo ela ficou seria novamente, essa personalidade era mais difícil de se lidar que a devoradora pois ela era muito quieta e seria, ele teria de dar um jeito de trazer a outra a tona pois com essa não teria muita conversa. Após alguns minutos eles chegaram em um restaurante, não tinha muita gente, a mulher pagou o táxi e novamente o ceifador abriu a porta para ela descer.

Narkissa: - Obrigada.

Valugi: - Disponha.

Ela sorriu para ele e entrou no restaurante já indo falar com a recepcionista do lugar, depois de uns segundos de conversa a mulher levou os dois para uma mesa perto da janela e entregou o cardápio para ambos.

Valugi: - Narkissa?

Narkissa: - Sim?

Antes de falar ele podia notar a diferença na mulher, ela olhava para o cardápio com certo desinteresse, o silêncio estava gritante ali entre eles dois, até o homem respirar funda e terminar sua frase.

Valugi: - Eu não entendo o que está escrito.

Quando a mulher foi olhar para ele o homem mostrou o cardápio todo escrito em russo, ela teve de segurar o riso antes de falar alguma coisa.

Narkissa: -  O que você quer comer? Eu faço o pedido.

Valugi: - Tem algo bom no cardápio? Algo não muito.....Diferente.

Narkissa: - Compreendo. Verei o que tem de menos estranho para você.

Valugi: - Não vai comer comigo?

Narkissa: - Irei sim.

Ela deu uma resposta totalmente seca, aquele clima era desconfortável, depois de olhar as opções de comida ela voltou o olhar para ele novamente.

Narkissa: - Tem algumas comidas tipicas que são muito boas, e não são estranhas.

Valugi: -  Quais?

Narkissa: - Frango a Kiev, Solyanka, Estrogonofe, e Pelmeni, tem mais alguns quer que eu traduza?

Valugi: - Não, não será necessário, qual desses você prefere?

Narkissa: - Eu gosto de todos, mas o frango a Kiev e a Solyanka são muito bons.

Valugi: - Escolhe um desses então. Irei confiar em você.

A mulher apenas olhou para o inglês a sua frente e chamou a garçonete, a loira fez os pedidos e novamente ficou o silêncio entre os dois enquanto a russa mexia no cardápio, logo chegou a comida junto de um vinho, ela havia pedido frango a Kiev, era melhor que pedir uma sopa picante para o homem, o garçom serviu o vinho para eles e o resto do jantar foi....Quieto, sempre que ele tentava conversar ela dava respostas curtas cortando o assunto ou simplesmente parecia não se importar com o que ele tinha a dizer. Ao final do jantar ela pediu a conta.

Valugi: - Eu pago.

Narkissa: - Eu pago, não vou discutir sobre isso.

Ele passou a mão sobre os cabelos tentando manter a calma perante o claro descaso da mulher com o "encontro" deles, ela pagou com o cartão e depois se levantou, os dois saíram do estabelecimento juntos, ela olhou em volta e pareceu hesitar um pouco antes de querer sair, até o homem perceber ela olhando para o vazio e colocar a mão em seu ombro tirando a atenção da mulher ao nada. Ela o olhou e depois saiu do lugar e de perto dele também, o ceifador a seguiu e a puxou pelo braço sem a machucar claro.

Valugi: - Se não quer ficar perto de mim é só dizer.

Narkissa: - Eu disse algo que lhe fez pensar isso?

Valugi: - Está mais para o que não disse, passamos quase duas horas dentro daquele restaurante em total silêncio, sempre que eu tentava conversar você cortava o assunto, então se você não quer ficar perto de mim é só dizer eu não sou nenhuma criança.

Narkissa: - O problema não é você, desculpe se pareceu isso, você estar acostumado com a devoradora por isso pensou essas coisas, não se preocupe você não tem nada a ver com isso Valugi.

Ele a soltou vendo na cara dela o descontento com a conversa que estavam tendo, era bem mais complicado do que esperava pular de uma personalidade para a outra, a Boneca quase nunca aparecia por ser desse jeito. Ela voltou a caminhar o deixando para trás.

Valugi: - Sinto muito, eu só não esperava que você fosse assim tão....Distante.

Narkissa: - Tudo bem.

Ele foi andando para a alcançar, ela andava pisando firme na calçada enquanto olhava em volta, tudo naquela cidade parecia a deixar triste de alguma forma, a distanciando cada vez mais de qualquer outro sentimento sem ser a tristeza, o inglês havia desistido de tentar conversar com ela pois percebeu que enquanto estiverem ali seria impossível. Até que do nada a loira parou de caminhar e o homem conseguiu a alcançar ela se virou e o puxou pela roupa e selou um beijo nele o surpreendendo, até ela se afastar sorrindo de forma maliciosa.

Valugi: - Voltou?

Narkissa: - Sentiu minha falta querido?

Ela falou rindo, a mudança do clima ali entre os dois ficou clara quando a boneca tinha saído para a devoradora aparecer, ela voltou a caminhar perto dele.

Narkissa: - Vem vamos comer a sobremesa em um dos lugares que eu ia, eu adoro essa sobremesa e espero que você também goste.

Valugi: - E quanto a....

Narkissa: - Esqueça ela, não é culpa sua esse lugar nos deixa muito tristes e ela ainda pior.

Ela falou sorrindo para o homem e eles andaram até uma loja de doces, a russa cumprimentou os vendedores e foi até a bancada aonde tinham vários doces a mostra, ela entortou o lábio pensando até pedir um.

Narkissa: - Птичий молочный пирог

Eles pegaram uma especie de bolo e levou para uma mesa acompanhada do inglês.

Valugi: - Isso é?

Narkissa: - Bolo de Leite de Pássaro, é uma delicia tem marshmallow francês, experimenta.

Ela cortou um pedaço com a colher e ofereceu para o inglês, ela estava bem feliz apesar de ser aparente certa tristeza na loira, o homem olhou para o doce e depois para ela a mulher novamente ofereceu a colher e quando ele foi pegar ela não deixou

Narkissa: -  Larga de ser chato e abre a boca.

Valugi: - Serio?

Narkissa: - Sim, muito serio, agora anda logo meu braço ta cansando.

Valugi respirou fundo mas, acabou acatando o pedido da loira que sorriu animada dando o doce na boca dele, em seguida ela cortou um pedaço para ela e comeu, aquilo era tão bom, e ainda vinha acompanhado com chocolate quente, eles dividiram o doce, a loira pagou quase brigando com o ceifador por causa disso e eles saíram dali.

Valugi: - Aonde vamos agora?

Narkissa: - Andar por ai, ainda é cedo para voltar pra casa.

A russa foi andando pela calçada até subir em um murinho se equilibrando ali, o inglês apenas ia a seguindo com as mãos para trás vendo que uma hora ela ia acabar caindo dali, do outro lado tinha uma diferença bem grande do chão, então caso ela caia poderia se machucar feio.

Valugi: - Tudo bem. Narkissa posso te fazer uma pergunta?

Narkissa: - Faça.

Valugi: - Porque Violetty não está com você? Eu sei que você não estava feliz em vir pra cá por causa da sua família.

Narkissa: - Eles não gostam da Violetty porque ela bateu na minha prima, eles a acham estranha, agressiva, e perigosa, então, eu preferi ficar em casa sozinha pois assim evitaria problemas futuros.

Valugi: - Compreendo, e você saiu de perto deles por causa dela.

Narkissa: - É, pode-se dizer que sim.

A loira continuava se equilibrando em cima do muro, enquanto andava com um pé a frente do outro, ele apenas observava a loira a poucos passos atrás da mesma.

Valugi: - Narkissa....Você tem algum problema com relacionamentos? Sempre fugindo de proximidade e não confia em ninguém.

Narkissa: - Eu não tenho problemas com relacionamentos, eu estive em um por 6 anos. Relacionamentos não são o problema ou a confiança, o problema é o que vem com os relacionamentos, pergunte ao Valugi Barros se puder, ele era casado.

Valugi: - Ele era um palerma. Não gosta do compromisso ou da fidelidade?

Narkissa deu risada da pergunta dele.

Narkissa: - Não é isso, é que quando você namora é tudo lindo,  ai depois fode tudo exemplo: Acabamos de sair de um restaurante e comemos uma deliciosa sobremesa e agora estamos apenas caminhando no que sobrou da neve, se fossemos casados provavelmente um de nós estaria de cara feia por algum motivo, e estaríamos reclamando de algo ou brigando, e o jantar seria porque você iria querer transar comigo e eu inventaria uma dor de cabeça por causa do vinho. E a noite seria um desastre, entendeu?

Valugi: -  Isso é pessimismo.

Narkissa: - Não é a realidade, agora a gente saiu só por sair. Você apenas quer minha companhia e nada mais, namoros tem muitas cobranças, muitos problemas, relacionamentos no geral tem esses problemas, eu não quero brigar porque você não tirou a toalha molhada da cama pela vigésima vez, eu não quero brigar por coisas bobas que agora não importam mas, quando namorarmos vai importar e vai irritar, agora você me acha linda, loira, divertida, novinha demais para você, ai se tivermos algo com certeza minha idade seria um problema pois queremos coisas diferentes, eu quero curtir, você quer...Um relacionamento.

Valugi: - Todo relacionamento tem seus atritos você não pode fugir, isso é devido a intimidade do casal, a relação próxima que os dois tem. Você está pondo palavras na minha boca Narkissa.

Narkissa: -  Intimidade gera duas coisas Val, falta de respeito e neném. Eu não quero a segunda, e não quero problemas quero apenas sair beber, namorar, ter uma noite quente com um homem lindo e depois ir para casa.

Valugi apenas balançava a cabeça com a resposta vinda da loira, até ela finalmente perder o equilíbrio ali e quase cair, o homem rapidamente a segurou pela mão e a mulher riu.

Valugi: - Cuidado ai, você pode cair.

Narkissa: - Se eu caisse você me pegaria?

Valugi: - É claro.

A loira o olhava desconfiada enquanto o homem se afastava depois dela ter voltado a conseguir ficar em pé ali, quando ele se afastou um pouco a mulher o chamou e simplesmente se jogou para trás, o inglês correu para pegar a loira e por pouco conseguiu a segurar e puxar antes dela cair, ele a pegou no colo enquanto a russa ria, ele estava bravo.

Valugi: - Ficou louca?!

Narkissa: - Ah fica calmo, é só um exercício de confiança e você passou.

Ele soltou a loira no chão que caiu de bunda na calçada, e o olhou feio com aquilo. Ela se levantou o xingando em russo.

Valugi: - Você poderia ter se machucado! Poderia ter morrido Narkissa, isso não é uma brincadeira.

Narkissa: - Ah se eu morro você ia ficar com um membro a menos no seu grupinho.

Valugi: - Qual parte de a Legião é uma família você não entendeu? Para com essa atitude, você age como se eu estivesse apenas usando você e a sua irmã por causa da Legião e eu já disse mil vezes que não é isso.

Narkissa: - Ai para de ser chato! Pelo amor de Lilith você é muito serio.

Valugi: - Chato e serio, Narkissa para de agir como uma criança você poderia ter morrido, olha a altura dessa rua para a de baixo, meu Deus.

Narkissa: - Você não é meu pai para ficar me dando bronca, eu não morri já acabou, para de fazer chilique. Credo.

Valugi: - Se você parar de agir feito uma criança e agir como uma mulher eu paro de agir como seu pai, você não vê que poderia ter se machucado feio? E o que aconteceria se você morre? Sua irmã ficaria sozinha.

Narkissa: - Quanto drama, eu não morri você me pegou, para com isso! Eu faço o que eu quero você não pode mandar em mim, como disse você não é meu pai, foi uma brincadeira se você não sabe fazer uma vai surtar pra lá. Ta nervoso porque se eu morro sua "família" ficaria com um membro a menos.

Valugi: - Deveria ser a sua também, mas você prefere ignorar, você prefere tratar como um trabalho, eu só queria que confiasse em mim, assim como confio em você e na sua irmã, mas você está sempre afastada, Narkissa eu não sou idiota, eu sei que você esconde um monte de coisas de mim, eu sei que estar aqui é ruim para você mas, mesmo assim você prefere se esconder sozinha do que vir conversar comigo, nosso grupo não pode ter esse tipo de desconfiança, esse tipo de intriga, ou você confia em nós ou não.

Narkissa: - Eu já tenho uma família não preciso de outra, ainda mais uma que deu errado no passado e com certeza não vou precisar de mais decepções nela, seu problema é porque não quero fazer parte da grande família feliz que a Legião é? Ah Valugi me conte outra, eu estou no grupo é isso que importa agora pare de reclamar feito uma velha.

Valugi: - Então é isso? Esse é seu problema? Ter uma família além da sua? Seu problema é o envolvimento que temos ser além de um simples grupo, é por isso que você esconde coisas de mim ou de nós, por isso se nega a se aproximar da Megan mesmo comigo dizendo que eu e ela não tivemos nada, por isso que prefere agir sozinha do que pedir a nossa ajuda! Tudo isso é porque você tem medo de ter pessoas na sua vida além da sua irmã, ela faz mais parte da Legião que você, ela realmente confia nas minhas palavras, confia na Megan, e você....Apenas nos suporta porque sua irmã gosta da nós.

Narkissa: - Então é isso o que acha?

Valugi: - Eu não acho, eu tenho certeza disso. Pare de afastar a gente de você, pare de agir como se não ligasse porque eu realmente quero vocês comigo na Legião, eu realmente quero me aproximar de você e ganhar sua confiança, é só isso eu não vou deixar vocês sozinhas.

Narkissa: - Você já parou para pensar que talvez eu queria ficar sozinha? Ou que eu não queira VOCÊ próximo de mim? Você acabou de jogar um monte de coisa na minha cara e agora vem com isso de "não vou deixar vocês sozinhas", Val eu sempre estive sozinha, isso não é sobre confiança porque eu não tenho um grande segredo para te contar, ou tenha que confiar em você para te dar uma senha, isso é sobre com quem eu me sinto bem por perto, com quem eu quero que fique perto de mim, ou quem eu me sinta confortável para conversar e desabafar e você não é essa pessoa.

Valugi: - E Havoc era essa pessoa?

Narkissa: - Ele ainda é essa pessoa, eu queria que ele estivesse aqui comigo agora porque ele entenderia o que eu sinto sem eu precisar dizer, ele me entende, eu sinto que com ele eu posso falar sobre qualquer coisa sem nenhum problema, eu não me sinto confortável para falar com você, não me sinto bem para falar com você é minha vida e não é forçando ou querendo me fazer brincar de casinha com a Legião que vai me fazer mudar de ideia, confiança é diferente de se sentir parte de algo, eu confio em você e na Legião mas não quero falar com vocês sobre coisas que não te dizem respeito.

Valugi: - É isso que você pensa? Eu tentei mesmo ser essa pessoa, eu não tenho bola de cristal para saber como se sente porque eu não sei o que você passou aqui antes, se você não me diz eu não posso fazer nada Narkissa, e se confiasse em mim se sentiria confortável para falar sobre qualquer coisa comigo. Eu não quero ver você ou a sua irmã tristes, não quero que estarem aqui a deixem abalada, eu realmente gostaria que você quisesse falar comigo sobre o que acontece na sua cabeça e no seu coração, mas você só me afasta, só me empurra para longe de você.

Narkissa ficava parada de braços cruzados o olhando enquanto o homem falava, ela sabia que o inglês estava certo, só que ela nem percebeu que fazia essas coisas, talvez sua avó estivesse certa afinal, ela afastava as pessoas e acabaria realmente sozinha.

Narkissa: - Eu quero voltar para casa agora.

Valugi: - Depois dessa discussão você vai novamente fugir de mim? Só estar brincando.

Narkissa: - Valugi esse assunto não vai dar em nada, eu não me sinto bem falando sobre isso com você. Ta vendo o que eu disse? Estava tudo perfeito e por causa de uma brincadeira a noite virou um pesadelo, é nisso que dá quando se aproxima das pessoas, elas começam a cobrar algo de você. Vê se eu estou cobrando alguma coisa sua, se você quiser falar vai falar, como eu te contei umas coisas da minha família e de como eu penso, agora eu só quero ir embora daqui.

A mulher chamou um taxi  o inglês a olhava enquanto balançava a cabeça negativamente, o carro e ela entrou, Valugi entrou no carro também e todo o percurso até o hotel foi em silêncio, eles até tentavam falar algo porém desistiam antes de falar alguma coisa, quando o táxi parou na frente do hotel ele desceu sem dizer nada a ela e  mulher deu de ombros, em seguida o carro a levou para a casa. Narkissa pagou a corrida e entrou em casa indo para seu quarto pensar no que o homem disse e em sua vida.



♰ Our love is violent, it is obscure, it is obsessive, it is chaotic, we suffer because of it, but ... We like that sweet pain. ♰
avatar
✡ MadameZombie ✡
Admin
Admin

Mensagens : 189
Pontos : 549
Reputação : 332
Data de inscrição : 31/12/2016
Idade : 21
Localização : Salém

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ✡ MadameZombie ✡ em 01.09.17 1:46

Manha de sexta-feira em Moscou

A mulher abriu os olhos devagar com aquele relógio infernal tocando ele mal abriu os olhos e a cabeça já começou um monte de coisas algo estava errado de repente o barulho parou quando a bruxa passou a mão nos olhos ela viu Jiggy todo descabelado sentado ele parecia xingador o despertador enquanto passava  a mão no rosto a mulher ficava olhando as costas dele ela ia quase se arrastando pela cama para perto dele a bruxa ao agarrou

Jigglypuff: - Porque colocou isso pra tocar? Estamos de férias

Ele resmungava jogando o corpo para trás colocando a cabeça no ombro da bruxa  

Violetty: - Eu ia malhar um pouco e estava querendo sair cedo para fazer umas coisas

Jigglypuff: - Não pode esperar? Logo tão cedo

Ele continuava resmungando e a mulher não conseguia evitar de rir estava feliz por ter encontrado com ele quando voltou na noite passada do dia com a avó mas olhando pra ele ela lembrava da avó falando de bisnetos e a risada ficou mais alta

Jigglypuff: - Ei tá rindo do que? Eu vou jogar essa merda de despertador pela janela

Violetty: - Eu fui ver minha avó ontem é por isso que estou rindo eu lembrei de uma coisa

Jigglypuff: - Não me falou isso ontem

Violetty: - Ontem a gente não estava muito para conversar

A mulher sorriu e o lutador deu risada ele virou a cabeça para o lado e encarava a morena por uns segundos fazendo carinho no rosto dela

Jigglypuff: - E como foi lá?

Violetty: - Melhor do que eu pensei que seria não esperava que ela fosse querer me ver

Jigglypuff: - Porque? Você é neta dela

A mulher ficou calada ela olhou para o outro lado a mulher soltava ele e se jogava na cama encarando o teto o homem percebeu que ela não queria falar ele subia por cima da bruxa e ficava entre as pernas nela o homem sorriu a olhando

Jigglypuff: - Eu quero conhecer sua avó

Violetty: - NÃO...quer dizer não é uma boa ideia

Ele viu o desespero dela mas logo a mulher se recompôs

Jigglypuff: - Ué você conhece quase toda minha família acho justo eu ao menos conhecer sua avó

Violetty: - Ela estava com uns papos estranhos de bisnetos e marido não sem chance

Jigglypuff: - Vou ter que te pedir em casamento então?...filhos vai demorar um pouco tipo uns nove meses mas podemos começar agora

Ele beijava ela a bruxa retribuiu abraçando ele a mulher passava a mão pelas costas do lutador e subia indo até a nuca dele colocando a mão entre os cabelos dele

Violetty: - Nem pensar com isso de filhos minha avó só quer bisnetos porque quer continuar a família algo assim ou ela quer ver eu e minha irmã felizes esquece esse lance de filhos

Jigglypuff: - Qual o problema com filhos? Eu não penso em ter agora mas as tentativas me agradam bastante

Violetty: - Crianças são apenas sacrifícios para os meus deuses se eu ter uma vai ser oferenda Eles querem isso

Jigglypuff: - Não podemos ficar com um? Poxa só um ou uma tanto faz

A mulher inclinou a cabeça para o lado um tanto confusa quando ela ia responder o despertador caiu no chão de forma violenta quebrando o lutador olhou para trás e depois encarou a bruxa

Violetty: - Então....

Jigglypuff: - Egoistas....

Ele dava mais alguns beijos na mulher ela abraçava ele com força os beijos iam ficando mais intensos ela sentia as a mão esquerda dele passando pela coxa dela e apertando enquanto subia a mão pela corpo da bruxa ela sorriu e ia descendo os beijos pelo pescoço dele a mulher virava ficando por cima dele ela continuava descendo até a mulher parar e olhar para trás

Jigglypuff: - Que foi? Tá tudo bem?

Violetty: - Ele….

Ela apontou para o canto escuro provavelmente para o lutador não teria nada ali a mulher levou a mão até a cabeça reclamando algumas coisas ela saia de ciam dele e ia caminhando pelo lugar

Jigglypuff: - O que está acontecendo você me preocupa quando faz essas coisas do nada

Violetty: - Ele está com raiva mas não consigo ouvir direito Eles estão falando muito rápido e ao mesmo tempo

Ela passou com os dedos pelos cabelos batendo devagar parecia mesmo perturbada com algo ela olhou em volta como se seguisse as vozes que falavam o lutador começou a analisar a bruxa que ia se aproximando da parede ele levantou aos poucos mantendo o olhar nela

Jigglypuff: - Vem pra cá vem minha morceguinha  saia de perto dai

A mulher nem respondia ela olhou em volta e colocou a mão nas orelhas do nada ficou bastante perturbada em apenas falar “Dele” ela encostou na parede o homem ia se aproximando devagar quando a bruxa gritou irritada e bateu com a cabeça violentamente contra a parede ele rapidamente a puxou para perto e agarrou nela

Jigglypuff: - Não precisa fazer isso você sabe que eu odeio quando se machuca assim

Violetty: - Mas eles não param de falar eles querem que eu vá em algum lugar

Jigglypuff: - Se concentre na minha voz apenas nisso eu não quero você machucada ou se batendo nos lugares desse jeito

Violetty: - Então faça eles parem de falar tanto

A mulher enfiou as unhas nas costas dele e o homem mordeu o lábio inferior com força

Jigglypuff: - Eu não sinto falta dessas unhas de jeito nenhum

Violetty: - Eles...Eles...desculpe

Quando a mulher ia se afastar o lutador a segurou com mais força envolvendo o corpo dela em um abraço

Jigglypuff: - Não importa só não se afaste eu vou ficar bem aqui com você até Eles falarem o que querem

Violetty: - Um lugar eu preciso ir a um lugar

Jigglypuff: - Não teria haver com você ter visto sua avó né?

Violetty: - Ontem..Eles...ontem..Eles estavam quietos demais normalmente Eles ficam falando ou mandam Elas falarem mas ontem não

A mulher estava ficando agitada ela olhou pra ele e sorriu

Jigglypuff: - Melhorou?

A mulher parecia não querer responder a bruxa agarrou ele e começou a beijar o homem não deixando ele falar ele tentava falar com ela mas a bruxa não dava brecha nenhuma

Violetty: - Eu não quero me concentrar neles agora

O lutador viu que tinha algo errado a bruxa não era assim ele segurou elas pelos ombros a fazendo olhar pra ele

Jigglypuff:  - Vai me falar o que está acontecendo? Você ficou assim do nada estou preocupado com você mas quando falo da sua família você parece fugir

Violetty: - Não precisa saber disso

A mulher se afastou dele e saiu do quarto o lutador revirou os olhos e seguiu ela

Jigglypuff: - Porque não? Você nunca me fala nada e quando vem até mim está cheia de machucados e hematomas as vezes eu mal posso abraçar você e quando me preocupo você se afasta

Violetty: - Não deveria se importar com isso eu estou bem Eles sabem o que fazem e estão sempre querendo o melhor pra mim  

Jigglypuff: - Claro você não dorme a noite inteira falando e se mexendo tem o corpo todo marcado se corte se fura eu não duvido de suas crenças e nem vou me meter nisso mas acho que tenho o direito de me preocupar com você

Ele cruzou os braços e encarava a bruxa que estava de costas pra ele a mulher se virou lentamente o olhando

Violetty: - Eu tenho que ir Eles querem eu vá

Jigglypuff: - Perfeito você faz isso porque eu não sou meu Tio né? Aposto que se fosse ele ia falar

Violetty: - Isso não tem nada haver com ele eu apenas preciso ouvir o que eles querem de mim agora você não entenderia

Ela se aproximou dele e colocou a mão no rosto do homem que suspirava pesadamente e balançava a cabeça em negativo vendo a bruxa fazendo aquela expressão sorridente como se tudo estivesse bem

Jigglypuff: - Eu conheço essa expressão

Violetty: - Você é importante pra mim assim como o bodinho foi se não fosse com certeza não estaria aqui agora eu quis ficar com você ontem eu quis acordar do seu lado hoje e não me importaria de fazer isso amanha também mas certas coisas eu não posso explicar você tem que confiar em mim

Jigglypuff: - Eu confio em você ok? Eu só não quero você saindo por ai sozinha sem um rumo estamos bem e do nada isso aconteceu

Violetty: - Eu não estou sozinha e tenho um rumo eu preciso ir agora

A bruxa dava um beijo no lutador um beijo calmo então ela se afastava e corria para o quarto pegando as roupas ela vestia qualquer coisa que achou ali e via o homem na porta ele não demonstrava estar feliz com aquilo ele pensou em se arrumar também mas apenas se jogou na cama olhando ela toda apressada

Jigglypuff: - Podia ao menos me falar pra onde você vai

Violetty: - Ver meu passado Eles estão ansiosos para voltar pra casa

Ela dava outro beijo no homem agarrando ele e saia correndo batendo a porta o lutador suspirava mostrando frustração e olhava o celular que estava em cima da mesinha ao lado da cama ele jogava o celular na cama e se jogava um tanto irritado



♦️ You're lookin' crazy and you're lookin' wrong
We look like we belong ♦️

avatar
valugi

Mensagens : 84
Pontos : 156
Reputação : 78
Data de inscrição : 19/01/2017
Idade : 28

Re: Prome Aqui!

Mensagem por valugi em 01.09.17 4:05

Megan estava em uma sala escura tinha algumas luzes vermelha que iam de um lado para outro, a lutadora andava usando uma roupa de luta de MMA, aparentava está suada, como se tivesse treinado a pouco tempo

- Olha o nosso querido amigo Italiano, posando de demônio, apesar de que tem várias características de psicopata, e o Valugi uma vez me falou que existem vários tipo de psicopatia, mas não vamos entrar nessa discussão, porque vai ficar muito difícil para você e não vamos perturbar mais ainda essa cabecinha problemática, mas veremos se você pode justificar o apelido.

Do nada todas as luzes desligam e o cenário muda, agora parecia uma sala de aula, Megan aparece com uma roupa de professora, usando óculos de grau e logo depois aparece um quadro negro escrito Violetty=Bruxa, Narkissa=Succubus e Valugi = Anjo Ceifador



- E comum nesse nosso mundo, muitos utilizarem apelidos para serem mais facilmente reconhecidos, ou mesmo por característica do que a pessoa é, mas muitos falham nesse quesito, você Leight, se auto denomina de demônio de Veneza ou algo do tipo, mas sinceramente o que você mostrou para provar que realmente é isso? Eu lhe responderei nada, diferente por exemplo da minha querida Bruxa, alguém ainda vai duvidar dos deuses dela? De como ela e protegida por eles e de sua crença, sinceramente acho difícil, assim também acontece com Narkissa, quantas almas ela já não devorou no seu caminho? E com Valugi também, quantos não já foram ceifados por ele, desde dos tempos da e-fed e agora na NWR? Já o que você fez para se classificar como demônio?a resposta é nada, a mas matei uma pessoa, olha que do mal ele é o demônio porque matou uma pessoa, sinceramente estou pouco me lixando para o seu passado, eu como Berserker só bem mais convincente que você, já pode mostrar esse meu lado contra aquela Heroína de Araque, viu como ela parou na cama e o que você fez em Leight?

As luzes se apagam e o cenário volta igual o anterior

- Por sinal vi que você também teme a Legião não é? Dizendo que não comprou briga com o grupo, o que você não sabe que aqui a gente age como uma família, sabe no momento que você tentou tirar o filho da posse da Violetty, você pode ter certeza que mexeu comigo, mesmo estando ferida, não podia deixar aquilo passar em vão e fui ajudar minha bruxinha, e se você ficou nervoso por causa disso, sinceramente estou pouco me fudendo, vamos resolver isso em cima do ringue, que terei o prazer de esmagar essa sua cara, muitos me subestimaram quando disse que vim aqui para lutar, e viu o que houve com a heroina, e com você não será diferente, você entrará no meu caminho de sangue, o caminho que todo o Berserker sabe que percorre, até o dia de sua morte e não vai ser um Italiano que se acha o demônio, que vai me impedir de fazer isso.

Megan senta em uma cadeira onde a luz vermelha presa por um fio mexia de um lado para o outro mostrando parte da face da Inglesa

- Você diz que desafiou Violetty, e eu sei que ela sabe cuidar bem dela sozinha, mas você também me desafiou no primeiro vídeo após o PPV, então qual o problema, eu não sou uma ratinha inofensiva, veremos como você vai lidar com o novo.

Ela sorria e a luz mostrava parte da face dela, quando retornava os olhos estavam vermelhos desparecendo o vídeo logo em seguida.




avatar
Lady of wrestling

Mensagens : 71
Pontos : 80
Reputação : 11
Data de inscrição : 19/02/2017

Re: Prome Aqui!

Mensagem por Lady of wrestling em 01.09.17 13:43

Lady saia do hospital depois da luta sangrenta que ela teve com Megan, olhava para fora e soltava um grande suspiro, um pouco decepcionada consigo mesmo, não era a primeira vez que ela perdia uma luta, o problema é que ela não estava no melhor momento de sua carreira, de campeã Intercontinental até derrotada por uma novata, vencer o Bé no Auge até sequencia de derrotas em praticamente todos os shows, me perguntava se eu estava no caminho correto, ou se de alguma maneira eu me desviei do caminho, se realmente eu estava me esforçando ou era mesmo uma onda de azar que abatia sobre minha carreira, enquanto andava pensativa, uma pequena menina puxava a minha roupa, olhei e abri um sorriso

- Olá garotinha o que você deseja?

- Lady você não vai desistir não é?

- Como assim?

- Você não pode desistir de enfrentar a Legião, você sempre diz que quando lhe derrubam você sempre volta mais forte, que uma superheroina não desiste nas primeiras adversidades.[/color]

A Luchadora abria um sorriso, aquele tipo de energia era revigorante para a sua carreira,

- Não se preocupe pequenina, eu perdi a batalha, mas não perdi a guerra e enquanto eu respirar lutarei contra o que a Legião representa

- Isso mesmo Lady, não desista

- Obrigado

As duas se abraçavam, após se despedir ela olhou para trás e não viu mais a garota, abriu um sorriso e continuou andando

Algumas horas depois

Ela andava pelos corredores do estúdio de gravação, o diretor olhou para ela

- Hoje não é dia de gravação Lady

- Eu sei, mas você tem como filmar algo para mim é importante

O Diretor acenou com a cabeça, e Lady começou a falar

- Olá a todos os fãs da NWR, estavam com saudade desse momento, eu tenho que dizer que estava, e esse vai ser um pequeno Lady Show

Ela caminhava no cenário que dessa vez estava meio desmontado

- Eu quero pedir desculpa a todos que eu desapontei, na minha luta contra Megan, eu prometi que iria ser o começo da vitória da resistência contra a Legião, e decepcionei a todos sendo derrotada por uma novata dentro da empresa, e pior a Legião só cresceu após isso, Adam foi derrotado por Violetty que ainda conseguiu seu título de Elite de volta, Narkissa manteve o Intercontinental contra Havoc e Valugi conquistou o NWR World Championship derrotando o Bé, teoricamente eu teria a missão mais fácil, enfrentaria uma novata dentro da empresa e novamente decepcionei a todos, fui derrotada, e não tenho desculpa, ela lutou sozinha e me derrotou de modo justo, utilizou as regras do combate e me nocauteou, como nunca tinha sido na minha vida, realmente fiquei horas desacordada.

A tristeza na voz de Lady era perceptível, mas como sempre ela conseguia manter a postura

- Mas não vou desistir de lutar contra a Legião é o que ela representa, mas ai você pergunta o que eu posso fazer já que na teoria fui derrotado pelo membro mais fraco do grupo, não sei o que posso fazer, mas não consigo ficar calado vendo esse grupo se fortalecer e enfrentarei com todas minhas forças, mesmo que seja derrubado 500 vezes sempre me levantarei para lutar de novo, não posso permitir que esse tipo de ideologia se alastre dentro da empresa, então Legião, não pense que acabou, essa heroína não vai desistir, enquanto eu respirar serei uma resistência ao que vocês representam, mesmo que esteja sozinha nessa empreitada.

Com isso o vídeo se encerra com o logo Anti-Legião
avatar
☠ BlackSpider ☠
Admin
Admin

Mensagens : 46
Pontos : 144
Reputação : 98
Data de inscrição : 02/04/2017
Idade : 21
Localização : Ilha da Polly

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ☠ BlackSpider ☠ em 02.09.17 7:03

Vídeo postado no site oficial da NWR

O vídeo começava em uma rua escura notava-se algumas casas um pouco longe do lugar mais ao fundo da filmagem os postes e a lua eram a única iluminação mais próximas  que tinham ali logo aparece o lutador ao menos os pés dele a câmera estava no chão mas logo o homem pegava ela e começava a andar balançando bastante o homem levantava a câmera e jogava ela a fazendo bater numa árvore quebrando a lente e transmissão ficar ruim a câmera caiu no chão mas ainda funcionava

– MAS QUE PORRA!

Ele gritava totalmente irritado andando de um lado para o outro

– QUEM É O FILHO DA PUTA QUE ESCOLHE ISSO? PORQUE EU VOU LÁ ESTUPRAR A MÃE DESSA OU DESSE MERDA!

Ele chutava algumas coisas junto com pedras o homem respirou fundo e colocou as mãos na cintura tentando manter o foco e a calma

– Querem saber porque eu to puto? Eu vou contar pra vocês

Ele caminhou até a câmera e a pegava colocando em cima de uma pedra ao menos para deixar a câmera em um lugar alto logo aparece a imagem do card e quando volta para o homem ele estava de braços cruzados dando risada

– Eu vou lutar contra uma mulher que nem devia estar aqui e o pior me jogaram para ser o primeiro nesse caralho...qual  a porra da demência desse pessoal? Querem o que? Que eu mate essa vadia? Eu mato não tem outra explicação vão me usar para sangrar a vaca

Ele bufou estava realmente transtornado o homem se abaixou ficando de cócoras

– Tem um rei ai que fala em matar leitoas mas nunca conseguiu e eu sou apenas um bárbaro vou matar uma na primeira luta a porca vai sangrar pra caralho e eu vou ter o prazer em fazer isso e acabar logo com o sofrimento dela que teve até uma carreira decente mas que esqueceram de dar um final então a coelha gorda entrou no meu caminho e eu estou precisando de um pé para me dar sorte

Ele fazia uma expressão pensativa ao falar isso o homem levantou o dedo e deu outra risada passando a mão na barba

– Nãaooo pelo visto um pé não vai ser o suficiente eu vou querer um braço e também posso levar....SUA CABEÇA!

Ele levantava rapidamente e jogava o cabelo para trás andava com uma das mãos na cintura enquanto gesticulava com a outra mão estava muito inquieto e nervoso

– Eu até pensei que minha adversária iria servir para ao menos me cansar mas vendo as últimas coisas que ela fez aqui hahahaha que merda....só serviu para ser estuprada por uma bruxa retardada e jogaram pra mim a carcaça eu sou lixeiro? NÃO! Eu sou a gente funerário? NÃO! Eu sou um bárbaro e eu gosto muito quando minhas vitimas ao menos resistem ou estão vivas

Ele cuspiu no chão mostrando o nojo que tinha da adversária ela andava um pouco por ali e voltava puxando uma gaiola com uma coelho dentro o homem colocou o pé em cima e apontou

– Você é isso aqui uma coelha gorda e sem utilidade nenhuma virou o que tanta menosprezou a merda de um rostinho bonito você só serve pra aparecer e mostrar que não morreu mas diferente das bostas que você enfrentou ao longo dos anos eu não deixo pontas soltas eu não deixo sobreviventes você vive para a minha diversão você vive até eu me cansar de brincar com você até eu cansar desse seu rostinho bonito e desfigurar ele de uma forma que nem seu veterinário vai conseguir consertar

Ele entortava a boca e cerrava os olhos respirando profundamente mostrando o ódio o homem ia batendo o pé em cima da gaiola

– Uma coelha gorda e inútil acho que devia começar a dar uma olhada porque alguém te odeia muito pra te colocar contra mim eu vou ser o motivo da sua aposentadoria finalmente já que virou apenas uma mulher descartável que me da ânsia de vomito de imaginar que terei que sujar minhas mãos com sangue tão fraco isso não é um combate é um estupro vai ser um massacre

Ele falava aquilo seriamente o homem arqueou a sobrancelha e tirou o pé da gaiola andando em volta

– Está presa você não pode fugir e não tem escolha ou mostra que tem algo ai que ainda presta e tenta sobreviver a mim ou sai correndo coelhinha você está perfeita para o abate onde vou matar arrancar sua pele te colocar no fogo e assar você é alimento e ainda um alimento que nem dá esforço para destruir nem vai me fazer suar se ninguém foi capaz de por um fim no seu sofrimento que fica agonizando pelos corredores desespera para mostrar algum serviço eu o farei

Ele se abaixava e abria a gaiola e ficava olhando o bichinho estava com um olhar assassino ele batia os dedos na lateral da coxa esperando

– Vou dar a chance de sumir dessa merda a chance de fugir e buscar algum sem bolas e olha que aqui tem vários e eles sim vão pegar leve com você porque é isso o fazem pegam leve...comigo não ou luta ou eu aniquilo sem dó nem piedade eu não quero saber dessas besteiras de regras eu faço as minhas regras e aqui é a lei do mais forte você é presa uma mulher fora do tempo sem validade uma coelha estragada e corrida pelos vermes do tempo

Ele dava um soco em cima da gaiola e o coelho saia correndo o homem se levantou e ia seguindo o bichinho com os olhos até mudar a atenção para a câmera

– Vê? É da sua natureza o fracasso é da sua natureza correr e se esconder na primeiro buraco que achar e era de onde você NUNCA deveria ter saído ainda mais contra mim eu tenho objetivos repare que eu falei objetivos e não sonhos porque sonhos são apenas algo que queremos mas não temos a capacidade de conseguir então ficamos sonhando feito retardados...meus objetivos são ganhar e ter um título se você é considerada algum desafio então que se foda eu vou passar por cima de você eu vou mostrar pra esses filhos da puta arrombados que eu sou bem mais do que um peixinho pequeno nessa mar de merdas

Ele abriu os braços e deu uns passos para trás estava muito bravo pela adversária que deram a ele e pela situação que foi colocado

– Quiseram me rebaixar acham que eu não mereço atenção ou alguma credibilidade então vou arrancar a força o respeito vou arrancar na base do soco a credibilidade e conseguir destruindo cada desgraçado que colocarem na minha frente e você Rita vai ser a primeira de muitos

Ele inclinou a cabeça para o lado e apontou para a câmera com um sorriso nos lábios mais um sorriso cruel

– Querem que eu seja um peixe pequeno o que não é ao todo ruim afinal ser um peixe vivo ainda só tem merdas boiando e peixes mortos deve significar alguma coisa e usarei a senhorita como minha prova mesmo sendo um soco de banha pendurado que só serve pra mim socar até eu me cansar e eu vou gostar disso diferente de você hahahaha isso pra você vai ser doloroso é horrível e isso vai me fazer gostar mais ainda

O sorriso mudou para algo mais sarcástico ele balançava a cabeça positivamente batendo uma mão na outra

– Eu gostaria mesmo que revidasse algo mais decente porém te escolheram por algum motivo nem o novato viadinho colocaram pra lutar comigo colocaram uma mulher que já foi campeã mas agora é um lixo um peso morto algo descartável e vendo essa situação como um todo...devo admitir que isso tem seus pontos bons me deram alguém com algum histórico mesmo que não signifique nada ganhar de você agora mas deixaremos essa merda de lado

Estava estrelava os dedos estava se mexendo bastante para os lados ou andando querendo aliviar a raiva e a frustração

– Você teve alguma coisa na vida além de vergonha  tem uns fãs perdidos nos necrotérios da vida ou asilos e nem estou falando do campeão máximo mas chegando no ponto bom existem pessoas que gostam de você e saber que toda vez que pisa naquele ringue e perde miseravelmente alguém sofre seus fãs sofrem ao ver o grande fracasso que se tornou saber que pisar na sua cabeça e levar o que sobrou de você..o que já não é muito cá entre nós...vai fazer alguém sofrer isso já me alegra para esse confronto eu vou fazer cada um chorar quando acabar contigo e eu vou dar risada

Ele deu de ombros rindo como se falasse algo bom e ao menos para ele era

– Querem que eu faça isso que eu seja o tiro de misericórdia nessa sua carreira patética você devia me agradecer por subir naquele ringue e te dar alguma atenção já que ninguém faz isso a séculos eu não devo me sentir honrado em bater um corpo morto isso é fácil chutar coelha morta seroa o termo correto...eu vou com certeza chutar uma coelha morta cada um que tinha fé em você vai desistir e então não vai sobrar nada e vai poder me agradecer depois ou faça igual alguns daqui e coloque um saco de papel na cabeça para esconder a vergonha que você é a vergonha que se tornou esconda seu rosto e uso um nome ridículo fim perfeito para todos os fracassados de merda depois é só ir pra casa chorar vendo seu passado e querendo ser aquilo que NUNCA vai conseguir de novo

Ele tinha nojo e repulsa em cada coisa que falava o homem passou a língua pelos dentes e balançou a cabeça me negativo revirando os olhos

– Seu passado está morto e enterrado igual você quando eu ganhar tudo o que já fez e já foi está esquecido ninguém liga pra você ninguém se importa com você tanto é que te colocaram contra mim para abrir o show uma pessoa com o seu passado devia ao menos ter respeito mas olhe só nós dois vamos lutar primeiro que o cara do pão só porque o adversário dele é uma baleia boiola e a minha uma coelha morta graças a sua incapacidade de prestar eu vou ter que te destruir e eu estou pouco me fodendo pra isso não tenho peninha de você ou do que vou fazer com você e não é vergonha nenhuma cair aos pés muitos já fizeram isso e você é boa em cair mas tenta não ser tão fácil eu odeio coisas que nem lutam é entediante e você já me dá nojo imagina se eu acabar com você rápido ai vai me dar nojo e passar vergonha

Ele sorriu de lado parecia que estava rindo de si mesmo completamente irritado ele passava as mãos pelos cabelos os colocando para trás ou apenas puxando um pouco para trás

– Sou só um cara né? Alguém sem valor tendo seu primeiro combate e menosprezando um cadáver mas vou deixar algo bem claro aqui...eu não sou só um cara e eu vou repetir provarei isso para cada filho da puta querem me sacanear? Acham que podem contra mim? Tudo bem a coelhinha já era quando concordou com isso ela aceitou a aposentadoria ela fez o que muitos aqui deveriam fazer que é aceitar seu fim antes que fique mais feio essas careiras vividas apenas de seus passados porque atualmente o que vejo me faz querer vomitar...sigam o exemplo da coelha inútil se suicidem matem essas carreiras patéticas porque quando se depararem comigo isso vai acontecer não evite o inevitável aceite o destino antes que ele seja mais cruel

O homem começou a caminhar na direção da câmera de uma forma um pouco agressiva a irritação nele era constante

– Quem quiser pagar pra ver eu vou estar lá pronto para um homicídio ou suicídio vejam como quiser...mas alguém vai ser bem fodido e com certeza não serei eu

Quando ele terminou de falar o homem bateu com a câmera várias vezes numa árvore até a destruir totalmente encerrando o vídeo


Vídeo encerrado



Look, an idiot.
avatar
★ Bé ★

Mensagens : 338
Pontos : 915
Reputação : 520
Data de inscrição : 08/07/2014
Idade : 22
Localização : Portugal

27

Mensagem por ★ Bé ★ em 02.09.17 15:35









 

 


Júnior "Jigglypuff" Ribeiro


Nwr/Jiggyélindo.com


Está gravando um video sentando em uma confortável cadeira com rodas, ele estava sem camisa, em algo que parecia um escritório, ele tinha o cinto em cima de si. Ele ficava movimentando a cadeira um pouco de um lado para o outro enquanto segurava o cinto com as mãos. Ele se levanta se virando de costas mostrando algumas de suas cicatrizes.





Jiggly: Tão vendo isso? Marcas de guerras passadas. Cada um dessas marcas tem um grande significado para mim. Cada uma de minhas lutas me deu um aprendizado diferente. Afinal, a vida consiste nisso né? Aprender. Desenvolver e morrer.


Jiggly: Claro que tem gente que preferiu passar a 1º parte a frente... Poxa Adam. 3º Title shot seguida por este mesmo titulo. Não sei qual pior. Sua persistência sem sentido. Ou o favoritismo que tem sobe a gerência. Precisa de se mentalizar que não vais ser tu que vais tirar este titulo de mim.


Ele levantava um pouco o titulo com a mão, ainda estava de costas para a câmara, ele o levanta chegando perto de sua cara.


Jiggly: Ninguém vai tirar esse titulo de mim. Se o fizerem eu voltarei para o reaver. A mamã dele o confiou em mim. E no grande e prospero reinado que eu poderei ter com ele. É esse o meu objectivo nesse momento. Encontrar o meu caminho e defender este titulo.


Jiggly: E é exatamente isso que eu vou fazer. E no proximo show, eu irei finalmente começar o meu reinado. Aqui, na boa e velha Russia... Muitas recordações desta terra passam em minha mente. Mas uma que vai ficar em minha mente, vai ser a minha primeira defesa contra o tal "Fanático".


Jiggly: Dá para parar um pouco, só um pouquinho de vir para aqui e usar o facto de sua vida ser uma merda como um argumento contra os outros lutadores?


Ele de modo lento se virava inteiramente para a câmara, ele acena um pouco que não com a cabeça enquanto baixava o cinto.


Jiggly: Sim, sua vida é uma merda. Você é um merda. Uma alma penada qualquer que não quer saber da vida. E agora? Eu não entendi que PORRA a gente tem a ver com isso?


Jiggly: Se você é apenas um homenzinho distorcido e sem vida, isso é problema SEU! Se você é apenas um desgraçado sem rumo, isso também é problema seu! Eu fui um e estou aqui, forte e firme lutando por algo, procurando pelo meu caminho, nunca ninguém me viu queixando de minha vida até agora. E vai por mim, ela não tem sido fácil.


Jiggly: Honestamente, qual a sua crise? Foi abandonado em criança? Alguma decepção amorosa?Sofreu bulling? Alias, porque eu estou perguntando? Afinal... Tu ainda não reparou que ninguém quer saber?


Ele levantava e encolhia um pouco os ombros enquanto fazia um ar de duvida.


Jiggly: Porque está perseguindo isso? Se você pelos vistos não quer deixar de ser ruim. Tal como eu quero. Então porque raios insiste em ter um reinado? Ganha bom senso palerma. Você não merece um reinado, porque você não faz por merecer um reinado.


Jiggly: Não quer desistir? Eu tô de boa então. Sempre vai levantar após cair? Tudo bem. Eu não me importo de ser aquele que te vai deitar ao chão, cada show, cada evento, cada dia, a cada momento de sua miserável vida. Se você vai estar lá para levantar após o campeão Cursed te deitar ao chão... Então eu vou lá estar para te chutar para baixo novamente.


Jiggly: Afinal né, vai que realmente consegue o titulo por segundos, antes dos seus papas virem recuperar ele? Mesmo isso sendo algo simplesmente temporário? Como se sentiu durante os seus 5 minutos de glória? Gostou deles? Esperemos que sim porque né. Não voltará a ter mais desses por aqui.


Ele lentamente colocava o cinto no ombro, ele olha um pouco para o cinto e com o dedo aponta e toca nele.


Jiggly: Isso aqui. Prova que eu sou um campeão de verdade, um campeão oficial. O Campeão amaldiçoado da federação. Mas não me preocupo. A maior maldição que eu tenho nesta merda é ter que ver videos de tu falando mal de ti próprio.


Jiggly: Porque não nos faz um favor e luta calado? Procura por ordem? Você sabe onde está? Você sabe qual é essa federação? Reparou sequer no nome dela?


Jiggly: Está na New World Revolution, PALERMA! Larga de ser uma abécula e ficar procurando algo que não vai conseguir encontrar ou manter. É você que se tem que habituar ao caos, não são as coisas que devem mudar só porque tu chegou. Tu julga que é quem? Mr. Eu sou um mascarado suicida das Indys.


Ele ficava ajeitando o cinto no ombro direito dele, e segura com sua mão. Enquanto com a esquerda ele passa pelo cabelo para trás.


Jiggly: Você é tão horrivel, seus videos e promos são tão horriveis, que eu tenho dó de um ser como tu realmente acreditar que algum dia terá lugar aqui. Sua presença, é uma vergonha para mim e minha familia. Cada vez que tu pisa em um ringue da Nwr... Está só desvalorizando ele. Está pisando em mim e na minha familia.


Jiggly: Cada vez que tu entra proclamando que será um grande campeão, está pisando no meu tio. Sempre que pisa nesse ringue falando ser vencedor e acaba jobbando, está pisando nas Gardeas. Sempre que pisa nesse ringue falando que tem talento, está pisando no meu irmão. E sempre que pisa nesse mesmo ringue sem fé em si mesmo, está pisando no meu pai.


Ele volta a ajeitar o cinto, ele levanta um pouco as mãos deixando elas abertas, ele falava de um modo bem pacifico.


Jiggly: Não se trata de desistir. Trata-se de conseguir se mentalizar de que não vai conseguir fazer algo. Você tem muito que aprender. E eu digo, muito mesmo. Como pensa conseguir superar alguém, se não se consegue superar a si mesmo?


Jiggly: A si mesmo? As suas proprias crises? Ao seu proprio cérebro? Você é grande? Forte? Sabe também dar Kick Ups? Beleza. A gente adora esses meninos PowerHouse hablidosos. Mas não, isto não se trata apenas de ser grande e forte. Pergunta para o Armstrong.


Jiggly: Você tem que compreender as coisas simples. Tem que compreender, e seguir aquilo que quer seguir, se não é aquilo que quer ser. Então SEJA! Como um velho profeta hipócrita dizia, SEJA UM CARALHO!


Ele falava aquilo claramente imitando a voz do antigo Caio, de modo alto e até meio cómico.


Jiggly: Quer ser um herói? Então seja essa merda mas assuma isso. Quer ser um vilão? Então assuma isso e tente fazer algo pensando só em si. Quer ser apenas um tipo chutando bundas e não liga para essas merdas? Veja o mais novo novato e siga o exemplo dele.


Jiggly: Caso contrario e seja apenas mais uma pedra no caminho de quase toda a gente aqui, faça um favor, e volte para o seu rank de "Vigilante". Porque pelos vistos você só é bom olhando mesmo. Porque gastar o meu tempo ou de mais alguém? Não é digno.


Ele acena que não com a cabeça, e volta a colocar as mãos no seu titulo olhando para ele.


Jiggly: Se você também procura um caminho, então melhor ir comprar uma bússola ou um mapa, porque tu está mais perdido do que eu vendo os vídeos do King.


Jiggly: E olha que é difícil pra caralho tentar compreender a mensagem deles. Enfim. Faça algo. Mas algo que não consista em gastar o tempo de todos nós.


Ele se aproximava da câmara a afastando um pouco, ele colocava o cinto em cima da secretaria e se sentava na cadeira que vai com ela para trás da mesma.


Jiggly: Então é isso. Eu sou o campeão. De verdade e oficial. E o meu objectivo é me manter assim, e sobreviver o maximo que conseguir nessa divisão. Não intresa como ou porque. Eu sou o vosso campeão. Podem verificar vendo esse cinto na mesa, ou a capa do site da Nwr, onde eu mais pareço o Chuck Norris, mas de boa.


Jiggly: E o facto de eu ser campeão. Me leva ao meu segundo topico. Legião.


Ele fazia um pequeno intervaulo após falar isso, ele ajeita o cinto que estava em cima da secretaria com as mãos e fala.


Jiggly: Valugi tem alguns desafios para mim. Quem bom. Me sinto... Considerado.


Ele ficava sorrindo um pouco enquanto ficava com as mãos em cima do titulo.


Jiggly: Engraçado o facto de julgarem que estou querendo entrar na Legião apenas por Violetty estar nela. É algo quase compreensível, dado ao enorme carinho que eu tenho por ela. Mas nossos queridos fãs devem ter algo em mente, algo muito simples e claro.


Jiggly: Eu se quiser acompanhar com minha linda Violeta, eu vou acompanhar com minha linda Violeta. Se ela quiser a minha companhia, ela vai ter a minha companhia. E se ela não a quiser, ela não a tem. Já quis no passado, não a quis tanto, talvez volte a querer. Talvez não. Mas o ponto é;


Jiggly: Eu não preciso da Legião para estar com a Violetty. Quem não gostar de me ver com ela, provavelmente terá que aguentar, porque eu não vou virar as costas para a mãe do meu filho. Nem ela para mim, não é mesmo?


Ele ficava passando com as mãos no titulo novamente, e pega nele.


Jiggly: Eu não estou a pedir autorização para sair com sua filha, Valugi. Somente para me juntar ao seu grupo. Sejamos honesto. Ele precisa de um homem. Então, me explica.


Jiggly: Caso eu não passe nos seus testes? Caso eu vos falhe. Será que isso irá manter a Legião de bem? Vou exemplificar isto, de outro modo. Imagina que você me considera um inimigo da Legião.


Jiggly: Eu nunca serei inimigo da Legião. Se você me considerar seu inimigo, vai ter que me considerar SEU inimigo. Nunca das Gardeas. O que aconteceria se eu permanecer com o titulo e realmente tudo ficar na sua? Tentaria a regra de 24/7? A regra na qual eu venci ele.


Ele voltava a coloca no ombro, batendo com a mão nele.


Jiggly: Você acha que as Gardeas iriam amar um ataque covarde em mim? Posso dar o exemplo do Bode delas. Acha que se o Bode quise-se sua merecida Rematch, elas iriam ficar de boa? E até te ajudar defendendo o cinto?


Jiggly: Legião não é uma familia. Legião enquanto não tiver um Bé nela, é apenas a sua familia. Não a delas. Veja os factos Val. Bé não entrou no evento com intresse no cinto. Mas sim para fazer o sacrificio que os deuses delas lhe pediram. Pois, eu vejo ele no card só para ajudar um velho amigo, não pedindo uma rematch.


Jiggly: Mas tu venceu dele. Foi isso. Tu venceu o grande Bé, o melhor amigo das Gardeas. Alguém que sempre as aceitou como sua familia, alguém que compreendeu elas... Muito antes de ti. E o que tu fez? Um video falando de como o maior herói das historia da Nwr, foi ceifado por ti. Palavras tuas.


Ele falou de modo rapido a ultima frase, enquanto se afasta um pouco a mesa ainda com o cinto em cima dele.


Jiggly: Algo se deve mentalizar. Bés são familia das Gardeas, palavras do proprio Filipe, quando eu falo que isso nunca vai mudar. Como eles chamam? Bédea? Sim, essa Bédea vai continuar com ou sem Legião. Você não precisa compreender, apenas de aceitar. Afinal, certa coisa nem tu mesmo tem escolha.


Jiggly: Então o facto de elas estarem na stable, eu não posso dizer que é indiferente. Porque só torna o grupo mais badass e bem mais atrativo. E realmente parece que está adorando estar num grupo de mulheres não é mesmo? Afinal, quem não gostaria. Mas eu busco por algo, não pela destruição do grupo. Se Bés têm capacidades para isso, será de duas formas: Por acidente ou dentro do ringue.


Ele ajeitava de novo o cinto enquanto praticamente se deitava colocando as pernas em cima da secretaria.


Jiggly: Não tenho intenções de fazer nenhum deles. Tem razão, talvez eu nem seja uma pessoa tão confiavél. Mas o facto de eu precisar do grupo, intacto e são, o facto de ser eu a precisar, isso é confiavél.


Jiggly: Caso não seja aceite, tudo bem. Posso continuar a procurar outro caminho. Agora, se quer isso?


Ele toca no cinto.


Jiggly: Mande seu cão ou sua Berserk vir buscar. Ou como se custuma dizer, "Queres uma coisa bem feita, tens que ser tu a faze-la". Você é um génio intelegente né? Provavelmente gosta desse tipo de frases, se me vê ainda como inimigo, posso te dizer outra;


Jiggly: "Mantenha seus amigos por perto, mas os seus inimigos ainda mais perto".


Ligação se encerra.




 


 



★ Have faith in yourself. ★
avatar
♛ GiihHime ♛
Admin
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 403
Reputação : 259
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 22
Localização : Sodoma/Gomorra

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♛ GiihHime ♛ em 02.09.17 19:26

Video postado no site Oficial da NWR.


A gravação se inicia com o ambiente todo escuro e quando passos são ouvidos pequenos refletores vão se acendendo no chão, quando o ambiente já está mais claro é possível ver que era uma passarela, barulho de algo estralando é ouvido e as luzes se acendem mostrando que o ambiente era uma passarela de desfile, a russa estava em pé fazendo uma pose igual das modelos, ela tinha grandes asas de anjo negras presas nas costas enquanto usava um vestido preto de lantejoulas, toda maquiada parecendo mesmo uma modelo, em baixo da passarela havia vários manequins vestidos com roupas de luxos e joias, outros carregavam câmeras como se fossem tirar fotos da loira parada ali no meio.


- Hahahaha Anjinha doce....Provando toda sua ignorância acha que pode fazer frente a mim, ainda falando sobre força dentre outras coisas muito importantes para ser relevante aqui dentro, eu achava que seria muito interessante tudo o que você dizia até você abrir essa boca e falar sobre eu dormir com o Valugi e ainda entrar em tantas contradições que eu realmente precisei de um tempo para entender o que ela queria, mas agora entendi então...

A Russa começou a andar devagar pela passarela todo enfeitada, brilhante, parecendo realmente que um desfile iria acontecer ali, até ela parar bem na ponta da plataforma.

- Você tem que saber por que seu adversário luta Marjorie esse é seu primeiro erro, porque? Bom, quando você entra em um ringue com alguém é para lutar, vencer, mas, existem pessoas que não querem lutar para vencer elas lutam para ferir seu oponente, elas lutam apenas para destruir aquele a sua frente, e quanto você diz não se importar vai acabar se machucando feio anjinha porque nem todos tem a alma pura e justa como você não é? Ao entrar no ringue sem saber o interesses do seu adversário você corre o risco de acabar como o Caio e Devon, lixos quebrados. Pare de ser tão burra e comece a se importar com os objetivos de seus oponentes dentro do ringue, porque quando você entrar nele comigo, eu irei te massacrar feito o verme que é.

Narkissa deu uns passos para trás e fez outra pose, e quando fez flashes das câmeras dos manequins brilharam, eles estavam tirando fotos do desfile.

- Agora entra a primeira contradição, você me chama de forte e poderosa por causa do jeito que luto ou como eu luto, e ai entra o fato da Legião, decida Marjorie ou eu entrei na Legião para ser forte ou eu já era, mas como você é loira eu entendo que as vezes seu intelecto se resume a água oxigenada demais. Eu já era poderosa antes da Legião, eu já era forte antes dela, e poder atrai poder, Valugi me quis no grupo e eu aceitei entrar, não porque eu preciso ser relevante como você, mas, porque eu quis. Eu não entrei em um grupo para fazer amigas e depois acabei traída.

A russa sorriu de forma maldosa e deu as costas para a câmera enquanto andava para o começo da passarela com as mãos na cintura, ao chegar lá ela fez outra pose e novamente fotos foram tiradas.

- Eu não preciso da Legião, eu estou nela porque quero estar, porque eu gosto de estar nela, todas as vezes que perdi meu titulo eu o recuperei SOZINHA, eu nunca precisei de ninguém me ajudando, eu lutei contra Havoc, aquela piranha da Katrina e você no Night e veja só o que está em minhas mãos.

A loira pegou algo no chão e levantou mostrando para a câmera, era o cinturão intercontinental, ela deitou a cabeça para o lado e sorriu novamente. A loira colocou o cinturão em sua cintura antes de continuar a falar.

- Então....Quem tem argumentos falhos é você, pois eu não preciso de ninguém para ficar com o meu titulo e eu não perdi ele para a minha irmã na primeira defesa e ao invés de ir atrás eu simplesmente me acovardei dando desculpas bestas para não o pegar de volta, eu não pus minha amizades em jogo para ter um titulo e no fim fiquei sem ele e ainda apanhei feito uma idiota pela minha melhor amiga, eu perdi e recuperei meu titulo TRÊS vezes, não tem desculpas por perder e aceitei a derrota como você fez.

Narkissa deu de ombros e respirou fundo antes de falar.

- Meus Deuses existem sim, se eles não existem significa que o seu Deus também não existe, cuidado com o que fala anja pois essa é uma faca de dois gumes, só está provando que não conhece a história de seu Deus, na realidade está provando que não sabe porra nenhuma sobre sua religião sem ser o que está escrito na bíblia ou no que qualquer pastor de araque fala em cultos para arrancar dinheiro das pessoas, ou melhor ainda, esses mesmos pastores fazem dinheiro falando nos meus Deuses e amedrontando as pessoas com eles, então....Se não sabe falar de uma coisa feche a boca ou passe vergonha.

A loira ficava parada com uma das mãos na cintura enquanto olhava para as unhas da outra, fazendo pouco caso das palavras de Marjorie.

- Eu sei o que é realmente poderosa, porque eu sou! Meus Deuses provam que existem em cada vitória minha, em cada palavra que falo, Eles estão sempre comigo me dando forças, eles aparecem nas sombras quando estou sozinha, eles respondem minhas orações, eles respondem quando os chamo, diferente do seu. Eu sendo usada? Bom, segundo você e suas afirmações eu estou sendo usada mesmo e de uma forma bem intima pelo Ceifador, fazer igual fiz com o King? Bom logo chegaremos a esse ponto sobre o King.

A loira parecia incomodada com algo, talvez fosse com aquelas asas nas costas, mas ela preferia ignorar enquanto andava de um lado para o outro na passarela olhando em volta vendo os manequins.

- Você disse não ser uma heroína ou uma vilã, você é apenas uma anja....Sua imbecil anjos são bons, seres puros e cheios de luz para trazer, seres lindos criados por Deus para "manter o mal" escondido, manter os demônios presos no inferno, então isso faz de você a heroína, faz de você a mocinha da história, ou você achou que heroína só pode ser a Lady? Com toda aquela besteira dela, falou a pessoa que faz pose da heroína e protagonista da animação japonesa Sailor Moon quando vence, você é uma heroína, então aqui está outra contradição sua. E se você quer meu titulo pode vir pegar anja! estarei esperando você!

A imagem começou a pular e travar e quando voltou ao normal os manequins estavam em poses diferentes, eles pareciam querer entrar na passarela e tentar alcançar a loira ali que os olhava com nojo e desgosto.

- Então você é só uma garota mimada que ao invés de pedir um pônei para o seu papai pediu para ser wrestler, apenas isso. Ai meus Deuses, você é tão falsa que chega a ser um absurdo! Encontrou a felicidade na luta livre? Encontrou um motivo para o qual lutar? Sentido em viver? Minha nossa isso é papo de pessoas sem objetivos na vida, o que foi Marjorie a vida de Casa da Barbie não te agradou e você resolveu ser irrelevante no meio do wrestling também? Eu também sou uma garota rica, a tipica filhinha de papai e eu não uso de desculpas para estar aqui, e nem falo que encontrei meu motivo de viver, bem tipico de criança falar essas coisas, seu Deus sabe que você ama outra coisa sem ser ele? Cuidado você vai para o inferno.

Ao terminar de falar ela levou as mãos a boca como se tivesse falado algo que não era falar, algum segredo ou coisa assim, seu tom era irônico e fazendo piada da loira que a desafiava.

- Me esconder atrás de Valugi com o rabo entre as pernas......Interessante argumento, eu prefiro outra coisa entre minhas pernas mas, fazer o que. Anja....Você ao menos o que está falando? Porque me parece que você apenas veio me responder como obrigação porque você não tem nada para falar pra mim sem ser que transo com o Valugi, quando eu me escondi atrás dele? Quando eu falei pra ele lutar minhas lutas? Você está totalmente perdida aqui querida, falando coisas sem o menor sentido tentando me afetar com coisas bobas, vem cá....Você já fez 10 anos? Quem sabe quando sair da adolescência o Valugi pegue na sua mão, até lá ele prefere mulheres de verdade não crianças mimadas.

Narkissa estava rindo das coisas que Marjorie tinha falado para ela, parecia que a russa estava brigando com uma adolescente mimada que queria atenção a todo custo. A loira ia andando pisando nos braços nos manequins e eles davam a impressão de a seguir, com movimentos suaves e quase imperceptíveis.

- Uma covarde? Não, eu não quero isso Marjorie, eu quero que você lute mesmo, quero que você lute com tudo o que tem para quando eu te derrotar ser ainda mais vergonho para você, eu quero que você se rebele e venha me enfrentar para eu poder arrancar essas suas asas com as minhas próprias mãos. É isso o que eu quero. E eu não sou mandada por qualquer um, eu obedeço meus Deuses e só eles, agora o Valugi não manda em mim, somos um grupo e ele é o Anjo Ceifador então acato as ordens dele por que eu quero o fazer, pois pode ter certeza que se eu disser não será não, eu não sou cabeça fraca e facilmente manipulável feito você. Ou seja seus Deus destrói todos aqueles que se negam a ele, que não querem o seguir, acho melhor ler de novo seu livrinho de regras ai, pois estou sabendo mais que você.

Ela apertou os lábios e levantou as sobrancelhas dando a entender para a anja ir ler melhor a bíblia antes de falar alguma coisa, novamente a loira voltou a andar pela passarela chutando os manequins de cima do lugar, os tirando dali.

- Marjorie eu não digo ser uma Deusa, eu digo ser uma Rainha Súcubos, e pelas suas afirmações eu sou mesmo. Você se esqueceu que antes de eu entrar na cabeça de King ele era um grande e nobre Rei, ele reinava com força e mostrava o porque todos teme-lo, ai depois que ele me conheceu e me irritou ele se tornou esse ser patético de hoje, levado ao fracasso pela mulher que ele chamou de cobra, e ele realmente achou que eu ficaria ali no pescoço dele....Pobre coitado, eu destruí o grande Rei sem ao menos precisar encostar nele, algumas mulheres tem esse poder, agora outras como você....Pegam migalhas.

Ela falou com maldade tais palavras, olhando diretamente para a câmera e inclinada para frente, logo ela voltou a ficar ereta e suspirou olhando para cima antes de se sentar na beirada na passarela e cruzar as pernas.

- Eles me dão atenção por querem, eu não precisei entrar em um grupo para fazer amigos e depois fui traída, você pode perguntar aos que gostam de mim, eu não preciso fazer o papel de bobinha e boazinha para ser querida por eles, você pode ter certeza que na primeira maldade que fizer seus fãs iram de abandonar pois eles gostam da sua falsa inocência, eles gostam da sua aparência e aura angelicais, agora os meus gostam de mim pelo o que sou, um demônio e se eu ser boazinha eles vão me adorar ainda mais. Quanto a dormir com o Val, você é meu colchão para afirmar que transo com ele? Ou acha que isso vai me afetar? Porque só está fazendo você fazer papel de idiota, igual o King quando não teve argumentos tentou me atacar desse jeito e não deu certo, porque com você daria?

A loira fez uma expressão e duvida assim como sua voz também era de duvida para as acusações da loira.  

- Eu não pretendo atacar o Ceifador, até porque ele não fez que possa me fazer o querer sem ser sem roupas na minha cama, ele ainda me fez pegar raiva dele ou me incomodou a esse ponto, por enquanto continuarei linda ao lado dele e da Legião, enquanto você luta para ter algo sem ser o desprezo de todos, ou a pena deles qual você preferir escolher. Acima de mim? Marjorie você nem chega a tocar meus sapatos, agora vem com esse papo todo ai? Eu não penso que dou medo, eu realmente dou medo nelas, eu sei que eles temem o que posso fazer. Eu já impregnei na sua mente, um anjo puro teve de abaixar o nível e falar das pessoas que eu fodo para tentar me atacar, isso é o começo querida, você pode estar a dez passos a frente, até porque não foi a lebre que ganhou a corrida.

Narkissa deu de ombros enquanto continuava sentada ali, ela passou a mão pelo cabelo o arrumando e depois olhou novamente para a câmera e quando fez isso a imagem tremeu e teve uns pequenos cortes antes de normalizar.

- Marjorie eu não perco meu tempo planejando destruir algo já destruído, eu não perco meu tempo planejando pisar em algo que já esta no chão, eu perderia meu tempo fazendo a segunda parte da sua frase, agora tramando contra você? Não, até porque eu sei que você nunca será capaz de sequer me fazer sentir cócegas, eu sei do que um campeão é feito e não preciso dar pro Valugi para saber isso, você está chateada porque eu e a minha irmã pegamos os melhores da federação e você teve de ficar com os restos? Ou porque nenhum deles quer você porque eles preferem mulheres com algo a acrescentar a vida deles como eu e a minha irmã?

A Russa descruzou as pernas e ficou encarando as lentes da câmera enquanto falava, a mulher se levantou e voltou a andar pela passarela rebolando e dando um passo a frente do outro, antes de parar e tirar o titulo da cintura e o encarar.

- Com certeza não vou deixar meu namorado te bater, eu mesma farei isso. Não se preocupe com isso doce anja, então não desista e continue lutando e lutando enquanto vou continuar pisando em você e nos demais que tentarem pegar minha linda coroa, ou tentarem me tirar do meu lugar como o demônio da divisão intercontinental.

Ela deu um tchauzinho para câmera e depois sorriu.

- Agora eu quero falar uma coisa que estou muito feliz! Estamos em minha casa! E como estamos em Moscou minha terra natal, eu farei um agrado a vocês, como sou uma Rainha muito bondosa e como estou contra uma anja, eu farei um desafio aberto pelo meu titulo. Nesse For Victory quem quiser sair da lama e vir me enfrentar terá a oportunidade, quem achar que pode tirar minha coroa de mim pode vir tentar, quero mostrar a todos os russos como se defende um titulo em sua cidade natal! Provem para Marjorie que vocês podem ser bem mais que apenas vermes inúteis, mostrem para ela que vocês podem lutar contra a campeã!

Narkissa falava alto e com convicção em suas palavras, a loira levantava o braço mostrando o titulo em sua mão enquanto encarava a câmera, seu olhar era vitorioso e sarcástico.

- Até você Marjorie está convidada a minha cidade do pecado para tentar pegar minha coroa novamente, eu faço um desafio aberto e espero que um desses lixos fracassados venha me encontrar dentro da floresta da grande Bruxa, provem que podem ser melhores que eu, sejam os heróis que sempre quiseram ser e se sacrifiquem pela causa que acreditam! Eu vou estar esperando.

A mulher abaixou a mão e a imagem começou a trepidar e a tremer, estava desfigurando o ambiente todo, como se estivesse derretendo ou algo assim, os manequins estavam derretendo o vidro da passarela começou a rachar conforme a loira andava sobre ele, a cada passo o vidro se quebrava e uma mancha vermelha como se fosse sangue se fazia ali.

- Um última coisa....Valugi meu anjo Ceifador lindo, se prepare pois como a Marjorie disse irei transar com você até o dia do show.

A russa mandava um beijo para a câmera depois dava risada. A imagem começou a tremer e chiar novamente ficando avermelhada e deixando a imagem embaçada, parecia as asas nas costas da russa estavam pegando fogo e derretendo junto com o ambiente a volta dela, a impressão era a mulher estava no meio de um incêndio ou algo assim, os manequins pareciam se contorcer enquanto derretiam, a russa ainda fazia poses para as fotos enquanto o lugar a sua volta parecia se destruir sozinho, as plumas negras das asas da loira estavam a seus pés enquanto ela olhava para a câmera, Narkissa piscava para a  a lente e ela rachou só piorando ainda mais a imagem.


Vídeo encerrado.



♰ Our love is violent, it is obscure, it is obsessive, it is chaotic, we suffer because of it, but ... We like that sweet pain. ♰
avatar
✡ MadameZombie ✡
Admin
Admin

Mensagens : 189
Pontos : 549
Reputação : 332
Data de inscrição : 31/12/2016
Idade : 21
Localização : Salém

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ✡ MadameZombie ✡ em 02.09.17 22:09

Vídeo postado no site oficial da NWR

O vídeo se inicia no que parecia ser um a mansão toda destruída não tinha uma parte do teto nem das paredes o ambiente era escuro até uma luz vermelha tipo um flash iluminar todo o ambiente e notava-se Valugi sentado em um trono escuro tinha uma corrente presa o L de Legião estava pendurado por correntes no teto o homem encarava a filmagem enquanto a corrente presa na cadeira começava a se mexer uma gargalhada cruel ecoava pelo ambiente

Violetty: - MORTE AS VADIAS!

A mulher gritou tentando pegar a câmera mas a corrente presa ao seu pescoço a puxava para trás

Valugi: - Minha bruxinha não fale assim dos nossas oponentes..elas podem chorar

Violetty: - Eu vou arrancar a cabeça delas e comer os olhos

Valugi: - Não vale a pena você vai passar mal comendo carne feita de fracasso e sonhos perdidos....as heroínas ou a heroína não é mesmo Marjorie? A mulher perfeita a anja que não é heroína duas crianças querendo brincar com os adultos

Violetty: - O grupo dela tem heroína no nome mas a vadia diz que não é uma heroína anja estúpida nem você com essa mascarada fraca vai ser capaz de bater a legião vocês duas vão cair podem vir lutem se transformem nas salvadoras e sujem mais ainda o roster com o fracasso é a merda que vocês são

A bruxa levantou os braços e estava segurando o título de Valugi e o dela o homem riu se arrumando no trono ele levantou a cabeça um pouco fazendo uma cara de nojo e desprezo  

Valugi: - Lady achava tanto que seria diferente ela se via como a salvação mas é uma mulher acabada buscando a última dignidade que a resta completamente sozinha porque Marjorie não vale como ajuda ela é uma modelo que usa palavras baixas para tentar contra atacar falando não só da minha vida intima como me acusando de coisas bem típico de anjos que seguem as regras...gostam de acusar mas nunca reparam nos próprios defeitos esses seres tão puros mas apenas por fora

Uma luz vermelha piscava rapidamente e atrás da cadeira do homem em sua sombra dava para ver grandes assas negras a bruxa estava em pé ao lado dele ela entortava o corpo para o lado e o homem passou a mão pelos cabelos da mulher

Valugi: - Nós queremos que vocês lutem a heroína já está se desculpando e ainda nem derrotamos ela seu maior defeito foi sua arrogância disfarçada de heroísmo você ficava por ai falando de suas vitórias com um grande sorriso no rosto mas quando bateu de frente com a verdade você caiu achou mesmo que eu teria uma membra fraca? Megan apenas te mostrou o seu lugar Lady que é no chão caída e derrotada mas continue lutando seja uma barata você e sua colega são isso duas baratinhas querendo buscar o grande ouro mas sempre ficam perto nunca conseguem  

Violetty: - A anja não é capaz de fazer frente a mim ela busca desculpas busca escapatórias e como qualquer anjo culpa seu Deus pelos seus fracassos usando a velha desculpa “ele guarda algo melhor” aceite que não pode faça como todos os outros e corra anjinha porque vamos a devorar eu vou comer suas penas e o cuspir na sua cara essas penas falsas de modelo você não é anja é apenas inocente o bastante para achar que pode se comparar a uma anjo um ser celestial cheio de mentiras e falsas promessas mas isso não te importa você quer ser algo você precisa ser algo além de uma modelo então se agarrou a ideia de anja..mas todos os anjos caem hahahaha até mesmo o mais belo deles

A bruxa esticou a mão e passou os dedos pelo L pendurado aquilo foi uma indireta para além do nome Legião

Valugi: - Como sempre achei apenas uma menina buscando atenção do pai entenda uma coisa Marjorie você não é nada para ter minha atenção para ter alguma coisa de mim se considere honrada que vai subir no ringue e lutar contra mim você mesma falava tão bem de mim então sabe que não pretendo te ensinar nada se não o caminho direto para a saída digna de pena você não merece atenção não merece lutar o que você merece é um castigo por me fazer ficar na sua presença patética uma carreira cheia de furos e desistências atacou o ex campeão quando ele estava fraco atacou o rei de plástico quando ele estava na sua pior fase se que é algum dia ele teve uma fase boa sem ser ao lado de Narkissa que eu gentilmente a tomei para mim sem ressentimentos King  

Violetty: - Você é a típica anjinha falsificada assim como tudo que a cerca incluindo sua amiga heroína uma sangue suga que se aproveita dos momentos fracos para aparecer e tentar conseguir algo seja converter alguém a sua crença ou derrubar essa pessoa afinal seu Deus raivoso mato quando não é adorado igual a você que precisa dessa atenção que sabe que precisa ser algo carreira de modelo acaba sua idade batendo na porta e o desespero pela adoração escorrendo por seus dedos então veio para cá falando bem de todos sendo amiga mas quando você viu a chance começou a atacar mostrou quem realmente é corrompida pela ganancia usando os fieis a sua crença asquerosa como desculpa para pisar em cabeças e destruir pessoas mas se fizer em nome do Senhor pode....não é mesmo? se não você seria apenas uma vadia sem escrúpulos que usa as pessoas em beneficio próprio

A bruxa tentava agarrar a câmera ela rosnava e passava as unhas pelos braços os títulos estavam caídos naquele chão rachado e com raízes saindo da terra

Valugi: - Quando se usa o nome de uma força maior fica mais fácil conseguir a aprovação da massa para fazer o que seria errado nossos Deuses são vistos como cruéis falar o nome deles é errado você cai no conceito quando fala sobre isso mas você como sempre em sua vida escolheu o caminho fácil uma modelo que quis brincar de Barbie lutadora você e Lady se merecem ambas são pesos mortos o tempo de vocês acabou vocês não são diferentes dos homens daqui vocês querem que olhem pra vocês querem que todos gritem seus nomes que usem vocês como exemplo “Eu fiz pela Lady e pela Marjorie” é nisso que ambas acreditam serem adoradas como Deusas uma usa religião para isso e a outra crianças sempre inocência uma forma cruel mas esperta de manipulação

Violetty: - Eu também gosto de crianças mas uso elas para outros benefícios hahahaha duas minhocas se contorcendo no asfalto quente esperando alguém sentir pena esperando alguém vir a socorrer falam em lutar sozinha mas a própria anjinha já tirou o dela falando que queria brigar apenas com um essa heroína patética não consegue nem ter uma amiga ao lado dela minha filha foi esperta em meter uma faca em suas costas vocês são perda de tempo mulheres consumidas por si mesmas já estão derrotadas e ainda nem pisaram no ringue uma mulher sem nome e uma modelo buscando a própria identidade o lugar no mundo uma dupla perfeita

Valugi: - Minha bruxinha vencedores atraem vencedores enquanto elas são mulheres que falta um pedaço elas não tem nada além de adoração Lady sempre precisou de conselhos sempre precisou que um terceiro pegasse na mão dela pergunte a Valugi Barros que o ancião dessa coisa e veja só ele criou alguém como ele fraca inútil e sem competência para fazer o trabalho da forma correta ele a ensinou a cair com classe assim como ele fez até o verdadeiro campeão surgir até EU voltar e conseguir em semanas o que ele não pode fazer em meses assim como Lady um fracassado quando eu tive que imitar ele eu estava quase tendo refluxo imaginando que teria que enfrentar uma modelinho que só sabe rebolar e sorrir e uma heroína exibida e veja só aqui estamos nós

Ele passou a mão pelos cabelos e se levantou do trono o homem caminhou um pouco com as mãos para trás ele parecia calmo enquanto a bruxa mostrava bastante raiva como um animal preso

Violetty: - Ela diz que você usa a gente mas a usada é ela essa modelo escrota sempre usada pelo público sempre sendo o que as pessoas querem que ela seja ela é uma mulher feita de estereótipos se é para sorrir ela vai sorrir se é para pintar o cabelo ela pinta o público manda ela faz porque é isso que marionetes fazem obedecem seus mestres o que não acontece aqui Legião é família nós somos uma família e ajudamos uns aos outros sem querer nada em troca agora você anjinha falsa faz o que o público manda buscando adoração buscando a admiração você e sua amiga mascarada vivem de aparências uma aparência que ambas criaram sem vontade própria

A mulher fez uma cara de nojo e tentou novamente ir pra cima da câmera até o ceifador colocar o braço na frente da bruxa e a olhou o inglês olhou para cima admirando o L ele riu baixo

Valugi: - Admiração move vocês apenas isso não existe grande ambição sem ser a tão desejada admiração para isso vocês precisam de títulos para isso vocês precisam comprar brigas que ninguém quer comprar vocês tem que aparecer para se destacar de alguma forma uma mulher sem nada e outra que tinha tudo mas ambas buscam por algo o amor os gritos o apelo dos fãs porém isso tem um preço alto quando você é derrotada todas as vezes que você cai e não levanta você vai perdendo a adoração eles começam a ver que o mal vale mais a pena esse é o preço de jurar e prometer algo que não são capazes de cumprir me respondam quem que é realmente mal que vocês derrotaram? Marjorie desistiu de lutar com a bruxa ela mesmo em vídeo falava não estar a nível das Gardeas Lady quase foi morta pela minha Narkissa e usa a desculpa que a levou no limite para se consolar da derrota vocês são apenas bonecas montadas para agradar um bando de retardados com mente pequenas

O homem segurava na corrente e enrolava na mão olhando a bruxa querendo ser soltar ele sorriu apontando para a câmera era como um aviso as adversárias

Violetty: - Vocês destruir elas e pisar em suas almas Eles querem isso as vozes gritam e gritam na agonia e no desejo da destruição em massa elas entraram na floresta mas nunca foram capazes de sair Lady se perdeu quando minha irmã levou um pedaço dela e depois eu roubei um dessa anjinha falsa mulheres perdidas mulheres sozinhas sempre atraindo o fracasso para si mesmas comprando brigas que nunca serão capazes de  vencer essa guerra é nossa precisamos que vocês lutem precisamos mesmo que se ergam e tornem mais patético ainda a derrota de vocês bem mais humilhante venham buscam o apoio dos trouxas que acreditam em suas palavras positivas que apenas eles acreditam nem vocês mesmas acreditam em si se eles não fizeram isso por vocês

A bruxa rodou dando uns pulinhos com os braços abertos a filmagem começou a corroer e mudar mostrava várias pessoas aos pés do homem da mulher as assas do ceifador parecia proteger ele e a bruxa enquanto parecia estar com o corpo cheio de sangue a filmagem volta ao normal e o ambiente estava limpo sem nada daquilo

Valugi: - Dão desculpas para as derrotas dão desculpas para qualquer coisa que fazem e que não agrada seus queridos fãs sempre buscando uma forma de nunca assumirem a culpa e quando a fazem é seguido de uma frase genérica sobre erros e acertos palavras para ensinarem aos inúteis iguais a vocês a levantar e lutar mesmo quando estão caídos vocês criam um exercito de seres fracos que usam das mesmas desculpas quando estão no chão falando sobre voltar mais forte porém nada impede que seu inimigo também tenha se fortalecido e te derrote de novo uma hora vocês tem que aceitar o chão aceitar a derrota isso é uma lição aceitar a derrota  entender que é fraco e que precisa de mais do que tem não levantar e voltar a gritar aos ventos que mudou então vai lá e cai de novo

Violetty: - Vocês são desculpas para o que mulheres devem ser as perfeitinhas as que buscam pela própria justiça acham mesmo que seu lugar é aqui? Vocês não pertencem a lugar nenhum existem apenas para serem adoradas nada mais nada menos vocês se modelam pra isso ser as garotas lindas e perfeitas lutando pela bem mas ambas correm pro lado do mal ambas machucam e pisam quando é preciso esquecem o senso de justiça e certo e para não falarem usam o heroísmo ou o senhor como uma desculpa dizem que não tinham escolha que precisavam fazer o certo desculpas....SEMPRE ESSAS MESMAS DESCULPAS DE MERDA EU QUERO ACABAR COM A RAÇA DE VOCÊS!

Ela gritou totalmente irritada o ceifador saia da frente da bruxa ele segurava a corrente que era bem longa para a mulher poder se movimentar sem chegar muito perto da câmera conforme ela gritava a filmagem ia distorcendo mostrando pessoas destroçadas e sangue para todos os lados o L pingava sangue como se o vermelho dele fosse puro sangue

Valugi: - Nós vamos acabar com elas destruir as desculpas destruir os estereótipos acabar com a casinha delas seja como for essas mulheres não tem capacidade para ganhar não podem nem manter a si mesmas quem dirá um combate sempre são arrastadas pelos outros se conseguem algo teve alguém envolvido uma motivação de última hora Lady estava arrogante falando em vitórias falando em ser intocável mas agora eu vejo uma garotinha assustada uma mulher que não contava com uma maré de azar isso Lady se chama Legião não é uma fase não apenas uma ou duas derrotas essa vai ser você daqui em diante sempre derrotada sempre embaixo porque a Legião chegou para destruir pessoas como você feitas de nada sem nada a oferecer apenas palavras nós vamos destruir aparências Megan fez o trabalho dela e eu farei o meu vou continuar mostrando que você não merece nada além de vaias e uma passagem só de ida para o esgoto de onde saiu

Violetty: - Lixos lixos mulheres moldadas seres são capacidades vocês irritam eles vocês não prestam para sacrifícios vocês são seres desprezíveis até mais do que eu usam pessoas usam crenças se alimentam da inocência e da mídia sorriem como vitoriosas mas caem sempre caem esses sorrisos já estão grudados na sua cara igual uma Barbie um sorriso mais fácil que sua força de vontade vocês não tem isso o que vocês tem é interesse eu sirvo aos Deuses eu luto por eles eu ganho por eles eu não prometo nada a ninguém além deles não preciso de nada além deles não preciso ficar sorrindo fingindo mentindo coisa que fazem bastante nojentas patéticas  

Valugi: - No próximo show a Legião continuara seu legado mantendo o que falou destruindo pessoas falsas ganhando espaço Lady falou que o bem ia prevalecer e saímos vitoriosos somos campeões somos fortes muito mais fortes que essas mentiras que essas aparências então no próximo show dentro daquele ringue com todos os seus adoradores olhando....a bruxa vai sacrificar e eu serei o anjo negro o anjo ceifador que levara suas almas e pessoalmente a entregara aos deuses mostrando a todos a parte mais fraca de suas heroínas mostrando quem elas são de verdade...se preparem porque a queda de vocês é apenas o começo de um império de caos e dor

O ceifador puxou a corrente arrancando ela do trono ele se afastou dando risada enquanto a bruxa levava as mãos até a cabeça gargalhando a mulher correu na direção da câmera acertando um soco com força a derrubando no chão ela ficava encarando a filmagem falhar  

Violetty:  - Suas almas imundas vão ser ceifadas e sacrificadas vão cair em desgraça sozinhas perdidas seremos a sua destruição sua ruína espero que gostem do escuro...vão passar muito tempo nele

O ceifador ficava em pé ao lado da bruxa a morena por sua vez olhava para o homem que confirmava com a cabeça sendo assim ela levantou o pé e pisou com força na câmera a destruindo por completo


Vídeo encerrado



♦️ You're lookin' crazy and you're lookin' wrong
We look like we belong ♦️

avatar
★ Bé ★

Mensagens : 338
Pontos : 915
Reputação : 520
Data de inscrição : 08/07/2014
Idade : 22
Localização : Portugal

7

Mensagem por ★ Bé ★ em 02.09.17 22:42










 

 


Nwr/Adam.com


Um video se inicia, com Adam em algo que parece um balneario, ele tinha uma mala no chão, onde provavelmente trocou de roupas, pois ele ainda estava ajeitando a mascara quando o video começou, ele ficava ajeitando a roupa do corpo, claramente se tinha vestido a presa para gravar aquilo. Ele ficava se movimentando de um lado para o outro com um ar nervoso.





Ele continuava se movimento enquanto resmungava algo, ele terminava de ajeitar o fato no lado do braço com a mão direita de forma bem violenta, estava muito silencioso o local, se ouvindo apenas os passos pesados do homem e ele resmungando algo com uma voz grave e baixa não dando para ouvir o que era.


Ele parece tentar se acalmar, e olha para a camara algumas vezes tentando manter o foco, ele parecia tremer um pouco devido aos seus nervos. Ele abranda um pouco e finalmente para em frente da câmara, ele fica encarando ela movimentando a cabeça um pouco para o lado. Ele depois volta a olhar para a camara e fala.


Adam: Nosso querido Bé de serviço falou. Ouçam todos pessoal. O favorito dos Bés realmente se julga invencível. Julga-se melhor do que eu. Quem não adora uma pequeno rapaz bobo tão arrogante? Bem. Eu não. Está na hora de alguém te ensinar algo a ti Júnior. E se chama. Respeito.


Ele ficava mexendo os dedos da mão bem perto da cabeça, ele parecia naturalmente inquieto.


Adam: Eu sei sobre ti. Sobre o teu passado. Leva em conta o rank de Vigilante. Eu sei de tudo o que aconteceu na E-Fed. Na Fsa. Aqui. E quando eu te vejo, exibindo suas cicatrizes... Me diz então a mim? Quem se importa delas? Acha elas elegantes? Porque nunca contou como fez elas?


Adam: Não foi de um modo honrado, ou hardcore. Foi em uma briguinha idiota com seu irmão. Onde ele te enfrentou na tua especialidade. Barbed Wire né? Você foi jogado de costas contra o arame. E foi derrotado momentos depois por um Béminator. Mas você já está habituado a perder combates nos quais é especializado não é verdade?


Ele fazia a questão enquanto levantava a mão e afastava um pouco a cabeça, ele depois continuava.


Adam: Aprender, desenvolver e morrer. Posso ter pulado o primeiro. Mas repare, que tu pulou o segundo. Antes de falar de mim pensa um pouco. Não tente xingar ou deitar abaixo aquilo que não quer compreender.


Adam: Eu perdi meus combates porque eu enfrentei direto. Eu bati de frente com Violetty, pelo simples motivo de não ter aqui ninguém homem o suficiente para o fazer. Eu perco meus combates porque eu luto contra os melhores. A gêrencia continua a me bookar desse jeito porque sabe que eu sou uma aposta fiavél.


Adam: Eu não consigo colocar ordem nessa merda. MAS EU TENTO! Esse é o meu caminho. Tentar fazer aquilo que eu mesmo acredito. Sem ter que ser um heróizinho que beija crianças ou aquele tipo que vem aqui dando risada maléfica. Agora você? Você não sabe o seu caminho?


Ele claramente aumentava um pouco o tom de voz e se afastava da câmara.


Adam: Você me chama de abécula. Mas compreenda. Ou tente compreender. NÃO TEM ESSA MERDA DE CAMINHOS. Não tem RUMOS. Nessa merda de federação você vence um objecto chamado TITULO, e está feito!


Adam: Você nunca compreendeu que tudo o que tinha que fazer era lutar por um titulo ou vitorias? Mas tu é burro? Porque namoral, até a Violetty compreendeu isso de primeira e tu não. Ah sim, ela teve pena de tu ser uma pessoa demente ao ponto de não compreender isso e te deu um titulo. Você não é ninguém.


Adam: Violetty fez de ti alguém. Mas isso vai sumir com o tempo. Porque você é um perdedor, e mais tarde ou mais cedo, vai perder esse titulo, e desapontar todo o mundo uma vez mais.


Ele fazia sinal com as mãos enquanto voltava a se movimentar de um lado para o outro.


Adam: Seu caminho é defender o cinto? Ahhh? É mesmo? Mas tu tem demencia e só entendeu isso agora? Tu poderia me ter perdido que caminho seguir. E ATÉ EU, o mais non-sense e bugado do roster saberia te dizer que tu só tem que ganhar coisas e conquistar titulos.


Adam: Não sou eu que tenho que fazer isso. Estou pouco me fodendo para minha carreira. Estou apenas procurando combates e competição FISICA. É o motivo de eu estar aqui. Querer chutar gente desordeira como tu.


Adam: Nunca rebaixe o seu oponente a esse ponto. Sabe o que acontece se rebaixar o seu oponente? Vai tornar uma vitoria sobe ele, insignificante. Ou uma derrota contra ele, critica. Foi isso que tu fez, e agora vai ter que lidar com uma dessas. Veja só, tenho algo para te ensinar.


Ele voltava a ficar um pouco mais quieto, ele falava enquanto movimentava as mãos e os braços.


Adam: Minha crise? Eu não tenho uma crise. Eu tenho problemas. E tu é um deles. Vai por mim. Tu definitivamente é um deles. Como adorou me botar a cara derrotas contra Violetty. Como se tu tive-se ganho dela no meu lugar. Ah, me poupe criança.


Adam: Vai lá, vai em frente. Tu não é o homão aqui corajoso? Porque não vence da campeã para ser realmente um campeão honravél? Mas se saiu lessionado contra Lady, duvido que sobreviva a um hell in a Cell com ela. Mas a gente, homens corajosos somos libres para tentar. Porque me colocar na cara de eu perder contra a Vio e perder de um jeito tosco contra a Lady... Realmente deveria continuar a imitar hipócritas.


Ele falava, claramente sem ironia ou sarcasmo. Ele parecia mais quieto enquanto voltava a falar.


Adam: Você tem certa razão em algumas das palavras. Eu não mereço um reinado. E nem me intresso tanto por um. Mas uma coisa é certa. Eu quando for campeão eu irei conquistar o titulo por mim mesmo. Nunca permitirei que me entreguem isso de bandeja.


Adam: Apenas covardes aceitam vitorias desse tipo. Tratou a sua jovem Violeta como uma mercenária. Não se preocupe não se eu insisto em me levantar, já deixei isso claro. É bom que me chute para baixo e me faça cair vezes sem conta. Porque eu se realmente conseguir me manter em pé...


Adam: Eu vou QUEBRAR sua cara. Vou pegar no seu filho... E vou quebrar novamente sua cara usando ele!


Ele parecia claramente um pouco transtornado e bastante incomodado com as palavras de Jigglypuff.


Adam: 5 minutos de gloria. Isso define muito bem a sua carreira na Nwr. Visto que realmente venceu titulos. Mas nunca defendeu um. Lamento te incomodar mas será que realmente não vai perder de novo na primeira defesa?


Adam: Não gosta desta merda de videos? Quem está ainda a assistir ele não gosta? Faça o favor e fecha essa merda, ninguém te está obrigando a me ouvir. Eu não acredito nessas palavras que ouço... Para eu parar de ser uma abécula e parar de ficar procurando algo que não vou conseguir encontrar ou manter?


Adam: Tu já reparou que os conselhos que me deu servem para si? VOCÊ. Você está falhando em ficar procurando algo que não consegue encontrar ou manter. Que é o seu lugar na Nwr. Sua carreira. E por falhar, desistiu? Claro que não seu idiota!


Após a ultima palavra dele, ele bate com o punho na mão de modo bem frustrado.


Adam: Você levantou tal como eu. Só que a diferença. Que você levantou para fazer mais cagada. Ai depois voltou a cair, e na cagada que fez. Ai voltou a fazer o mesmo. Até que teve que surgir a porra da bruxa para te tirar dessa merda. Literalmente.


Ele se encostava na parede, ele tentava morder a mão descarregando alguns nervos, mas a mascara não facilitou nisso.


Adam: Familia? Quer realmente falar sobre sua familia. Vamos então falar sobre sua familia, está na hora de alguém te tacar algumas verdades na tua cara. Porque todos têm dó de atacar o favoritinho dos Bés, então vamos falar sobre eles.


Adam: Primeiro ponto. Eu não sou uma vergonha para sua familia. Gente pior pisa nesse ringue. VOCÊ é a vergonha de sua familia. Ninguém aqui é. Você é. Quer ser o melhor, se julga o orgunho dela, já viu que tu é o pior Bé que temos por aqui?


Adam: Não temos tantos, mas tu já viu bem que até a Dani te passaria a perna? Seu tio. O grande e mitico Bé. O Bode das Gardeas. O exercito de um só homem. O eterno campeão do povo. O Herói supremo. Entre muitas outras alcunhas que poderiamos inventar.


Ele se volta a afastar um pouco da parede.


Adam: Alguém que nem sequer gosta de violencias. Alguém que entrou no lugar porque nenhum dos irmãos Bés estava valido para fazer. Alguém que fez o TEU trabalho como Bé. E alguém que mesmo não acreditando tão bem em violencias, é mais forte do que qualquer outro aqui.


Adam: Alguém que nem sequer tem a agressividade que todos os outros tiveram. Seu tio é alguém que tu NUNCA serás. Ele não carregou o fardo dele, ele carregou o TEU, desgraça. Enquanto ele estava ai. Combatendo e sangrando, tu estava onde? Em um bar bebendo para esquecer que bebe?


Adam: Esperando por uma chance cair do céu? Ai o que aconteceu? Sua familia te ajudou uma vez mais, seu tio te trouxe até aqui. E você não sabe se virar sozinho. Porque é apenas uma criança perdida e sozinha em um mundo duro e cruel, se tentando adaptar a essas condições.


Ele batia com a palma da mão contra a parede enquanto falava.


Adam: NÃO criança patética. Não somos nós que nos temos que habituar a este mundo fio e cruel. Somos nós quem deve fazer o mundo frio e cruel se habituar a nossa presença. Nós somos donos do nosso proprio destino. Eu também tenho um neste momento. E é ENCHER sua cara de tapas!


Adam: Fala sobre o talento do seu irmão. Como é admitir isso em publico? Como é sentir com essas criticas e ouvir essa verdade? A verdade que tu nunca serás mais talentoso que o teu irmão? Alguém que estás chateado com ele porque? Porque a mulher da tua vida gosta mais dele do que de ti?


Adam: Então decidiu fazer o que? Isso, vai renegar o palhaço uma vez mais. Como se ele não significa-se nada. Como se ele não fosse ninguém. Ele é. Ele é seu irmão! E até o louco do seu irmão faz o SEU trabalho melhor do que tu próprio. Mas ele não se importa disso. Ele tem pena de ti e te quer feliz. Então deixou tu voltar a assumir o seu lugar e ser feliz. Porque é assim que um irmão age.


Ele voltava a bater um pouco na parede com a palma da mão.


Adam: Ele procura o bem estar do outro, mesmo que isso custe o seu. Seu irmão não só mostrou ser um lutador melhor do que tu. Como mostrou ser um Bé melhor do que tu. E mesmo que ninguém te queira falar a verdade. Que você não chega nos calcanhares dele.


Adam: Me diz, saber disso como te faz sentir? Está com vontade de socar minha cara neste momento? Culpar alguém de seus erros? Sair por ai quebrando objectos e apanhando para lutadores? Porque até agora, sou eu quem nunca te viu a fazer nada de nada.


Ele parecia cada vez mais nervoso, ele ficava bem inquieto ainda com a mão encostada na parede.


Adam: E EU? Eu estou desonrando o seu pai?


Adam: NÃO RAPAZ. Júnior aqui és tu! Você está desonrando ele, não os outros lutadores aleatorios do roster! De um homem que ele tanto cuidou, ensinou, educou. De um filho, que ele fez tão glorioso... E tu... Te tornas-te nessa coisa que todos nós vemos ai hoje em dia, ficando com restos de reinados, procurando migalhas, pedindo a outros para te ensinarem algo.


Adam: Eu estou feliz que ele tenha morrido para não conseguir ver naquilo que te tornas-te. Sabe porque?


Adam: ELE TERIA VERGONHA DE TI!


Ele acerta um soco na parede, com alguma força fazendo grande barulho. Ele repentinamente parece se acalmar.


Adam: Não é por causa dela que quer entrar na Stable? Eu sei porque é. Porque você não tem vontade própria. Você precisa de alguém te apontando o dedo e te diga o que deve ou não fazer, por onde deve seguir. Você precisa de alguém para te dar ordens, precisa de um superior que te guie por algo.


Adam: Porque não tem capacidade o suficiente para fazer sozinho. É dependente. Precisa de alguém para fazer de ti grande, precisa que te digam algo para acreditares, por isso fica pedindo para a Legião te ensinar um caminho. Vês o jeito de Valugi tratando Violetty como uma filha. E talvez sintas inveja disso? Talvez também queiras isso?


Adam: Legião não te vai dar um caminho. A legião não vai fazer de ti um homem. Você cria o seu proprio caminho. E você se torna em um homem sozinho.


Adam: Você quem deve ganhar vergonha na sua cara. Não sou eu. Eu nem tenho uma.


Adam: Te vejo em Moscou.


Ligação se encerra.

 


 



★ Have faith in yourself. ★
avatar
valugi

Mensagens : 84
Pontos : 156
Reputação : 78
Data de inscrição : 19/01/2017
Idade : 28

Re: Prome Aqui!

Mensagem por valugi em 03.09.17 20:11

Logo após o vídeo da Violetty, quando ela quebra a câmera, já fora do ar Valugi bota a mão na cabeça. quando a bruxa olha para ele tipo desce um pequeno suor pelo rosto

- Eu acho que exagerei

O Inglês começou a rir

- Não se preocupe, eu iria gravar o vídeo especialmente para Jiggly  

- Não trate ele tão mal

- você sabe que ele tem que passar nesse teste, nem os deuses aprovam ele e você sabe disso, não posso fazer qualquer um entrar nesse grupo, mesmo que seja um Bé

A bruxa percebia a verdade nas palavras do Anjo Ceifador e deu um abraço nele

- Olhe pelo outro lado se ele passar no testes os deuses não lhe pertubarão tanto quando o assunto for ele.

Ela olhava como se concordasse, de repente escuta uma buzina de moto, era Megan chamando Violetty

- Bom Val, bom vídeo

Violetty pulava da janela do local

A vinheta da Legião entrava de novo e Valugi dessa vez estava sozinho, sentado no trono

- Eu sei que há pouco tempo eu e o Violetty gravamos um vídeo, mas foi direcionada aquelas duas hipócritas, esse vídeo vai ser direcionado a outra pessoa, mas deixem deixar uma última coisa claro para a modelo que se acha uma anja, o que eu e Narkissa temos e mais real do que tudo que já aconteceu na sua vida, sempre vivendo no meio das mentiras não é Marjorie?

O Inglês sorria para a câmera e colocava um braço na cabeceira da cadeira

- Mas esse vídeo não e para aquele grupinho falso, vai para outra pessoa que vem falando comigo e sobre a legião, sim nosso querido pokemon da NWR, Jigglypuff,  vou lhe responder cada questionamento, primeiro eu posso ser visto como o líder da Legião, mas não fica monitorando a vida dos outros não sou um ditador, nunca impediria Violetty de sair com quem ela quiser, mas tem um detalhe o desafio que estou fazendo com certeza vai mudar muita coisa, vamos pensar que você falha no desafio, e derrotado, primeiro o que me interessa que está no seu poder é o título, e se você for derrotada, isso nos já conseguimos de volta, sem precisar usar nenhuma regra, mas você diz mesmo que eu perca ninguém vai me impedir de continuar saindo, talvez seja bem verdade, mas vamos dizer que os deuses não ver você com bons olhos e se você falhar esse desafio da Legião, como você acha que eles irão ver você, espero que já tenha visto a Violetty quando é perturbada pelos deuses, quando faz algo totalmente contrário ao que eles querem, você permitiria esse sofrimento a ela, por um desejo egoísta seu?

Valugi se levantava e andava de um lado para o outro como se pensasse em algo, bem estilo Sherlock Holmes fazia em seus contos

- Eu não lhe considero um inimigo, enquanto não nos atrapalhar, o título que você segura e a única coisa que interessa a Legião, e se você perder no desafio também vai perder ele, então se você falhar e continuar sua vida sem atrapalhar a Legião, não tem para que eu ficar lhe perseguindo, quanto a ajudar a minha pessoa defender o cinto, eu mesmo não pediria que elas me ajudassem, porque sei que sou capaz de defender ele sozinho, assim como Narkissa e capaz de fazer isso, assim como Violetty também e capaz de fazer isso, a Legião vai mostrar sua força diante os outros sem querer fazer essas artimanhas.

O Inglês sorriu

- Mas agora vem a parte mais interessante da sua fala, dizendo que a Legião não é família, pergunte a Violetty se ela não considera isso uma família, todos que estão aqui dentro se sentem como parte de uma família, se forem aprontar algo com um terão todos no pé, você viu o que houve com todos que desafiaram e quiseram crescer em cima da gente? Por isso também que tem todo cuidado em relação a novos membros dentro desse grupo, porque a antiga Legião caiu por causa disso, por isso que tenho que tomar todas as precauções, para que a família não seja afetada, mas você diz que a Bé e a verdadeira família das Gardeas, imagine se não fosse, no pior momento espiritual delas onde vocês estavam? Todos fugiram e quem foi salvar elas das punições das quais elas não eram culpadas? Sim, foi a Legião, desde que retornamos sempre que elas precisaram estávamos juntos, enquanto a família Bé foi ficar chorando porque perdeu o título principal, e pelo que eu saiba Jiggly, você inclusive ficou com outra pessoa sem ser a violetty não é? Ou isso é mentira minha? Essa Legião não abandona ninguém, esse é um laço inquebrável e por isso tenho que ter todo o cuidado com quem pode fazer parte desse grupo, quando o Bé abandonou a Gardeas no pior momento a família se quebrou, mas claro que elas ainda tem consideração, vocês foram parte da vida delas, mas não é a mesma coisa, isso lhe garanto

Com isso o L ficou vermelho e o programa se encerrou



avatar
♛ GiihHime ♛
Admin
Admin

Mensagens : 148
Pontos : 403
Reputação : 259
Data de inscrição : 13/02/2017
Idade : 22
Localização : Sodoma/Gomorra

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♛ GiihHime ♛ em 03.09.17 21:45

Tarde de domingo, em um hotel de Moscou.


Narkissa estava dentro do elevador mandando mensagem para alguém de forma frenética, e parecia frustrada por não responderem, ela saiu do elevador e quando foi para o saguão ela viu alguém conhecido na recepção, a mulher sorriu e guardou o celular no bolso da calça, e foi andando na direção dele, a mulher falou quase gritando antes de sair correndo e pular nas costas do homem.

Narkissa: - NAMORADO!

O homem levou um susto e quase acertou uma cotovelada na Russa que desvio e depois sorriu para ele, o homem olhou em volta vendo todos os olhando enquanto a mulher ria.

Sudz: - Você ficou louca? Ta tudo mundo olhando, e eu poderia ter te machucado.

Narkissa: - O que foi Lyúbimêy (Amado)? Não quer que eles saibam do nosso relacionamento?

A mulher perguntou fazendo um biquinho triste enquanto piscava os olhos para o russo que revirou os olhos, ela se aproximou e beijou o homem que retribuiu por um momento antes de se afastar.

Sudz: - Pare com isso, depois você vai ter problemas. E o que faz aqui?

Narkissa: - Ai pare de ser chato Shushudz não terei problema nenhum, e eu vim atrás da minha irmãzinha mas ela não responde minhas mensagens e nem atendeu a porta, mas, como o Bézinho vai lutar ela estar bem ocupada com ele....Se é que entende....

Sudz: - Quero nem pensar nisso, sua irmã corrompeu ele e agora tenho que fazer ele parar com esse besteira e vir para o lado certo.

Narkissa: - Você não quer deixar eu te corromper também? Eu sou boa nisso.

Ela falou enquanto deu um beijo no rosto do homem ainda abraçada nas costas dele.

Sudz: - Eu sei que é, mas não, eu não quero ser corrompido Narkissa.

Narkissa: - Algo me diz que você quer sim, porque parece bravo? Senti saudades de você Shushudz.

O homem olhou para ela e suspirou pesadamente antes de a pegar pela mão e a trazer para perto dele em um abraço.

Sudz: - Diferente de você eu tenho que treinar para lutar no show, não tenho tempo para seus joguinhos.

Narkissa: - Tem certeza que não tem um tempinho pra mim? Você e o Bézinho vão vencer pare de ser tão chato e vem ficar um pouquinho comigo, eu tenho um tempo antes de ir fazer uma entrevista chata.

Sudz: - Quero estar em forma para pegar o titulo de volta, e a vida de campeã me parece bem chata pelo seu tom de voz.

Narkissa: - Um pouquinho.....Qual titulo o da minha irmã ou o meu?

Sudz: -  O que vier primeiro. Você sabe que não pode ficar desse jeito comigo não é? E o se o Valugi ver pode ser ficar bravo, ai eu terei de quebrar a cara dele.

A loira riu das palavras dele, e se apoiou nos ombros do russo e falou baixinho bem perto do ouvido de Sudz.

Narkissa: - É só não deixar o papai saber que estou saindo com um cara legal, deixe ser nosso segredinho amor.

Ao terminar de falar ela novamente beijou a bochecha do loiro que a olhou e sorriu de lado, Sudz a apertou um pouco mais em seus braços antes de a beijar de forma intensa e voraz, Narkissa por sua vez nem resistiu e retribuiu o beijo da mesma intensidade que o russo, as coisas estavam ficando um pouco quente demais para os dois e foi quando o russo se afastou dela novamente, Sudz a olhou e balançou a cabeça negativamente.

Sudz: - Não, eu não vou cair nessa Narkissa. Você está do lado oposto do meu e não vou deixar você entrar na minha cabeça desse jeito e acabar como o Filipe acabou. Somos rivais, você fez um desafio aberto e eu posso responder ele e pegar seu titulo, eu serei um dos desafios que a Legião vai ter que passar por cima, não vou deixar você me levar.

Narkissa cruzou os braços enquanto o olhava dentro dos olhos.

Narkissa: - Então é por isso que você está resistindo tanto? Shushudz....Pare de resistir a mim você sabe que é só uma questão de tempo até você não conseguir mais se segurar, então pare de pensar nisso e se entregue não vou infectar sua cabeça ou te trazer para o meu lado, e se quiser pegar meu titulo estarei te esperando no ringue.

Sudz: - Não. Não vou deixar você fazer isso.

Ele falou a olhando e depois deu as costas a russa e foi andando para fora do hotel, Narkissa deu risada e o seguiu pulando nas costas dele novamente, ela estava brincando com o russo um pouquinho.

Narkissa: - Já parou para pensar que talvez nós como o Yin e Yang? Separados temos nossas diferenças...Mas, juntos somos bem melhores ou você não se lembra?

Ela falava de forma sussurrada perto do ouvido do homem enquanto passava a mão pelos ombros e o braço dele, a mulher estava com toda a certeza tentando seduzir o russo que tentava resistir a loira mas era difícil sair de seu abraço.

Narkissa: - Eu e você, no camarim, suas mãos, seus braços, seus lábios, os gemidos, a sensação, o prazer, o seu....

Enquanto falava a loira ia passando a mão devagar pelo corpo do russo, pelos seus braços até chegar nas mãos do homem depois voltou para cima o alisando devagar, em seguida passou o dedo indicador suavemente pelos lábios de Sudz, a voz da mulher baixa e sexy no ouvido homem, ela desceu pelo peito dele indo até a calça e foi ai que Sudz saiu do "encanto" da loira e segurou o pulso dela com firmeza e a interrompeu.

Sudz: - Já entendi! Chega!

O russo falou olhando para a loira que acabou dando risada, ela mordeu o lábio inferior o olhando enquanto o homem se afastou dela novamente, ali estavam tendo um pequeno probleminha mas, a loira não parecia se importar muito com isso ou com os olhares que cercavam os dois, ele olhou em volta e balançou a cabeça em negativo, Sudz abriu a porta de um carro e mandou a mulher entrar, ela riu e entrou no carro com ele.

Narkissa: - Vai ficar bravo comigo?

Sudz: - Não estou bravo com você, apenas não vejo o porque de você ficar fazendo aquilo em publico.

Narkissa: - O que? Não quer que os outro saibam da gente Shushudz?

Sudz: - "Da gente"? Você fica gritando por ai que somos um casal e quer que eu ache legal? Não é assim que funciona.

Narkissa: - Porque não quer ser meu namorado?

Sudz: - E você quer? Narkissa você só faz isso porque sabe que me incomoda você falando isso.

Narkissa: - É tá certo, é só um pouquinho porque te incomoda mas, eu gosto de irritar você Shushudz não fique tão bravo também.

Sudz: - Você e a sua irmã são irritantes viu.

Narkissa: - E mesmo assim você gosta da gente.

Sudz: - Nem fodendo, vocês são suas doidas isso sim.

Narkissa deu risada da resposta dele e se aproximou do loiro se aconchegando nele enquanto olhava a paisagem do carro, Sudz até desistiu de protestar e enquanto ela estava quieta estava tudo bem mas, se começasse com gracinha ele iria a jogar para fora do carro.

Narkissa: -  Vem cá, vamos tomar um chocolate quente? Ai eu te deixou em paz.

Sudz: - Você quer só tomar um chocolate quente comigo?

Narkissa: - Quero. Apesar de querer beber o chocolate seu corpo sarado eu aceito tomar na xícara.

Ele revirou os olhos e acabou rindo das palavras da russa que estava o olhando, o homem pediu para o motorista parar em um lugar para poderem tomar o bendito chocolate, enquanto ela enrolava uma mecha do cabelo de Sudz nos dedos, eles abraçava a cintura da loira até o carro parar, o homem desceu e depois ajudou ela a descer, ambos entraram em um loja de doces ou coisa assim, pediram e depois se sentaram em uma mesa.

Sudz: - Espero que esteja feliz agora.

Narkissa: - Atendeu ao meu desejo e depois diz que não somos namorados...

Ele a encarou e ela se fingiu de boba bebendo um pouco do chocolate enquanto olhava para o outro lado, Sudz sabia que aquilo era só uma brincadeira vindo de Narkissa, e que ela gostava de falar essas coisas para o deixar sem graça ou desconfortável, eles beberam o chocolate e quando iam sair a mulher agarrou o braço do russo dando a mão para ele entrelaçando os dedos um do outro, as vezes era divertido fazer esse tipo de coisa. A mulher pegou o celular com a mão livre e viu as horas.

Narkissa: - Acho melhor eu ir andando.

Sudz: - Eu te dou carona, afinal te trouxe aqui e não vou te largar sozinha aqui também.

Narkissa concordou com a cabeça e novamente eles entraram no carro que tinha ficado os esperando, era bom as vezes ficar na companhia de Sudz, aproveitar para falar com outras pessoas sem ser com Valugi ou Violetty, na verdade desde da discussão ela não falava com o inglês e não tinha muita vontade de falar com ele depois daquilo, mas era algo para se pensar afinal faziam parte do mesmo grupo. Depois de um tempinho eles chegaram na emissora aonde a mulher faria uma entrevista.

Narkissa: - Obrigada Shushudz, até outra hora.

Sudz: - Até Naki.

Ela deu um último beijo no russo antes de sair do carro e entrar na emissora, Violetty ainda não tinha respondido suas mensagens ou se quer ligado de volta para a loira saber seu paradeiro mas, se ela estava com o Bodinho estava segura, o mesmo servia para se estivesse ainda com Valugi ou Megan, e ela ainda tinha de saber se levaria ou não o Ceifador para sua avó conhecer, era um passo muito grande para se tomar entre os dois, a loira se deu um tapa na testa para a fazer parar de pensar nessas coisas de casalzinho, ela foi se arrumar para depois ir para o programa falar.



♰ Our love is violent, it is obscure, it is obsessive, it is chaotic, we suffer because of it, but ... We like that sweet pain. ♰
avatar
✡ MadameZombie ✡
Admin
Admin

Mensagens : 189
Pontos : 549
Reputação : 332
Data de inscrição : 31/12/2016
Idade : 21
Localização : Salém

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ✡ MadameZombie ✡ em 04.09.17 2:40

Noite de Domingo em Moscou

A bruxa segurava em Megan a abraçando enquanto a mulher saia com a moto dali a morena ficava olhando a vista gostava de lugares assim sem pessoas apenas a floresta e a Deusa que olhava pela mulher todas as noites

Violetty: - Meg Meg vamos sair para algum lugar legal a noite está tão bonita

Megan: - Eu vi uns lugares interessantes mas tem um que eu quero te levar

Violetty: - Mas e o Lugi? A gente esqueceu ele lá

Megan: - Não esquecemos ele vai estar ocupado ele quer responder ao Jigglypuff

A castanha pode ouvir o suspiro pesado da bruxa

Megan: - Você não parece ter gostado disso

Violetty:  - Eu não sei bem o que pensar meus Deuses não estão felizes com ele ainda mais depois de algumas coisas que aconteceram e eu entendo o Lugi ele quer o melhor para todos mas mesmo assim não consigo deixar de ficar preocupada com o Jiggy  

Megan: - Não se preocupe eu não acho que o Jigglypuff iria querer comprar uma briga que ele sabe que iria perder

Violetty: - Pior que ele seria capaz disso e minha última conversa com ele foi um pouco intensa e depois vi aquele tampão usado falando bobagens pra ele em vídeo

Megan: - Tampão usado?

A mulher olhava pelo espelho com uma expressão confusa e com um tanto de nojo

Violetty: - Adam

Dessa vez a mulher riu ao entender a piada de mal gosto da bruxa a berserker parava a moto no que parecia uma colina ambas desciam e olhavam a grande vista que tinha as luzes as casas e as estrelas tudo era tão bonito a bruxa andou um pouco para a ponta do lugar quase caindo Megan a segurava abraçando por trás foi quando a bruxa abriu os braços

Violetty: - Eu estou voando Megan

A mulher deu risada entendeu a referência de Titanic ainda mais quando bateu um vento nas duas fazendo os cabelos voarem estava bem parecido com a cena do filme

Megan: - E nem precisou trazer a sua vassoura pra isso

A morena deu risada se encostando na mulher nesse momento ela virou a cabeça e ficou olhando para a lutadora que retribuiu o olhar as duas ficaram assim por uns breves instantes a morena fechou os olhos e deixou que a mulher se aproximasse as lábios delas se tocaram em um beijo meio tímido de começo mas começando a ficar mais intenso a morena se virou ficando de frente para a lutadora ainda a beijando ela colocava os braços na volta do pescoço de Megan ambas iam parando o beijo devagar a bruxa encostava a testa na da lutadora e a olhava nos olhos sorrindo

Violetty: - Agora sim ficou perfeito

Megan: - Minha bruxinha eu entendo que as coisas podem estar meio complicadas agora mas tudo vai acabar bem mesmo você não falando eu vejo que está escondendo algo

Violetty: - Me levaram no manicômio....

Megan: - Achei que não tivesse sobrado nada daquilo

Violetty: - E não sobrou mas mesmo assim quiseram ir lá Eles precisavam eu tive que deixar o Jiggy...Eles...acabar machucando ele se eu não fosse

Megan: - Jigglypuff meio que comprou uma briga conosco eu acho que é normal essa reação deles quando fica com ele afinal ele nem foi aprovado para entrar então até o momento ele não é nem aliado nem inimigo

Violetty: - Não é isso...Ele só fica agressivo assim quando acha que tem uma ameaça mas o Jiggy não entende pra ele não quer dizer nada não existe nada eu acho que ele me vê como uma aberração que tem amigos imaginários

A mulher suspirou e se sentou na ponta do barranco balançando as pernas até a lutadora fez o mesmo ela respirou fundo e sorriu para a bruxa

Megan: - Se ele te vê dessa forma eu vou quebrar ele inteirinho antes mesmo do Adam sonhar em bater nele se aquele Pokémon de merda não consegue ver o que você vê ou compreender então mostre pra ele nós vamos mostrar pra ele

Violetty: - As vezes quando ele olha pra mim eu acho que ele olha como se visse algo errado algo que não devia estar ali...deixa pra lá eu não quero falar sobre isso

A mulher levou até a cabeça e olhou para o lado e depois para a floresta atrás delas como se algo tivesse ido pra lá

Megan: - Vio olha....você não tem que se fechar dessa forma guardar tudo isso apenas vai piorar e mesmo acreditando em você não quero que fique mal ou triste eu estou aqui sempre do seu lado para te ajudar eu sei que já ouviu isso antes mas não vou te deixar para trás não vou esquecer você nem que eu tenha que ser torturada no seu lugar diferente deles eu aguento qualquer dor eu aguento isso por você se tiver que enfrentar os Deuses eu o farei para te ver feliz

A bruxa olhou pra mulher e arregalou os olhos em choque várias coisas começaram a falar na cabeça da bruxa eram coisas que ela não entendia direito

Violetty: - Como?

Megan: - Se Ele achar que eu sou uma ameaça e quiser me tirar da sua vida não irei aceitar isso sem lutar eu apenas sairei se você quiser eu não vou te deixar sozinha como todos os outros fizeram eles são uns maricas eu não não vai ser perder um título ou nada dessas bobagens que vai me tirar do seu lado apenas você pode fazer isso e se aquele Pokémon inútil não for capaz disso eu mesma quero enterrar ele se ele te acha um erro uma aberração ou qualquer coisa assim ele não merece nada além de um soco na cara

A lutadora falava com convicção segurando nos braços da bruxa que parecia em pleno choque com aquela situação nunca ouviu nada assim Ele ria mas parecia até feliz com a situação

Violetty: - Eu sei que nem todos compreendem e eu não quero por ele nessa o último que tentou entrar acabou indo embora quando o Jiggy ver as coisas e eu sei que ele vai porque Ele está muito irritado com a história toda e com coisas que aconteceram vai ser questão de tempo até Ele machucar Jiggly assim como me fez fazer com o Krauser e Ele é capaz de usar o Adam pra isso usar o Lugi pra isso...eu nem quero que Ele ache que você é uma ameaça mas Ele gosta de você

Megan: - Fico lisonjeada eu também gosto Dele me parece um bom Deus?...sobre o Jigglypuff nem se ele passar no teste do Valugi seus Deuses aceitam ele?

Violetty: - O problema não é Eles é somente Ele e eu não posso bater de frente com Ele quando fiz isso acabei socando o Krauser Jiggy quer uma vida normal e não acredita Nele isso pro ego Dele é uma afronta mas o Jiggy não entende quando falo com ele sobre isso me sinto uma..uma...louca e eu odeio esse sentimento eu não quero lembrar desse sentimento eu não quero nunca mais me sentir assim de novo e mesmo que ele não fale e até mesmo não pense eu sinto isso

Megan: - Você não é louca nunca mais fale isso o Valugi vau analisar a situação eu tenho certeza que ele vai fazer o Pokémon acreditar na marra ele nunca vai aceitar alguém que não nós compreende para fazer parte da família ainda mais sabendo das coisas que já fizeram a você quando precisou vamos cuidar de você e da sua irmã somos família e todos compreendemos uns aos outros e ajudamos não pense ele que vai chegar aqui eu vou manter atenção redobrada nele junto do Valugi

Violetty: - Eu gosto do sentimento que você me causa poucas pessoas conseguem fazer eu me sentir bem acho que só a Naki e o Bodinho conseguiram mas a Naki não conta ela é minha irmã de pessoas de fora temos você e o bodinho e o Lugi...obrigada por me ouvir Meg Meg

A bruxa sorriu e abraçou a lutadora que retribuiu dando um beijo na cabeça da morena que parecia precisar muito daquele abraço

Megan: - Eu vou cuidar de você com a minha vida não vou deixar nada nem ninguém a machucar ou magoar e falarei com o Valugi sobre esse pokémon mesmo eu sabendo que ele está pensando bastante e analisando qualquer tipo de situação

Violetty: - Eu vou lutar por você Meg Meg e vou a proteger também ninguém nunca vai fazer mal nenhum a você comigo aqui eu e meus Deuses vamos olhar por você sempre e pode ter certeza de minhas palavras eu protegi meu bodinho e eu ajudei o Jiggy nada importa mais pra mim que as pessoas que eu gosto e quem a machucar vai ser sacrificado e torturado de forma lenta e dolorosa e nós duas vamos tomar banho no sangue enquanto saudamos os Deuses

Megan: - Me parece uma ideia maravilhosa uma vai proteger a outra e juntas protegemos a Legião ninguém vai poder contra a gente

Elas sorriram uma pra outra até a bruxa puxar a mulher para outro beijo a lutadora riu enquanto retribuía a morena abraçava a lutadora ela não estava querendo soltar ela ignorou completamente a hora de voltar para o hotel não estava se importante com isso agora queria apenas passar a noite com Megan



♦️ You're lookin' crazy and you're lookin' wrong
We look like we belong ♦️

avatar
valugi

Mensagens : 84
Pontos : 156
Reputação : 78
Data de inscrição : 19/01/2017
Idade : 28

Re: Prome Aqui!

Mensagem por valugi em 05.09.17 0:41

Megan olhava para Violetty admirando o jeito da bruxa, tudo que ela tinha falado era mais pura verdade e ela ficava feliz que Viollety acreditava nela

- Vio que tal temos um pouco de adrenalina?

- Porque não?

A Inglesa um macacão que abria com um zipe, bem estilo de motoqueira, já a Violetty, estava com uma calça jeans e a uma blusa preta escrito The Witch, Megan acelerou até um local que haviam indicado para ela, onde tinha corrida ilegais, Vio olhava para os russos que estavam no local com uma cara feia, eles todos pareciam rir das mulheres estarem ali

- Violetty o que eles estão falando?

- Eles estão zombando da gente, dizendo que não era lugar para mulheres

- Então vamos mostrar para eles na pista

Megan acelerou a moto e pediu para a bruxa falar com o cara que coordenava a corrida, que se elas perdessem apostariam a moto, o homem sorriu e disse que tudo bem, a corrida começou, todos que passavam pelas duas zombavam, mas a Inglesa já estava concentrada para a corrida, e acelerou, no começo tudo bem disputado, em uma curva Megan gritou

- Se segura Violetty

Ela fez uma curva aberta o joelho quase tocando no chão, a manobra era extramente perigosa, mas fez elas ganharem a corrida, as duas saem da moto, enquanto todos ficavam impressionados, Violetty falando em russo pede o dinheiro da premiação, mas ai começa a confusão, quando tentam acusar que as duas trapacearam, bastou isso para começar uma confusão generalizada, a bruxa partiu para cima dos dois, enquanto Megan ficava na retarguarda evitando qualquer ataque covarde e nocauteando outros, no meio da confusão as duas derrubaram vários Russos, quando perceberam a polícia chegando fugiram andando, sem levantar suspeita, quem ia suspeitar das duas mulheres em meio a todos aqueles homens.

- Por sinal Meg Meg onde você arranjou aquela moto?

- Eu peguei emprestado (Risos)

- Sei, acho melhor voltamos para o hotel

- Com toda certeza

Violetty abraçava Megan

- Obrigado, o dia foi incrível

- Eu que agradeço, não poderia ter uma companhia melhor

As duas se abraçam e se beijam apaixonadamente, somente param quando chega o taxi

- Vamos voltar para o hotel, se não tua irmã vai querer me matar.

- Se é que ela está por la(Risos)

As duas riram e conversaram no caminho para o hotel.



avatar
♣ Kaoryy ♠

Mensagens : 111
Pontos : 119
Reputação : 10
Data de inscrição : 02/01/2017
Idade : 26
Localização : Berlim

Re: Prome Aqui!

Mensagem por ♣ Kaoryy ♠ em 05.09.17 11:44

Tarde de terça - Feira

O vídeo se inicia em um parque ecológico, o dia estava ensolarado o vento estava suave enquanto mostrava a modelo apreciando o céu sentada na grama um pouco despreocupada, logo ela se vira para a câmera e em um sorriso doce e gentil e cumprimenta seus fãs.

– Olá anjinhos como vão? –

A modelo voltava a apreciar o céu com um grande sorriso no rosto.

– Sabe ultimamente venho sendo atacada por três pessoas que se achar poderosas, que se acham donas da razão e da verdade. Bem e isso não me incomoda nem um pouco. –

A mulher abaixou a cabeça e se voltou a encarar a câmera ainda animada.

– Sabe Valugi para um velho, já devia saber que não se deve subestimar seu inimigo não é verdade? –

A mulher pegava uma flor e ficava a olhando.

– Sabe Violetty você com suas ofensas não vai chegar a lugar nenhum. O objetivo de vocês é sujo tudo que vocês família é sujo vocês são o verdadeiro fracasso! –

A mulher ficava olhando para a flor enquanto falava sua voz era calma e doce, a mulher transmitia paz.

– Fale apenas por você mesmo Valugi, um anjo que deixou ser dominado pelas trevas que deixou ser infectado pelas imundices e mentiras de satanás. Você não passa de um escravo de satanás. –

A mulher mudou para um tom mais sério, mas continuava tendo a mesma serenidade no olhar enquanto voltava a encarar a câmera.

– E novamente você como sua irmã e o velho anjo ceifador estão enganados. Eu não sou modelo, eu não vim atrás de atenção eu luto por algo maior que vocês nunca emtenderam, vocês nunca vão entender por que tudo o que fazem e remover o passado. Não passam de museus, somos baratas Valugi? Vai continuar a cometer o mesmo erro? –

A mulher solta um grande suspiro.

– E deste quando eu preciso de sua atenção Valugi? A sua vida a sua trajetória como Valugi Barros e admiravel, essa sim seria uma atenção digna. Mas não procuro a atenção de um escravo do pecado. E muitos pelo contrário eu não falei bem de você, apenas citei ser um perigo. Eu trabalho com verdades não com mentiras como você é seus amigos fazem. –

– Eu ataquei aqueles que achei dignos de ouvir verdades, assim como você e sua arrogância podre merece ouvir. Mas isso não adiantaria nada pois sua vida sempre será uma mentira. –

A loira arrumava seu cabelo que estava a ser bagunçado pelo vento antes de continuar a falar.

– Eu não vou repetir outra vez, então é melhor prestar atenção, eu não sou atriz eu não sou modelo. Eu sou uma wrestler eu luto pelo amor e pela justiça, eu luto por aquilo que eu acredito e nem você e ninguem irá me fazer desistir disso! A única que conhece a ganância aqui e você, eu não pedi fãs, não pedi apoio de ninguém. É apenas a consequência do meu trabalho, ao contrário de você que precisa chamar um cinto de couro de filho para dizer que tem algo especial. Por simplesmente ter sido abandonada em uma clínica psiquiátrica e somente a irmã esteve do seu lado. Violetty você precisa de algo para ser tão importante quanto sua irmã é, algo para se dedicar para se sentir especial. Estou errada?–

A loira voltava a olhar para o céu que estava limpo não havia nuvens elanapreveitava a brisa que passava levantando seus longos cabelos lpuros.

– Eu nunca vou ser uma Deusa e jamais quero ser adorada, quero sim ser exemplo de que tudo é possível conquistar lutando e persistindo, nunca se deve desistir daquilo em que se acredita, eu não posso responder por Lady, mas posso responder por mim. Eu sou uma lutadora, uma guerreira enviada para combater pessoas como vocês e colocá-las nos seus devidos lugares. Eu não quero ser adorada pois a adoração e somente para o meu senhor quero ser exemplo. –

A alemã ainda olhava para o céu enquanto falava, e quando falava transmitia segurança e paz.

– Cantar vitória antes do tempo é um erro grande Violetty, eu irei punir você por todos os seus pecados. Sim pecados você tem muitos e precisa pagar por eles. Eu não procuro por identidade Violetty eu não preciso disso, eu sou apenas Marjorie Beliviery, quem me chamaram e me deram identidade de anjo foram meus fãs. E vocês afirmaram isso, agora querem me chamar de anja falsificada? Controvérsias e controvérsias…. –

A modelo olhava para a paisagem e sorria.

– Então vamos ver o que uma “modelinho” irá fazer com vocês no ringue. Eu não sou apenas uma modelo? Insistem nessa idéia fracassada de me chamar de modelo, você e modelo não passa de um rosto bonito. Tenho uma novidade para vocês três, Valugi, Narkissa e Violetty. –

A anja respirava fundo e abria um sorriso animado e alegre.

– Para nós anjos guerreiros não importa quem é o protagonista, quando nos unimos nos tornamos um só, podemos derrotar nossos inimigos não importa o quão poderosos sejam. –

A loira continuava a sorrir.

– Pelo contrário Violetty você é quem está sendo usada, você e sua irmã. Você não vê? Onde estaria a legião se vocês não tivessem se aliado a eles? Admita vocês duas são a principal força da legião ter conquistado algo. Olha para seus parceiros. Seu líder precisou tirar a casaca dar um giro de trezentos e sessenta graus para conseguir um título, não vai demorar muito para que ele volte a ser o antigo Valugi. Megan tem talento mas não está no seu nivel, Draven até agora não apareceu. Vocês são as forças centrais e Valugi sabe disso. Se vocês saírem a legião acaba. Simples assim. –

– Enquanto a mim, estou aqui sendo eu mesma, da maneira que eu quero sendo quem eu sou! Não sou vista como armas. –

A mulher soltava uma pequena e baixa risada que dava para se ouvir.

– Valugi ter conhecimento das próprias forças não quer dizer que está fugindo, ou que é graça e que desistiu. Terno conhecimento da própria força e saber que precisa evoluir mais e mais e nunca desistir. –

A mulher voltava a olhar para a flor e respirava fundo.

– Todas as pessoas passam por dificuldades e sofrimento. Às veze, você pode até desejar fugir desta solidão. Mesmo assim é preciso resistir e viver. É preciso se levantar e lutar não importa quantas vezes você cai. Levante se é erga-se. Eu luto por aqueles que amo, luto por aquilo que eu acredito. Não importa quantas vezes eu caia eu não me darei por vencida, eu levantarei e continuarei, algo que vocês nunca irão entender. Seus Deuses desejam algo que nunca vai ter. A sua derrota e eminente ela pode demorar a acontecer,as quando acontecer será destrutiva. -

– Coragem e perseverança Valugi, lutar e para isso que vivemos. Para um mundo melhor, para uma vida melhor não importa a dificuldade nunca deve se entregar. –

A mulher parecia determinada, e calma não alterava o tom de sua doce voz e não mudava o seu humor.

– Você Violetty usa seus Deuses como desculpa para seus erros, eu faço o que os deuses mandam, e quando desobedece é castigada, você não machuca por que quer.machuca por que mandam você machucar. Você usa isso como desculpa para explicar o por que é assim. E eu tive sim escolha Violetty, eu tive a opção de seguir o meu Deus ou seguir o caminho do pecado o mesmo caminho que você escolheu. E vejamos bem. Eu escolhi o caminho do meu Senhor, e não é você quem vai dizer que o meu lugar não é aqui. Ou onde deveria ser. Você é apenas uma criatura moldada para ser usada e depois largada fora, que no fim no juízo final você irá queimar no inferno como todos os outros perversos que existem nesse mundo a fora. –

A loira pegava uma garrafa de água e tomava um gole do líquido incolor.

– Vocês falam de mentirmosne fazermos promessas, tiram promessas feitas por mim sem ao menos ter feito uma. Voce Violetty luta pelos seus Deuses, eu luto pelo meu Deus. O único e verdadeiro Deus, eu luto pelo amor e pela justiça, eu luto por ele. Eu não sou nenhum estereótipos que tanto dizem que eu sou. Eu sou uma guerreira alguém que nunca desiste daquilo que acredita. Alguém que cresceu e se vê forte o bastante para enfrentar qualquer um. Sempre farei com que a estrela do meu coração brilhe. –

A mulher ficava seria dava um pequeno sorriso é encarava a câmera, seu olhar era confiante, e a loira demonstrava isso.

– Nos todos carregamos estrelas em nossos corações. Luz e Trevas sempre acompanham uma a outra, se você estiver com medo das grevas, mesmo um pouco, a lhe mostrar uma lágrima, as trevas se tornarão imensas e perseguirão e engolirão toda a sua luz. –

A mulher falava seria e ao mesmo tempo calma ela não se irritava mantinha a calma e respirava calmamente.

– Eu não tenho medo, pois junto com a morte e a destruição sempre existirá a esperança do renascimento. –

A mulher concluía e como sempre encerrava o vídeo com o formato de um coração em suas mãos, seguido de um beijo e um tchau para os fãs. Assim o vídeo era encerrado aos poucos mostrando a alemã se levantar e ir embora.



Os dias vão passando devagar e as coisas encontrando seu lugar tudo muda, menos o que eu sinto por você

avatar
King

Mensagens : 91
Pontos : 101
Reputação : 14
Data de inscrição : 12/01/2017

PROMO #81 - Simplesmente Kevin Johnson

Mensagem por King em 05.09.17 12:10

VÍDEO PUBLICADO EM NWR.COM/KING

A imagem mostra um vela acessa e um local desconhecido e totalmente escuro, a vela está sobre uma mesinha, aparentemente de madeira. Ouve-se o barulho de uma grade, dando a impressão de que está sendo aberta e na sequência um grande estrondo. São ouvidos alguns passos e um grande vulto surge passa em frente da câmera. A vela é apagada, deixando a imagem toda escura, nesta penumbra a voz do irlandês ecoa:

KEVIN JOHNSON! Terei o prazer de fazê-lo sofrer em solo russo. No momento em que me encontro, darei duas opções para você: ser esmagado ou ser triturado! Mesmo fora dos holofotes, eu permaneço imortal e independente do que aconteça de agora em diante, você será testemunha viva do ditado popular:

No Lugar Errado e Na Hora Errada!

Entenda Kevin Johnson, nós não vamos lutar e sim brigar! Quero proporcionar o máximo de dor em seu esbelto corpo e admirar teu sangue pingando no ringue, espero que o árbitro da luta me permita te surrar sem maiores preocupações e com um imenso sorriso no rosto; até amanhã Kevin Johnson;

Conteúdo patrocinado

Re: Prome Aqui!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: 24.11.17 5:03